rio-de-janeiro

Noticias

Evandro Freire completa três anos com 'carga extra' de pacientes

RIO — Com três anos recém-completados, o Hospital Municipal Evandro Freire, na Portuguesa, vem enfrentando um aumento repentino no número de pacientes. Referência em especialidades como cirurgia geral, terapia intensiva e pediatria, a unidade tem sido afetada pelo fechamento da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Cocotá, ocorrida no início do mês passado. Quem antes buscava auxílio por lá passou a se deslocar para o Evandro Freire.

Para se ter uma ideia do incremento na procura, em abril de 2015 o hospital realizou cerca de 7.500 atendimentos. Já no mesmo mês deste ano, o número saltou para 12 mil, quase o dobro da capacidade prevista para a unidade quando ela foi inaugurada — sete mil pacientes por mês.

O aumento da demanda também fez com que houvesse aumento no tempo de espera dos pacientes. O GLOBO-Ilha esteve no hospital no último dia 21 e encontrou pacientes que aguardavam há bastante tempo pelo atendimento. O garçom Bruno Amparo, que levou seu filho de 2 anos até lá com quadro de diarreia e vômitos, teve que esperar mais de três horas pelo atendimento.

— Desde que a UPA do Cocotá fechou, este passou a ser o único hospital da Ilha — reclamou.

Diretor geral do hospital, o cirurgião Paulo Maurício Cabral reconhece o impacto gerado pela interrupção dos atendimentos no Cocotá.

— Desde que abrimos, em 2013, estamos gradativamente aperfeiçoando nosso atendimento. É óbvio que o fechamento da UPA aumenta a demanda por nossos serviços. Se temos uma estrutura de saúde com cada ente cumprindo um papel, é porque o serviço dele é importante. Se não fosse, ele não existiria — argumenta.

Cabral avalia que, mesmo com a reabertura da UPA do Cocotá, que deve acontecer na próxima quarta-feira, o movimento no Evandro Freire deve manter-se alto nos próximos meses. De acordo com a Secretaria estadual de Saúde, órgão responsável pela UPA, o local será reaberto como unidade pediátrica, com atendimento voltado exclusivamente para crianças de até 14 anos.

— É bem provável que nosso atendimento pediátrico diminua. Porém, nosso atendimento a adultos deve crescer — avalia o diretor geral.

Pioneiro em algumas especialidades na rede pública do município, o Evandro Freire conta hoje com um serviço de odontologia intensiva, que atua dentro da Unidade de Terapia Intensiva da unidade.

— A infecção hospitalar respiratória está muito ligada à falta de higiene oral. Cerca de 40% das doenças de coração e 45% das inflamações de membranas cardíacas são causadas por uma bactéria que vive na boca. Além disso, 60% das pneumonias associadas à ventilação mecânica em UTIs também têm origem na boca — explica a cirurgiã dentista Flávia Lobão, que trabalha no hospital.

Em toda a rede do Sistema Único de Saúde (SUS), o hospital é único a oferecer este tipo de tratamento.


Globo Online | 03-Mai-2016 12:00

Prefeitura de Niterói envia Plano Municipal de Educação à Câmara

NITERÓI - A prefeitura de Niterói enviou, na última quinta-feira, o Plano Municipal de Educação à Câmara de Vereadores. No projeto de lei, constam metas e diretrizes para a educação na cidade para os próximos dez anos. O conteúdo é parte do compromisso assumido na Conferência Municipal de Educação realizada em junho do ano passado. Profissionais do setor, no entanto, criticam a ausência de pontos estabelecidos durante o congresso. O Plano chega à Casa dez meses depois do fim do prazo estipulado pelo Ministério da Educação (MEC) para a conclusão da proposta.

A cidade de Niterói foi a última do estado a enviar o documento para a apreciação dos vereadores. No dia 17 de março, a promotora Marcele Moreira Tavares Navega, da Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Proteção à Educação do núcleo São Gonçalo, expediu recomendação à prefeitura para que enviasse a proposta ao Legislativo no prazo de cinco dias. A promotora estabeleceu ainda 15 dias para que o município comunicasse as providências adotadas para o cumprimento da recomendação. Como nenhum dos dois prazos foi cumprido pela administração municipal, o MP chegou a informar na quinta-feira que acionaria a Justiça para obrigar o Executivo a concluir o processo. Em todo o estado, apenas três municípios ainda não terminaram todas as fases para a implantação de seus planos: Niterói, Volta Redonda e a capital.

O Plano Municipal de Educação, segundo o MEC, é um importante instrumento de planejamento para a cidade durante os próximos dez anos. Sua importância vai além da rede de escolas da prefeitura. Junto com o Plano Estadual, ele subsidiará a elaboração do Plano Nacional de Educação (PNE), que define as diretrizes, as metas e as estratégias para a política educacional, tornando-se referência importante para a gestão pública de educação e as ações a serem implementadas nessa área. Formado por metas obrigatórias, como universalizar até o fim deste ano o atendimento escolar para crianças de 4 e 5 anos e adolescentes de 15 a 17 anos, o PNE necessita da total adesão das prefeituras.

TEMAS NÃO MENCIONADOS

O texto enviado à Câmara foi alvo de críticas do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe). Segundo a entidade, a prefeitura de Niterói deixou de fora uma série de metas que ficaram decididas durante a conferência de educação, como o direito a licença para estudos e requalificação. Na minuta, os profissionais da educação passariam a ter direito irrestrito ao benefício. Hoje, ele só é concedido por autorização do poder público. Outra meta estipulada é a garantia de um terço da hora trabalhada para planejamento das aulas a todos os professores. Atualmente, a grande maioria atua em sala de aula durante toda a carga horária, principalmente os professores do segundo segmento, que vai do 6° ao 9° ano. Outro tema que ficou de fora é a redução da carga horária dos profissionais de apoio. Merendeiras, porteiros, secretarias e inspetores, que hoje trabalham 40 horas semanais, teriam a carga horária reduzida para 30 horas. Outras questões levantadas na conferência, como a mudança da nomenclatura de merendeiras para cozinheiras e a criação de uma escola de formação pedagógica para capacitação dos professores, gerida de forma compartilhada com a categoria, também não foram contempladas.

— É um absurdo terem retirado essas metas, até porque os prazos para a execução eram bem razoáveis. Além disso, a redução da carga horária para os profissionais de apoio e o direito dos professores de migrar sua jornada atual de 24 horas semanais para 40 horas e poderem se beneficiar do adicional de dedicação exclusiva são temas que poderiam ter sido postos em prática em até cinco anos — critica o diretor do núcleo niteroiense do Sepe, Diogo de Oliveira.

Uma das metas que constam no projeto é a inclusão de temas ligados à questão de gênero e à diversidade sexual no currículo das escolas. Em julho, depois da conferência decidir incorporar os temas, o vereador Carlos Macedo (PRP) se antecipou à medida e protocolou na Câmara uma emenda à lei orgânica propondo barrar políticas de ensino relacionadas ao assunto. O parlamentar, que é acusado na Justiça pela morte do vereador eleito em 2012 Lúcio do Nevada, de quem era suplente, chegou a articular um encontro com lideranças religiosas e vereadores na Câmara para tratar da questão, mas a proposta ainda não foi discutida em plenário. Vereadores contrários à iniciativa prometem fazer valer o projeto, e o debate deve esquentar com o início das discussões. O Plano Municipal de Educação ainda não tem data para ser votado, pois a pauta na Câmara está trancada por causa da análise do veto do prefeito a uma emenda do vereador Gallo (PSL) ao orçamento.

Confrontada com as críticas do Sepe, a prefeitura afirmou, por meio de nota, que o documento ainda será objeto de audiências públicas na Câmara Municipal. E que delas poderão surgir sugestões que culminarão em alterações no texto.


Globo Online | 03-Mai-2016 12:00

Arena Jovelina Pérola Negra recebe espetáculo ‘Que se funk’

RIO — Era 1998 quando o então adolescente Michel Cordeiro, morador da comunidade do Batan, em Realengo, decidiu reunir crianças e adolescentes da região num projeto de dança ambicioso. Na época, o Jovens de Periferia (JP), nome dado ao grupo, somava cerca de cem integrantes que, pelas ruas, ensaiavam performances de rap e funk, se expressavam nos grafites e nas pickups, e difundiam o hip hop na Zona Oeste.

Aos 34 anos, o diretor comemora a maioridade de sua companhia de dança, completada este mês, com a nova temporada do “Que se funk”, primeiro espetáculo profissional que consagrou o grupo e lhe conferiu um lugar entre os vencedores do Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015. O próximo destino da turma será a Arena Jovelina Pérola Negra, na Pavuna, na próxima sexta-feira.

Para a montagem, que estreou nos palcos cariocas há dois anos, Cordeiro se inspirou em seu projeto de fim de curso de formação em dança na UFRJ:

— O JP Move acabou ganhando o título de projeto social, o que nunca me agradou. Sempre o vi como um grupo amador, mas também nos tornamos uma escola, da qual saíram muitos destaques. Em 2012, mergulhamos na profissionalização, participando de festivais nacionais e internacionais.

Mais do que um ritmo, o funk tem valor afetivo em sua obra.

— Meu primeiro contato com o corpo, como arte, foi pelo funk. Nele desbravei minhas primeiras tentativas de ser intérprete e criador. Seu tambor e suas frases fortes são as vozes de muita gente, um grito por liberdade e igualdade que não quer calar — diz Cordeiro.

Arena Carioca Jovelina Pérola Negra — Praça Ênio, s/nº, Pavuna. Sexta-feira, dia 6 de maio, às 14h e às 19h30m.

Telefone: 2886-3889.

Ingresso: R$ 10 (inteira)


Globo Online | 03-Mai-2016 12:00

Camisas usadas por craques dos anos 80 são vendidas em loja no Rio

RIO — A pequena mancha de terra envelhecida na camisa exposta na vitrine não deixa dúvidas: a peça é um exemplar original do uniforme utilizado em campo pelo craque Ado, defensor da camisa 2 do Fluminense na década de 1980. A venda de camisas de jogo originais, utilizadas no passado por jogadores de futebol, é a principal novidade na comemoração dos dez anos da Liga Retrô, marca especializada em roupas e acessórios com temática futebolística.

Não só os tricolores foram contemplados. A torcida vascaína pode encontrar a camisa 7 usada pelo centroavante Sorato no campeonato de 1989. As peças são oferecidas na loja do BarraShopping. Modelos do Flamengo e do Botafogo, postos à venda no início de abril, quando a novidade foi implantada, já não estão nas araras.

— A marca tem uma coleção própria de camisas raras. Conforme as peças forem compradas, colocaremos outras à venda, de acordo com os times e a disponibilidade do nosso acervo. Também estamos sempre em contato com colecionadores, para adquirir novas peças — explica Marcelo Roisman, um dos sócios da marca.

Os apaixonados pela história do futebol que desejam levar para casa uma das peças originais precisam estar preparados para gastar uma bolada. Os preços vão de R$ 699 a R$ 899. O público-alvo, de acordo com a marca, é composto por colecionadores e fãs de determinados jogadores dispostos a pagar caro para ter a peça histórica em casa.

Até junho, o número de itens originais à venda deve aumentar, e a previsão é que eles comecem a ser oferecidos em franquias da loja em todo o Brasil. Ainda não está decidido quais serão as próximas relíquias disponibilizadas.


Globo Online | 03-Mai-2016 12:00

Empresária lança livro sobre igualdade de gêneros depois de festa da filha

RIO - Assim que as pessoas sabiam do tema da festa de 4 anos de Marina, franziam a testa e faziam cara de espanto. Teve quem pensasse um pouco e logo confirmasse presença. Outros indagavam: “Mas não é coisa de menino?”. Sem princesas, coroas ou vestidos, Marina comemorou seu aniversário com decoração inspirada no Homem de Ferro. Afinal, o que há de errado em gostar de super-heróis? Eles salvam o mundo e lutam por justiça. E meninas podem fazer isso. É o que mostra o livro “O que eu posso então?!?”, escrito e ilustrado pela empresária Renata Palmeira, mãe da aniversariante, e distribuído na comemoração. A escolha do brinde teve o objetivo de suscitar o debate na casa dos convidados e fazê-los refletir sobre a igualdade de gêneros desde a infância. Mas teve repercussão bem maior do que a esperada: atualmente, o livro está disponível para download e ganhou site próprio.

— Queria dar alguma coisa que levasse informação, principalmente para as crianças. Alguns adultos pensavam um pouco e viam que não tinha problema. Outros continuavam estranhando. As crianças simplesmente não sabiam o que pensar, porque os pais nunca tinham problematizado isso. Então, quis entregar algo que os pais lessem com elas e as fizesse pensar — conta Renata.

Em tempos de defesa do empoderamento das mulheres, para usar a expressão da moda, o post sobre a festa e o lançamento do livro teve grande repercussão na página pessoal de Renata no Facebook. Outras mães aproveitaram o espaço para relatar experiências que viveram quando nem estavam querendo quebrar paradigmas ou levantar bandeiras, mas apenas comprar o brinquedo ou a roupa de que os filhos mais tinham gostado e eram, digamos, pouco convencionais.

O interesse de Marina por super-heróis começou logo após a festa de 3 anos. Renata e o marido, Marcelo Batista Braga, deixam a filha à vontade para decidir os temas dos aniversários, assim como escolher roupas e brinquedos. Usando um relógio de princesas e um adesivo estampado com os personagens dos quadrinhos — que finge ser uma tatuagem —, Marina se mostra livre para fazer escolhas, independentemente de serem rosas ou azuis, assim como a protagonista do livro, sua homônima. A personagem explica que é possível ser o que se quer e destaca mulheres influentes — como Olga Benário, Dandara dos Palmares e Frida Khalo. A ideia era criar identificação com personalidades reais que nem sempre são citadas.

— Hoje, está melhor, mas são poucas as figuras femininas que vemos representadas nos livros. Não chega nem perto da quantidade de personagens masculinas — diz Renata. — Quando a Marina falava do tema do aniversário, as pessoas corrigiam: “Menina de Ferro”. Mas ela repetia que a festa era do Homem de Ferro. Ela não se sentia representada naquela figura. Não é só jogar a super-heroína na história, mas é ver como ela pode ser construída.

Via internet, a belenense Renata Palmeira, moradora da Barra, e a irmã Rafael Palmeira, diretamente do interior do Pará, criaram o enredo e as ilustrações em duas semanas. O livro impresso, com 16 páginas, foi distribuído na festa de Marina, e disponibilizado em versão virtual pela Amazon, com preço simbólico (R$ 1,99). O link também está disponível no Facebook da autora. A obra ganhou ainda site oficial (oqueeuposso.com.br), para leitura on-line, e pode ser baixada de graça em PDF. O assunto, ressalta Renata, rende novas publicações, embora ela não tenha a intenção de escrever outras no momento:

— Com certeza, ainda tem muita coisa para falar.


Globo Online | 03-Mai-2016 12:00

Clube O GLOBO promove maratona a bares participantes do Comida di Buteco

RIO - Um grupo de assinantes do GLOBO participa de um périplo por três endereços do tradicional concurso Comida di Buteco, que vai eleger os melhores petiscos do Brasil.

Os leitores abriram os trabalhos, na noite de segunda-feira, provando o quitute preparado pelo bar Os Imortais, em Copacabana. Em seguida, rumaram para Botafogo, a fim de experimentar a receita concorrente do Adega da Velha. A saideira aconteceu no Bar Palhinha, no Humaitá.

Foi a segunda maratona promovida pelo Clube O GLOBO com assinantes do jornal: a primeira ocorreu no último dia 26.


Globo Online | 03-Mai-2016 11:00

Servidores vão à Justiça para garantir o salário de abril

RIO - O pagamento dos 465 mil servidores ativos e inativos do Estado do Rio pode ser novamente determinado pela Justiça. Apesar de o Palácio Guanabara alegar que não tem R$ 1,9 bilhão em caixa para honrar os salários, a Federação das Associações e Sindicatos dos Servidores do Estado (Fasp) entrou com uma liminar na 8ª Vara de Fazenda Pública do Tribunal de Justiça na sexta-feira, pedindo o arresto do valor nas contas do governo. Na ação, a entidade quer que o depósito seja feito até o segundo dia útil do mês (hoje), conforme o calendário original, alterado devido à crise.

Até o início da noite de ontem, o juiz titular Leonardo Gransdmasson Ferreira não havia apreciado o caso. No mês passado, a Fasp já tinha obtido uma liminar que determinava o pagamento na data original. Como o governador em exercício, Francisco Dornelles, havia sinalizado na semana passada que faria o depósito somente no dia 13 deste mês, servidores voltaram a recorrer à Justiça. pagamento aposentados 20/04

Numa tentativa de acalmar os ânimos, Dornelles garantiu que não haveria mais atraso no pagamento de aposentados e pensionistas, que só receberam o salário de março na última sexta-feira, após arresto nas contas do estado. Antes do confisco, o governo planejava fazer o depósito até o dia 12 deste mês.

Dornelles chegou a dizer numa reunião, na quinta-feira, que tentaria antecipar esse depósito em três dias. No entanto, não conseguiu evitar o confisco em quatro contas do estado.

Apesar dos constantes atrasos no pagamento dos servidores, funcionários do Judiciário, do Ministério Público e da Defensoria Pública têm recebido no prazo certo: até o penúltimo dia útil do mês.

Na sexta-feira, o estado pagou R$ 244 milhões para ativos e inativos do Tribunal de Justiça do Rio e R$ 63 milhões para o Ministério Público. Um dia antes, prevendo um possível adiamento de seu repasse, a Defensoria Pública fez um arresto de R$ 49 milhões no cofre estadual para garantir os salários dos seus funcionários.

Os sucessivos atrasos e a constante desinformação sobre o pagamento dos servidores abalaram a relação entre o Legislativo e o Judiciário. Apesar de a experiência e a habilidade de Dornelles terem ajudado a melhorar um pouco o ambiente político, o último atraso no depósito para inativos voltou a irritar a base do governo na Assembleia Legislativa. Aliados reclamaram de de não terem sido consultados pelo governador em exercício. Alguns deputados, inclusive do PMDB, já sinalizam um movimento de afastamento.


Globo Online | 03-Mai-2016 11:00

Efeito H1N1: procura por vacina contra gripe faz doses acabarem na rede particular e lota postos

RIO - O medo de contrair o vírus H1N1 — que este ano já causou 18 mortes no estado — provocou uma corrida aos postos das redes públicas de saúde e às clínicas de imunização privadas, onde os estoques da vacina contra a gripe estão esgotados ou muito baixos. A grande demanda causou congestionamento nas linhas telefônicas das unidades particulares, que usaram as redes sociais e seus sites para alertar os interessados para o desabastecimento. Na Neovacinas, por exemplo, que tem filiais em Botafogo e na Barra, os estoques já estão esgotados desde a semana passada e não há previsão de novas remessas. Segundo a pediatra Maria Cristina Senna Duarte, diretora da clínica, o fato de os casos de H1N1 terem ocorrido mais cedo este ano levou a população a buscar proteção o quanto antes.

— As pessoas ficaram mais conscientes da necessidade de se imunizar e correram para a clínica. Acontece que a capacidade de produção de vacinas da gripe não correspondeu a essa procura — disse a médica.

A esteticista Carmen Luísa da Silva, de 33 anos, contou que passou a manhã de ontem telefonando para a filial da clínica Profilaxys na Tijuca e, como não conseguiu ser atendida, decidiu ir pessoalmente ao local para tentar vacinar o filho de 6 anos. Quando chegou, viu logo na porta do estabelecimento uma plaquinha informando: “Não temos vacina de gripe”

— O telefone só dava ocupado, então eu vim até aqui, mas dei azar. Não tem essa vacina da gripe em lugar algum. Já liguei para várias clínicas — disse ela, que foi no horário do almoço à clínica, que estava fechada.

SEM PREVISÃO DE REPOSIÇÃO

Mais tarde, por telefone, uma funcionária informou a Carmen que não há previsão de chegada do produto. Também lhe disse que não havia a vacina nas unidades de Botafogo e Barra 2. Segundo Carmen, informaram-lhe que os laboratórios não têm mais doses em estoque.

Uma equipe do GLOBO ligou para dez clínicas das zonas Sul, Norte e Oeste, para saber se a vacina contra o H1N1 está disponível. Em todas, a resposta foi a mesma: só havia a quadrivalente pediátrica (para menores de 3 anos), justamente a faixa etária de um dos grupos que podem ser imunizados nos postos de saúde gratuitamente, sem precisar desembolsar os cerca de R$ 150 cobrados na maioria dos estabelecimentos privados. links gripe H1N1

Há dois tipos de vacina: a trivalente, que progete contra o H1N1, o H3N2 (ambos vírus da influenza A) e uma cepa da influenza B, e a quadrivalente, que combate todos esses micro-organismos e mais uma outra cepa da influenza B.

A jornalista Mônica Lima, de 45 anos, procurou a filial da clínica Vaccini no Méier, no último sábado, para tentar vacinar a filha Laura, de 9. Quando chegou, um cartaz avisava sobre a falta do produto.

— A atendente disse que não há previsão para chegar. É preciso ficar acompanhando: ligando, vendo no site ou vindo aqui perguntar — disse Mônica, que foi informada pelo grupo de WhatsApp da escola da filha que ainda é possível encontrar doses numa clínica da Barra.

No site da Vaccini, um quadro com a data de ontem divulgava a disponibilidade de vacinas contra a gripe em todas as filiais. O texto, no entanto, deixava claro que não era possível “estimar o tempo de duração dos estoques”. De acordo com o aviso, no Estado do Rio só era possível achar doses da trivalente (adulto e pediátrica) em Macaé. Em nenhuma das 12 filiais havia estoque de vacina quadrivalente contra a gripe. Avisos semelhantes foram publicados nos sites das clínicas Neovacinas e Kinder.

A pediatra Maria Cristina Senna Duarte destacou que tanto a trivalente quanto a quadrivalente oferecem proteção contra o H1N1.

Dois laboratórios que fornecem vacina a clínicas no município alegam que a procura este ano foi acima da média. O Sanofi Pasteur informou que “atendeu a todas as solicitações realizadas antecipadamente pelas clínicas de vacinação”. Desde o fim de março, a empresa está fornecendo para todo o Brasil a trivalente. Também antecipou em cerca de três semanas a entrega da quadrivalente, que começou a ser distribuída em 11 de abril. Este ano, em comparação com 2015, o número de doses dessa vacina dobrou. Já o laboratório GSK destacou que a “demanda está muito acima do esperado devido ao recente surto de H1N1.” Acrescentou que, “em razão da complexidade de produção da vacina, a capacidade de abastecimento é coberta por diferentes laboratórios.”

META NA CAPITAL É IMUNIZAR 1,2 MILHÃO

A corrida pela imunização se repete nos postos da Secretaria municipal de Saúde, que, desde sábado, dia D da vacinação, já imunizaram 486.226 pessoas, o que representa 3% da população-alvo. A meta é chegar a 80% — cerca de 1,2 milhão. A coordenadora municipal de Imunização, Nadja Greffe, avalia a corrida aos postos como um resposta positiva da população. E garante que não há risco de faltar vacina. Atendendo a recomendação do Ministério da Saúde, a rede municipal só imuniza idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses a 5 anos incompletos (até 4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, doentes crônicos e profissionais de saúde.

— A população está entendendo o benefício da vacinação como uma forma importante de prevenção dos casos de influenza e procurando os postos. Recebemos do Ministério da Saúde 1,2 milhão de doses da vacina trivalente — disse ela.

“ACHO MUITO IMPORTANTE ME CUIDAR"

No Centro Municipal de Saúde Heitor Beltrão, na Tijuca, o movimento começou cedo ontem. Das 8h ao meio-dia, foram aplicadas 1.240 doses. O tempo médio de espera, segundo a Secretaria de Saúde, foi de 15 a 20 minutos. A aposentada Ruth Azevedo, de 70 anos, contou que, por volta das 10h, passou pela Rua Desembargador Isidro e, quando viu que a fila virava a esquina, desistiu. Já Maria das Graças da Silva, de 74 anos, esperou 30 minutos para ser vacinada. Ela preferiu ir logo cedo, pois temia que as doses acabassem:

— Eu vi na televisão que os estoques podem acabar. No sábado, não pude vir porque tinha outro compromisso, mas hoje (ontem) vim logo. Tomo a vacina todos os anos, acho muito importante me cuidar — comentou ela.

A Secretaria estadual de Saúde informou que, até o fim da tarde de ontem, 1,06 milhão de pessoas foram imunizadas: 492.422 crianças entre 6 meses e 5 anos incompletos (52,21% do público-alvo), 45.433 gestantes (25,94%), 452.523 idosos (21,45%), 7.726 doentes crônicos (26,84%), 66.863 profissionais de saúde (17,35%) e 290 indígenas (44,62%).


Globo Online | 03-Mai-2016 11:00

Morre Luiz Paulo Marcolini, criador do CasaShopping

RIO - O administrador de empresas Luiz Paulo Marcolini, sócio e fundador do CasaShopping, na Barra, começou a carreira tocando o negócio iniciado por seu pai, a loja de material de construção Marcovan. A marca chegou a ter 14 unidades no país.

O CasaShopping foi aberto em 1984, tornando-se o primeiro centro comercial do país especializado em decoração, aliando marcas e profissionais focados nos segmentos de arquitetura e construção. Marcolini apostava no crescimento do Rio em direção à Zona Oeste. “Sempre achei que o futuro da cidade, agora presente, caminhava para a Barra”, dizia ele.

Em 2013, o empreendimento passou por uma expansão, que recebeu um investimento de R$ 200 milhões. Ao todo, são 160 lojas e 208 salas comerciais e espaços corporativos, que fazem do shopping uma referência do estilo carioca de de decoração.

Os três filhos de Marcolini seguiram os passos do pai no CasaShopping. Flávia é diretora executiva do empreendimento; Bruno, diretor operacional; e Fernanda integra o conselho de administração.

Luiz Paulo Marcolini faleceu ontem, aos 71 anos, por complicações decorrentes de um câncer. Além dos filhos, deixa mulher e seis netos. O velório será realizado hoje, a partir das 13h, no Memorial do Carmo, no Caju.


Globo Online | 03-Mai-2016 11:00

Marisa Monte e Leoni fazem show em escola ocupada no Leblon

RIO - Os cantores Marisa Monte e Leoni resolveram nesta segunda-feira dar uma força aos estudantes da rede estadual, que, desde março, ocupam escolas para reivindicar melhorias no ensino e na infraestrutura dos colégios. À tarde, os dois fizeram um show para cerca de cem alunos que estão acampados na Escola Estadual André Maurois, no Leblon, uma das primeiras da Zona Sul a aderir ao movimento. Com um violão e uma caixa de som, Marisa cantou em pé, durante meia hora.

Por determinação da Secretaria estadual de Educação, as escolas ocupadas entraram em férias ontem. Sem ter avançado nas negociações, o governo optou por suspender o calendário das 67 unidades onde há acampamentos. Os cerca de 76 mil jovens afetados terão as aulas repostas em agosto deste ano, durante as Olimpíadas, nos sábados do segundo semestre de 2016 e em janeiro de 2017.

Leoni contou que foi convidado pelos estudantes da André Maurois, que abriga 2.500 alunos, para participar da “Ativação Cultural", um evento que tinha como objetivo chamar atenção para a ocupação, que há cerca de duas semanas reúne aproximadamente 200 jovens:

— Temos uma dupla função. A primeira é levar para fora da escola o que está acontecendo aqui. Não é uma bagunça, eles (os alunos) não estão destruindo nada. Muita gente acha que é isso. E, também, para os estudantes saberem que existe apoio de fora para eles — ressaltou Leoni, acrescentando: — A ocupação pode até ser ilegal, mas não é imoral.

O poeta Chacal também participou do evento e conversou com os jovens. Marisa Monte apareceu de surpresa e saiu desejando que os alunos “continuem na luta”. Uma das jovens que assistiu ao show disse que os estudantes não vão desistir da ocupação, apesar de as férias terem sido antecipadas:

— As férias antes da hora, determinadas pelo governo, nos pressionam, mas percebemos que temos o apoio de muita gente. Com garra, não vamos desistir — disse Giovanna Passos, de 18 anos. escolas ocupadas 08/04

A estudante Gabriela Lizaraso, de 17 anos, faz coro. Para ela, as férias antecipadas são uma tentativa de esvaziar o movimento. Mas ela garante que os alunos não vão desanimar:

— A participação de quem não é aluno, como artistas, nos traz a força que precisamos para persistir.

Devido às férias, os 67 colégios ficarão sem receber, no mês de maio, verba de merenda e manutenção e serviço de limpeza. O cartão dos estudante será suspenso, e docentes não precisarão assinar a frequência.

PRIMEIRA OCUPAÇÃO FOI NA ILHA

Ontem, os alunos na André Maurois diziam que, entre outras reivindicações, exigem salas de aulas com recursos tecnológicos e menos de 40 estudantes por turma; aumento da carga horária de sociologia, filosofia e espanhol; implantação de simulados bimestrais para o vestibular; melhorias na infraestrutura dos colégios e eleições diretas para direção.

A primeira escola a ser ocupada no Rio foi a Mendes de Moraes, na Ilha do Governador, no dia 21 de março. Logo em seguida, a Gomes Freire, na Penha, aderiu ao movimento, que, além de pedir melhorias para os alunos, apoia a greve dos professores, iniciada no início de março. No dia 4 de abril, mais três escolas estaduais foram ocupadas: Visconde de Cairu, no Méier; Heitor Lira, na Penha, e Euclydes Paulo da Silva, em Maricá, deixando sem aulas cerca de 7.500 jovens. O ritmo de ocupações, que começou lento, ganhou força logo em seguida. No dia 13 de abril, duas escolas da Zona Sul do Rio, a Amaro Cavalcanti, no Largo do Machado, e a André Maurois, no Leblon, foram ocupadas. O movimento, que tinha na semana anterior, 11 imóveis afetados, passou a ter 36.

— As condições são péssimas, as salas estão sem ar-condicionado e são duas funcionárias para limpar o colégio inteiro. Também queremos incluir mais matérias no currículo. Estamos no 3º ano do ensino médio e não temos professor de sociologia desde o primeiro ano. Não temos base para o Enem, por exemplo — dizia uma aluna, sem se identificar.

O movimento não é unânime. Foi criado o grupo “Desocupa já”, formado por alunos que pedem a retomada das aulas. Ele é liderado por um jovem do Heitor Lyra e a Secretaria de Educação diz que está se esforçando para encontrar alternativas. Além de buscar espaços novos para montar escolas provisórias, ela está aceitando transferências de alunos, quando há vagas em escolas não ocupadas.

Segundo a Secretaria de Educação, grande parte das reivindicações dos alunos já foi aceita, inclusive as que envolvem o corpo docente. Serão abonadas as graves ocorridas entre 1993 e 2016 e não haverá desconto da paralisação deste ano. Dentre as demandas dos alunos, já foi atendido que as disciplinas Filosofia e Sociologia passarão a ter dois tempos em 2017. Já está também na Assembleia Legislativa um projeto de lei para que o diretores de escola sejam eleitos, como querem os estudantes, pela comunidade (professores, pais e alunos). O aumento para os professores, porém, não está sendo cogitado, o que estaria impedindo o avanço nas negociações.


Globo Online | 03-Mai-2016 03:52

Ricardo Amaral lança aplicativo Rio Book Maravilha em São Paulo

SÃO PAULO - O empresário Ricardo Amaral lança, nesta segunda-feira em São Paulo, o aplicativo Rio Book Maravilha. O aplicativo, resultado do trabalho com José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, traz um roteiro de lugares e experiências na cidade maravilhosa.

- Nesse aplicativo elegemos pontos interessantes da cidade, de botequins aos mais sofisticados restaurantes e cartões-postais. É um norteador tanto para o turista quanto para o carioca que vai sempre aos mesmos lugares. A ideia é mostrar o quanto o Rio tem coisas interessantes - conta Amaral.

Desenvolvido em parceria com o Estúdio Infoglobo, núcleo especializado em curadoria e produção de conteúdo para marcas da Infoglobo, o APP Rio Book Maravilha traz o olhar de Boni e Amaral, que circularam por dez regiões da cidade, do centro à Barra, e elegeram lugares, restaurantes, passeios e experiências. O app conta também com apoio da Prefeitura do Rio de Janeiro.

- Pensamos o aplicativo em conjunto com o Boni e o Amaral. O Rio está no foco por causa das Olimpíadas, é uma cidade cosmopolita e o guia traz lugares para fugir do óbvio. A perspectiva é fazer algo semelhante em São Paulo - diz André Chaves, head of digital da Infoglobo.

Disponível em três idiomas (português, inglês e espanhol) o app pode ser baixado gratuitamente por usuários de Iphone, Android e Ipad. Também é possível acessar as dicas no site www.riobookmaravilha.com.br e no dia 10 de junho um guia pocket será encartado na versão impressão do GLOBO.

No evento, que acontece no Banana Café, no Itaim Bibi, a partir das 19h desta segunda-feira, Ricardo Amaral também lança o seu novo livro "A Cara do Rio", junto com a publicitária Raquel Oguri.


Globo Online | 02-Mai-2016 23:54

Com 13,7 graus, município do Rio registra a madrugada mais fria do ano

RIO - A madrugada desta segunda-feira foi a mais fria do ano no município, de acordo com o Alerta Rio. Segundo o sistema da prefeitura, foi registrada a temperatura de 13,7 graus às 4h15m, no Alto da Boa Vista, na Zona Norte. A maior sensação térmica foi de 28,5 graus na estação de Irajá, às 13h45m.

Este ano, o último recorde de frio foi de 15,9 graus registrado na madrugada da sexta-feira passada também no Alto da Boa Vista.

A temperatura desta segunda-feira é ainda menor ainda do que marcaram os termômetros durante o outono de 2015, quando a mais baixa foi de 14 graus, em junho.

O tempo permanece estável na cidade nesta segunda-feira, devido à atuação de um sistema de alta pressão. Segundo a meteorologia, não há previsão de chuva.

Nesta terça-feira, o sol deve aparecer entre nuvens. A temperatura deve permanecer estável, com a máxima de 30 graus, e a mínima, de 15 graus.

A frente fria chegou à cidade na terça-feira passada trazendo chuva, depois de 26 dias de estiagem, que deram uma cara de verão ao outono carioca.


Globo Online | 02-Mai-2016 23:22

Justiça obriga repasse de verba para o Hospital Pedro Ernesto em 24 horas

RIO - Uma liminar da Justiça garantiu o repasse de R$ 3.526.738,20 à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) para complementar o valor necessário à manutenção dos serviços do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe). Durante uma reunião na manhã desta segunda-feira, a direção e o corpo clínico decidiram fazer o possível para manter o funcionamento da unidade, apesar da falta de repasses.

Segundo a liminar, obtida através de uma Ação Civil Pública da Defensoria Pública, o pagamento deverá ser feito pelo governo estadual no prazo de 24 horas, a contar da intimação. O montante estabelecido pela 6ª Vara de Fazenda Pública do Rio completará a quantia necessária ao custeio da unidade, que recebeu R$ 3.500.000, no dia 29 de abril, dos R$ 7.026.738,20 que deveria ter recebido no início do mesmo mês.

A juíza Mabel Christina Castrioto Meira de Vasconcellos deferiu antecipação de tutela de urgência, fixando pena de multa diária de R$ 10 mil em caso de descumprimento. Além disso, a magistrada estabeleceu que, a partir de agora, o estado libere o valor integral para a Uerj até o dia 27 de cada mês.

— Em razão do noticiado, essa impontualidade nos repasses traz a possibilidade de paralisação dos serviços (...). Não se pode aceitar que o Estado deixe de repassar verbas essenciais para a manutenção dos serviços do hospital universitário, sem vislumbrar que essa omissão não encontra justificativa na mera desculpa de falta de recursos —, escreveu a juíza na decisão.

Para a coordenadora do núcleo de Tutela Coletiva da Defensoria, Thaisa Guerreiro, a decisão afasta a ameaça de fechamento da unidade.

— A decisão é de suma importância porque encerra um ciclo de insolvência financeira que acometia o Hupe, restringindo a prestação de importantes serviços de saúde pelo Hospital, e o conduzia ao seu fechamento, o que acarretaria, por certo, grave desassistência populacional, dada a importância histórica do Hupe que reúne serviços de alta complexidade para todo o estado.


Globo Online | 02-Mai-2016 22:27

Operação detecta despejo irregular de esgoto na Lagoa Rodrigo de Freitas

RIO - Uma operação da Secretaria municipal de Meio Ambiente e da Cedae detectou despejo de esgoto na galeria pluvial que deságua na Lagoa Rodrigo de Freitas, na manhã desta segunda-feira. Foram vistoriados o posto de combustível Ipiranga da Rua Mario Ribeiro, o Shopping Leblon e o Jóquei Clube Brasileiro. A escolha dos estabelecimentos, segundo a secretaria, atendeu às denúncias das associações de moradores da região e informações sobre dano ambiental de ações anteriores da Cedae.

De acordo com informações divulgadas pela Secretaria de Ambiente, foi constatado o despejo de esgoto do Shopping Leblon na galeria pluvial. Um teste químico indicou a presença de amônia relativa à poluição. No Jockey Club Brasileiro, a ação detectou o despejo de urina na rede de água da chuva que deságua na Lagoa. No Posto Ipiranga, que possui licença ambiental, não houve flagrante, “mas há indícios do despejo ocasional e vazamento de óleo na operação do lava-jato”, informou a nota.

Os estabelecimentos foram advertidos e terão o prazo de 72 horas para sanar o problema e apresentar sua documentação à Secretaria municipal de Meio Ambiente para abertura de processo. O não cumprimento poderá gerar multa com valores entre R$ 500 e R$ 10 milhões e a interdição total do local.

Procurado, o Posto Ipiranga informou que uma bomba localizada dentro da caixa de esgoto apresentou problemas, mas que fará tudo o que for necessário para resolver o problema dentro do prazo estabelecido.

O Shopping Leblon afirmou que suas caixas de rede pluvial não possuem nenhuma interligação com a rede de esgoto, sendo exclusivas para drenagem de águas de chuva. “O teste realizado foi feito em uma caixa fora das dependências do centro comercial e que possui contribuições de outros estabelecimentos. No momento da vistoria, os técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e da CEDAE verificaram que as caixas internas da rede pluvial do shopping, que são ligadas à caixa externa vistoriada, estavam vazias e sem nenhum fluxo de água, o que confirma que não há nenhuma contribuição do shopping para a contaminação identificada”, diz trecho da nota.

O Jockey Club ainda não se pronunciou sobre o caso.


Globo Online | 02-Mai-2016 22:02

Rompimento de tubulação de gás complica trânsito na Via Binário

RIO - Uma tubulação de gás foi atingida durante obras do Porto Maravilha, na tarde desta segunda-feira, na Via Binário, na Zona Portuária do Rio. Por questões de segurança, a descida do Viaduto do Gasômetro para a Via Binário ficou interditada no sentido Centro. Segundo a assessoria de imprensa do Porto Maravilha, o problema aconteceu na na altura da Rua Cordeiro da Graça, na altura da Rua Equador, por volta das 15h20m.

A via foi liberada ao tráfego de veículos, no entanto, uma faixa permanece bloqueada para reparo na tubulação. O trânsito segue com lentidão no trecho.

Em nota, a CEG informou que sua rede de gás foi atingida acidentalmente durante obras na Rua Cordeiro da Graça, próximo ao número 158, no Santo Cristo. Segundo a companhia, técnicos já controlaram o escapamento de gás e permanecem no local para finalizar o reparo.

De acordo a Concessionária Porto Novo, bombeiros também estão no local, e agentes de trânsito orientam os motoristas a seguirem pela Avenida Francisco Bicalho.

Em nota, a Ceg informou que sua rede de gás foi atingida acidentalmente durante obras na Rua Cordeiro da Graça, próximo ao número 158, no Santo Cristo. Segundo a companhia, técnicos já controlaram o escapamento de gás e permanecem no local para finalizar o reparo.

Esta não foi a primeira vez que o estouro de tubulação interditou o trânsito na Via Binário. Em julho do ano passado, uma rede de gás da CEG foi atingida durante obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), na Rua Equador. Na ocasião, uma faixa da via e a saída do Viaduto do Gasômetro para a Via Binário chegaram a ficar interditadas por cerca de duas horas.


Globo Online | 02-Mai-2016 21:28

Procuradoria recorre ao STJ pedindo condenação de Pezão por improbidade

O Ministério Público Federal (MPF) recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) em processo que pede a condenação do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), por ato de improbidade administrativa como prefeito de Piraí (RJ), cidade que ele governou entre 1997 e 2004. A ação, também proposta contra o ex-secretário municipal de administração Paulo Maurício Carvalho de Souza, tem origem na compra de ambulância para o município.

A Procuradoria Regional da República da 2ª Região (PRR2) sustenta que os gestores descumpriram a lei de licitações ao comprar ambulância dividindo a aquisição em duas: do veículo e mão de obra para adaptá-lo para ambulância. Ainda de acordo com a procuradoria, a medida lhes permitiu licitar por meio de convite, sem tomada de preços de mercado, o que motivou um prejuízo de R$ 14,5 mil – valor do convênio federal de 2000, ainda sujeito a atualização monetária.

O recurso da procuradoria já havia sido negado pela 3ª Seção do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2). Caso a decisão do TRF2 seja reformada pelo STJ, poderá ser aplicada a pena da perda de direitos políticos, uma das sanções previstas para a improbidade.

O governador, que está licenciado devido ao tratamento contra o câncer, está internado desde a última quinta-feira no Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo.

Pezão não quis se pronunciar sobre o assunto.


Globo Online | 02-Mai-2016 20:04

Três jovens são assassinados a tiros dentro de bar em Nilópolis

RIO - Três jovens foram mortos a tiros, na madrugada desta segunda-feira, num bar da Estrada João Evangelista de Carvalho, no município de Nilópolis, na Baixada Fluminense. Segundo testemunhas, homens chegaram disparando no local e o crime pode estar ligado à disputa pelo tráfico de drogas da região. A

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) informou que uma equipe foi enviada para o local e encontrou mortos Dayvison Leonardo Figueiredo de Oliveira, de 22 anos; Everton Soares de Oliveira, de 19; e Marcelo Oliveira Neves, de 18 anos.

A Polícia Civil fez a perícia no local, e agentes da unidade fazem investigações para apurar as circunstâncias e a autoria do crime.


Globo Online | 02-Mai-2016 19:32

Dê o mundo de presente com um Vale-Viagem

A gerente de processos, Vanessa Ribeiro, ficou surpresa e curiosa ao receber uma caixa contendo um cartão como prêmio por ter se destacado na empresa onde trabalha. Mas não era um simples cartão. O presente era um Vale-Viagem no valor de 2 mil reais, que ela usou para realizar o sonho de passar alguns dias com o namorado na cidade de Natal.

— Em vez de ganhar roupas ou objetos, fui presenteada com momentos especiais que vou guardar na lembrança para sempre – diz Vanessa.

No fim de 2015, Ana Paula Barros, que atua na área de logística de uma empresa em São Paulo, resolveu reunir os dois irmãos para presentear seus pais com uma viagem. Como Dona Célia e Seu João nem sabiam ainda para onde ir, o trio resolveu adquirir um Vale-Viagem e carregá-lo com um valor suficiente para que o casal passasse uma semana no Nordeste. O passeio deverá se concretizar em junho ou julho próximos, quando Dona Célia e Seu João embarcam para Porto Seguro, na Bahia.

— Achei ótimo porque o sistema funciona como uma poupança de viagem, na qual as pessoas vão carregando com quantias até atingir o valor ideal. E os presenteados ainda têm a liberdade de escolher o destino – afi rma Ana Paula.

O Vale-Viagem é um cartão pré-pago que pode ser utilizado em produtos da CVC, como pacotes, hospedagem, passagens aéreas, aluguel de carros e seguro viagem. Ele tem sido muito procurado por quem quer surpreender com algo especial, fora do comum, como fi zeram a empresa de Vanessa e a família de Ana Paula.

— As situações mais frequentes para se presentear com o Vale-Viagem são: casamento - quando amigos se unem numa “vaquinha” para proporcionar a lua de mel dos sonhos aos noivos -, aniversários, Natal, formatura e, principalmente, Dia das Mães - diz Carolina Stucchi, gerente de Serviços de Valor Agregado da CVC. Cada cartão tem um código único e basta ter esse número para inserir novos créditos, possibilitando, então, que mais de uma pessoa o faça.

Não há teto para esses depósitos, mas é necessário que eles sejam de, no mínimo, 200 reais. E essa quantia pode ser parcelada no cartão de crédito pessoal do cliente em até 6 vezes. Já o presenteado tem até 18 meses para trocá- la por produtos na CVC.

— Mas o cliente não precisa embarcar nesse período, ele pode agendar a data de saída para depois. O prazo é para o uso do crédito e não para embarque – explica Carolina Stucchi.

O cartão pode ser utilizado tanto para destinos nacionais como internacionais. De acordo com a gerente da CVC, Miami e Orlando aparecem em primeiro lugar na preferência dos turistas que querem viajar para o exterior, seguido por Punta Cana e Cancún. Em território nacional, cidades do Nordeste como Natal, Maceió e Porto Seguro, são as mais visadas.

Leia mais:

Lugares perfeitos para combinar romance com turismo

Destinos diferentes para curtir o verão europeu

Intercâmbio reúne estudo e lazer para todas as idades


Globo Online | 02-Mai-2016 19:19

Mesmo sem verba, servidores do Pedro Ernesto decidem manter funcionamento

RIO - Mesmo sem receber os repasses de verba acordados com o governo do estado, os servidores do Hospital Universitário Pedro Ernesto, em Vila Isabel, na Zona Norte do Rio, decidiram fazer o possível para manter o funcionamento da unidade. A decisão foi tomada em reunião na manhã desta segunda-feira entre a direção e o corpo clínico. Links_pedro-ernesto

Desde meados do ano passado o hospital vem sofrendo com a falta de repasses da chamada verba de custeio, que inclui pagamento de insumos e funcionários terceirizados. No início do ano, profissionais de limpeza chegaram a paralisar os serviços e o atendimento na unidade foi prejudicado. Com isso, em março, a direção do hospital fechou acordo com o governo para o repasse de R$ 7 milhões mensais para o custeio. Segundo a direção, no entanto isso não tem sido cumprido.

O governo afirma que dos R$ 7 milhões, pagou cerca de R$ 3,5 milhões. De acordo com o vereador Paulo Pinheiro (PSOL), membro da comissão de Saúde da Câmara, que participou da reunião na manhã desta segunda, do valor que o estado alega ter pago, apenas R$ 2,7 milhões seriam para o custeio. Outros R$ 667 mil são destinados ao pagamento de médicos residentes, e esse custo não está incluído no acordo celebrado para o pagamento dos R$ 7 milhões mensais. Segundo ele, a decisão de mantém o hospital funcionando pode não durar muito tempo.

— O corpo clínico decidiu manter as portas abertas, mas não se pode prever por quanto tempo. Se o estado não pagar, não se pode exigir que o pessoal da limpeza continue trabalhando sem receber sequer o vale transporte. Não se pode obrigar o pessoal da cozinha a trabalhar sem receber nem mesmo o valor para a própria alimentação. Se as empresas que fornecem os terceirizados não forem pagar, não se sabe se quanto tempo eles vão continuar trabalhando — afirma Pinheiro.


Globo Online | 02-Mai-2016 18:07

Esquina de papelaria tem histórico de homofobia em Laranjeiras

RIO - Os sucessivos episódios de pichação na papelaria Macris, localizada na Praça São Salvador, em Laranjeiras, na Zona Sul do Rio, conforme adiantou o colunista Ancelmo Gois, não foram as únicas demonstrações de ódio na região. De acordo a artista visual Rafaela Monteiro, que fez uma pintura no portão do estabelecimento, após o primeiro ato de vandalismo, a esquina entre as ruas Senador Corrêa e São Salvador, onde fica a papelaria, é conhecida por um histórico de agressão a casais homossexuais.

— Aquela esquina tem vários relatos de homofobia. Inclusive já xingaram verbalmente o senhor Luiz, dono da papelaria — disse a artista, que pintará novamente o portão da Macris nesta segunda-feira, às 18h. O evento já tem cerca de 500 pessoas confirmadas.

Ainda segundo a artista, o dono da loja, de 90 anos, ainda não prestou queixa sobre as pichações com mensagens de ódio. Ela conta que ele teme sofrer agressões, já que desconfia que os vândalos residem na região do entorno, que engloba os bairros de Laranjeiras e do Flamengo. Portão da papelaria Macris


Globo Online | 02-Mai-2016 17:04

Aplicativo lançado por alunos da UFRJ incentiva caronas na universidade

RIO — O ato de ficar com o polegar virado para o lado implorando por algum transporte está com os dias contados. Pelo menos para alunos, professores e funcionários da Cidade Universitária da UFRJ, na Ilha do Fundão. O aplicativo Caronaê, desenvolvido por estudantes da Escola Politécnica, da Coppe e da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da universidade, pretende encurtar o caminho para quem busca uma maneira mais rápida — e sustentável — de chegar e sair da região.

Lançado no início de abril, o aplicativo funciona como uma espécie de classificados de caronas. Os motoristas divulgam quantas vagas têm em seus carros e as rotas que vão fazer. A partir daí, quem tiver interesse se candidata ao assento no veículo e combina com o motorista como será a dinâmica do processo. Dez pontos de encontro estão espalhados pela Cidade Universitária.

— O acesso ao programa só está franqueado a quem está regularmente registrado na UFRJ. Esta medida garante privacidade e segurança ao sistema. As pessoas ficam mais tranquilas para oferecer e para pedir carona — conta Ronaldo Balassiano, professor de Engenharia de Transportes da Coppe/UFRJ e tutor do projeto.

O Caronaê recebeu financiamento após vencer o concurso Soluções Sustentáveis 2014, patrocinado pelo Fundo Verde, que incentiva projetos de sustentabilidade dentro do campus. Balassiano acredita que, além de gerar impacto positivo ao meio ambiente, o aplicativo ainda pode deixar as carteiras um pouco mais recheadas:

— Vamos reduzir a demanda de carros que chegam à universidade. Com menos carros, reduzimos os congestionamentos e a emissão de CO2. Além disso, quando deixamos o veículo dois ou três dias em casa, percebemos que sobra mais dinheiro no nosso bolso no fim do mês.

Em apenas três dias de uso, foram realizados 3.500 downloads e oferecidas mais de 400 caronas. A meta, segundo um dos responsáveis pelo projeto, o aluno de Engenharia Civil da Escola Politécnica Michel Balassiano, é alcançar toda a comunidade universitária.

— São 75.000 pessoas. Este é o nosso número potencial. Acreditamos que o uso exclusivo na UFRJ terá uma influência pequena, mas deve reduzir o trânsito na região. Este projeto significa que é possível tirar ideias do papel para melhorar a vida das pessoas — conta Michel, que não tem parentesco com o professor tutor da iniciativa.

Um dos critérios da competição que financiou o desenvolvimento do Caronaê foi a capacidade de replicação do aplicativo em outras situações e contextos.

— Assim como fizemos na Cidade Universitária, o projeto pode ser usado em outras áreas, como, por exemplo, no Jardim Guanabara. É um bairro onde tem muita gente saindo de carro todos os dias. Saem da Rua A ou da Rua B, que são próximas, e vão para o Centro do Rio. Desde que haja oferta de carona, as coisas começam a acontecer — afirma Ronaldo.


Globo Online | 02-Mai-2016 12:00

Niterói define aplicação de recursos de empréstimo da CAF

NITERÓI - O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, anunciou na última sexta-feira como serão distribuídos os recursos obtidos através do empréstimo da Cooperação Andina de Fomento (CAF), que vai financiar o Programa Região Oceânica Sustentável (PRO-Sustentável). Os US$ 100 milhões (R$ 350 milhões, com a cotação do dólar desta sexta-feira) devem começar a ser liberados em junho, após a assinatura do contrato. Eles serão aplicados principalmente em obras de drenagem e pavimentação.

Seguindo o prefeito, dois projetos de urbanização receberão cerca de metade dos recursos. A drenagem e pavimentação de todas as ruas do Engenho do Mato, Santo Antônio e Maravista ainda não pavimentadas vai custar R$ 90 milhões. O mesmo valor será aplicado na requalificação do entorno da TransOceânica, que transformará em um binário a Avenida Raul de Oliveira Rodrigues, que corta vários bairros da região, e construirá praças e parques em toda a extensão do corredor BHLS. Segundo Rodrigo Neves, esses investimentos devem concluir a urbanização da Região Oceânica.

— Com o empréstimo, 100% das ruas da Região Oceânica terão asfalto e drenagem — afirma.

Mais R$ 25 milhões serão usados na ampliação da infraestrutura ciclística da área: serão construídos 57 quilômetros de ciclovias, nove bicicletários cobertos e outros 100 descobertos. Outros R$ 12 milhões vão custear a criação do parque Orla Piratininga, que vai requalificar o entorno da lagoa de mesmo nome, tornando-a um atrativo turístico e de lazer. Apesar dos investimentos, não há garantia de que a lagoa seja despoluída. O projeto está sob responsabilidade do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), que tem tido suas atividades prejudicadas por conta da crise fiscal do governo do estado. Apesar dos problemas, Rodrigo crê que o plano não será adiado definitivamente.

— Foi assinada uma matriz de responsabilidades institucionais na gestão da lagoa, envolvendo estado, município, Águas de Niterói e Clin, com o objetivo de aperfeiçoar o sistema de limpeza urbana, a coleta seletiva e o combate ao despejo irregular de esgoto na lagoa, em parceria entre o Inea e a Águas de Niterói. Não tenho dúvida que essas ações e a matriz de responsabilidade na gestão do Parque Orla Piratininga vai contribuir decisivamente para a recuperação — diz.

A renaturalização do Rio Jacaré também está no escopo do projeto, e deve consumir outros R$ 10 milhões. O valor inclui o custo de possíveis remoções de famílias que vivem às margens do curso d’água. Outros projetos, como a criação de programa de gestão das praias e dos parques, a estruturação de plano estratégico de gestão ambiental da Região Oceânica e a construção de um Centro de Referência em Sustentabilidade Ambiental Urbana também serão beneficiados pelos recursos.


Globo Online | 02-Mai-2016 12:00

Projeto audiovisual celebra mulheres ligadas a tradições culturais

RIO — Todo mundo tem sua caixinha pessoal, aquela onde guarda as coisas mais preciosas, seja um objeto de infância, uma carta ou um retrato. Foi esta a ideia que as artistas Tatiana Devos Gentile e Laura Tamiana resolveram explorar em seu projeto cíclico “Retrato: substantivo feminino”. Desta vez, a proposta é mergulhar no universo de mulheres representantes do Jongo da Serrinha, do Cavalo Marinho, do Reinado e do Batuque de Umbigada. Foram realizadas uma série de oficinas de criação coletiva de retratos, em fotografia e vídeo, além de intervenções pela cidade.

É a primeira vez que a dupla realiza esta ação no Rio. Para muitas participantes, foi o primeiro contato com a fotografia.

— O ponto de partida do trabalho é o encontro: de olhares, de histórias, de percepções e de tempos. O retrato é proposto como um processo lento e cuidadoso de fabricação de uma subjetividade como forma de contar uma história — diz a carioca Tatiana, há sete anos na estrada com o projeto, patrocinado pela Secretaria municipal de Cultura do Rio de Janeiro.


Globo Online | 02-Mai-2016 12:00

Atriz levanta a bandeira da gentileza em hospitais

RIO — “Sou um palhaço muito ruim”, declarou com toda a modéstia a atriz Julia Pastore, moradora do Méier. Pode até ser que a profissional ainda esteja aperfeiçoando sua arte de levar o público às gargalhadas, mas a quantidade de sorrisos que ela e sua trupe já colheram por aí é digna de aplausos. A mensagem levada às instituições nas quais o grupo faz uma intervenção artística distribuindo buquês de flores é singela: “A flor é uma arma poderosa. Você pode usá-la para mudar a vida de alguém. Não se apegue a ela; não é sua. Repasse-a e faça outra pessoa sorrir”. Há seis anos, Julia leva o projeto a hospitais, estimulando pacientes e funcionários a perpetuarem um movimento que chama de resgate de gentilezas. O próximo a recebê-las, nesta terça e quinta, será o Nise da Silveira, no Engenho de Dentro.

Para esta temporada da campanha #umaflorumsorriso, Julia convidou mulheres artesãs do Engenho de Dentro, do Engenho Novo e de Paciência a produzirem os arranjos das flores, feitos de papel crepom. A meta é confeccionar quatro mil peças para as ações que devem se estender até junho.

As intervenções artísticas, com direito a música e palhaços, são realizadas há 12 anos, e, em hospitais, há seis. Pediatria, geriatria e psiquiatria são as alas escolhidas para o ato.

— Principalmente as crianças, quando ouvem a buzina do palhaço, se conectam de imediato. É mágico. Para quem está numa cansativa espera para ser atendido, receber uma flor é como se esse tempo angustiante fosse menor. O problema é a burocracia para realizar as intervenções em certos lugares — diz Julia.

A atriz começou o trabalho voluntário sozinha e foi captando outros colegas, até que, este ano, o projeto ganhou edital para patrocínio da prefeitura.

— Trabalho com palco também, mas minha linguagem favorita é a da intervenção, do olho no olho. Em vez de numa salva de aplausos, é um sorriso ou uma lágrima que você desperta. Procuro ir a locais carentes de um contato mais humano. Essa troca é o que mais importa — diz a atriz, que já teve experiência com autistas.

Julia leva para a vida a máxima que aprendeu com seu mestre, Marcio Libar: “Ou ri de si ou Rivotril”. E agora, numa parceria com ele e com Ademir de Souza — fundador do Doutores da Alegria e responsável pela preparação do elenco de #umaflorumsorriso —, ela promove oficinas gratuitas para palhaços, extensivo a profissionais de saúde dispostos a abraçar a causa.


Globo Online | 02-Mai-2016 12:00

Mansão com história de amor vira cenário para festas e casamentos

NITERÓI — Construído por um engenheiro inglês no fim do século XVIII, o casarão de três andares localizado na Estrada Fróes 166-B foi, durante 14 anos, o cenário do grande amor vivido pelo casal espanhol Olga e Armando Valles, aquele das máscaras de políticos e de famosos. Com vista para a Baía de Guanabara e em estilo neoclássico, o imóvel, agora, tem as portar abertas para celebrar o início de novos amores.

— A casa foi construída numa época em que as pessoas davam muitas recepções, e por isso já tem infraestrutura própria para eventos. A única alteração que fizemos foi a construção de mais dois banheiros — conta Renata Miranda, responsável pelos eventos no local ao lado de Eliana Oliveira.

O casarão foi batizado de Espaço Barcelona. No último sábado, data em que é comemorado o Dia dos Namorados na Espanha, a área de 2.600 metros quadrados recebeu cem pessoas para um evento que simulou um casamento e serviu como uma espécie de teste e de apresentação para fornecedores. Duas jovens participaram da encenação, como noivas: uma chegou de lancha, e a outra percorreu a mansão até o altar, montado na área externa, como se tivesse se arrumado no terceiro pavimento da construção.

— O evento foi um sucesso! Todos ficaram encantados com o imóvel e a vista. Esse é um dos espaços mais promissores para eventos na cidade e no Rio. Muitos profissionais nos garantiram isso após o evento — declara Eliana.

O novo nome do casarão é uma referência à cidade de origem dos proprietários do imóvel. As organizadoras explicam que o local tem capacidade para receber 250 pessoas. Em casamentos, o imóvel poderá ser ocupado de diferentes maneiras: a noiva pode apenas se arrumar no imóvel, a festa pode ser realizada apenas na área externa ou ocupar ainda o segundo andar, que tem três ambientes integrados. O espaço pode ainda ser utilizado como local da noite de núpcias.

— A casa tem sua identidade, mas nunca um casamento será igual ao outro — garante Renata.

A realização de um casamento no local custa a partir de R$ 200 por pessoa, incluindo bufê, decoração, bebidas e DJ. Para que a construção se mantenha preservada, em todos os eventos será contratada a mesma equipe de luz e de som.

— Temos fornecedores que respeitam a estrutura, ajudando na sua preservação. O bufê e a decoração poderão ser feitos pela empresa que o cliente quiser; no entanto, haverá algumas regras a serem seguidas — explica Eliana.

Em agosto, o Espaço Barcelona receberá uma noiva para se arrumar apenas. O primeiro casamento está marcado para setembro.

— A atmosfera da casa é romântica, e se casar num lugar que foi palco de um grande amor já é uma bela forma de começar — diz Renata.


Globo Online | 02-Mai-2016 12:00

Salões oferecem pacotes de beleza para quem está a caminho do altar

NITERÓI — Não são apenas os preparativos do casamento que devem começar a ser pensados com antecedência. Com a cabeça a mil, muitas noivas se esquecem de cuidar da própria aparência e deixam para fazer isso em cima da hora.

No Espaço Cláudia Miranda, as noivas podem escolher pacotes de tratamento feitos a partir de 60, 30 ou sete dias antes do casório. Eles incluem limpeza de pele e massagem modeladora, entre outros serviços, e têm preço mínimo de R$ 370. Há também opções para a véspera do casamento, como massagem relaxante, spa dos pés e hidratação facial.

— Há tratamentos de corpo que podem ter início até seis meses antes. Tudo depende da disponibilidade da noiva — afirma Cláudia Miranda, dona do estabelecimento.

A esteticista Karine Auer, do Walter’s Coiffeur Niterói lembra que, na véspera do casamento, é importante evitar procedimentos novos ou que possam causar alergia ou reações mais fortes, como os peelings, por exemplo. Um dia antes, ela recomenda uma revitalização facial (R$ 115), que conta com higienização, máscara aromática e massagem facial, e uma massagem corporal (R$ 110) para hidratar a pele.

No Squasso Centro de Beleza e Spa, as noivas têm um espaço exclusivo. A sala assinada pelo arquiteto Ricardo Campos tem espaço para banhos, massagens, tratamentos faciais e corporais, procedimentos para o cabelo e as sobrancelhas, maquiagem, manicure, pedicure e depilação. Pacotes diferentes podem ser escolhidos pelas clientes, com custo a partir de R$ 1.800.

Proprietária do Finesse Studio, no Jardim Icaraí, Natalia Motta mantém há nove anos uma equipe com maquiador, cabeleireiro e manicure a fim de preparar a noiva para o tão aguardado momento. O Dia da Noiva do Finesse Studio, que custa a partir de R$ 750 e dura cerca de três horas, inclui penteado, um peeling não abrasivo que prepara a pele para a maquiagem, pé e mão.

— Fornecemos toda a comodidade para que a noiva não tenha que ficar se deslocando pela cidade. Aquelas que quiserem também podem nos contratar para permanecermos na festa e garantir os retoques necessários. Nesse caso, o valor é combinado na hora — diz Natalia.

Karla Costa Make Up e Equipe Bela Delivery também fazem a maquiagem e o cabelo das noivas onde elas desejarem. O pacote custa R$ 1.200.

CONTATOS

Espaço Cláudia Miranda

Tel.: 3608-2626

Finesse Studio

Tel.:2610-1545

Karla Costa e Equipe Bela Delivery

Tel.: 96480-7471

Squasso Centro de Beleza e Spa

Tel.: 2714-1111

Walter’s Coiffeur Niterói

Tel.: 2620-1495


Globo Online | 02-Mai-2016 12:00

Mãe e filha comandam a cozinha da MP Tortas Boutique

RIO - O dom de cozinhar parece estar no DNA da família Percílio. Quando inaugurou a MP Tortas Boutique, há sete anos, Marlene trazia na bagagem uma de suas melhores referências: as memórias da infância. A goiana cresceu em meio às panelas da avó e da mãe, que teve um restaurante.

— Na época, a gastronomia não era tão divulgada, mas sempre me fascinou. Aquelas misturas, a alquimia... — lembra Marlene.

As receitas do MP Tortas BoutiqueA chef tem formação em Letras, e deixou de dar aulas para se dedicar ao lar. Começou na gastronomia com doces para as festas das filhas Camila e Juliana. Foi só depois de receber elogios das amigas que decidiu montar uma cozinha industrial de pâtisserie e buscar cursos para se profissionalizar. A oportunidade do próprio negócio, ao lado de Juliana — que cursou Economia e Letras, mas também cedeu à gastronomia —, originou a loja da MP Tortas, onde as duas dividem a cozinha e o menu. Harmonia, ressalta Juliana, é um tempero infalível:

— Você sabe com quem está lidando e pode confiar. Sabe como proceder, e isso gera uma cumplicidade. Tudo flui mais rápido.


Globo Online | 02-Mai-2016 12:00

Goji berry é segredo em salada de semolina

Ingredientes

250g de semolina de trigo duro; 250ml de água filtrada; 1 colher de café de sal; 4 colheres de café de azeite extravirgem; 1 colher de café de curry; 1 abobrinha pequena; 1 cenoura pequena; 1/2 berinjela; 30g de aipo; 20g de uva-passa preta ou amarela; 20g de goji berry; 10g de ciboullete; 10g de hortelã.

Modo de preparo

1. Coloque a semolina em um bowl.

As receitas do MP Tortas Boutique2. Ferva a água e adicione à semolina.

3. Depois, acrescente o azeite, o sal e o curry.

4. Mexa com um garfo e deixe hidratando por cinco minutos.

5. Adicione o goji berry e deixe hidratar.

6. Cozinhe no vapor a berinjela, a cenoura e a abobrinha.

7. Misture e acrescente os outros ingredientes.

8. Tempere com sal e pimenta e sirva.


Globo Online | 02-Mai-2016 12:00

Junte lombinho, linguiça e frango e aprenda a fazer um empadão Goiano

Ingredientes

Massa: 350g de farinha de trigo; 170g de manteiga gelada; 2 gemas; 80ml de água gelada; 2 pitadas de sal. Recheio: 100g de peito de frango em cubos cozido; 100g de lombinho suíno; 100g de linguiça defumada cozida; 8 azeitonas verdes sem caroço picadas; 50g de palmito cortado em cubos (ou de guariroba); 2 ovos cozidos e cortado em cubos; 3 batatas inglesas cozidas e cortada em cubos; 100g de queijo de minas; 4 tomates maduros sem pele e sem semente; 1 cebola média cortada em cubos; 2 dentes de alho; 20ml de azeite; 30g de salsinha picada; pimenta-do-reino a gosto. Para pincelar: 1 gema.

Modo de preparo

1. Massa: peneire a farinha em um bowl, adicione a manteiga e misture com as pontas dos dedos até a mistura ficar com a aparência de migalhas de pão.

As receitas do MP Tortas Boutique2. À parte, bata com um garfo as gemas e adicione a água e o sal.

3. Bote essa mistura no centro do bowl e misture com o garfo até conseguir modelar a massa como uma bola.

4. Embale a massa em um papel-filme e bote na geladeira por 30 minutos, no mínimo.

5. Recheio: na mesma panela em que as carnes foram cozidas, reserve a água e adicione o azeite, os tomates, a cebola e o alho e cozinhe em fogo baixo.

6. Cozinhe até formar um molho espesso.

7. Em seguida, acrescente a salsinha picada e a pimenta.

8. Coloque as carnes e cozinhe por mais dez minutos.

9. Desligue o fogo e acrescente

os outros ingredientes. Corrija o sal.

10. Montagem: abra pouco

mais da metade da massa na fôrma e acrescente o recheio.

Em seguida, cubra com o restante da massa.

11. Pincele com uma gema.

12. Leve ao forno por 25 minutos a 180°C.


Globo Online | 02-Mai-2016 12:00

Clássico, porém diferente, torta de chocolate com brigadeiro gourmet noir se destaca

Ingredientes

Massa: 390g de açúcar refinado peneirado; 250g de manteiga em temperatura ambiente; 5 ovos separados em gema e clara em temperatura ambiente; 360g de farinha de trigo; 180g de chocolate em pó (ou achocolatado); 10g de fermento; 5g de essência de baunilha; 1 pitada de sal; 200ml de suco de laranja. Recheio: 1 lata de leite condensado; 10g de manteiga; 200g de chocolate ao leite em barra picado. Cobertura: 225g de chocolate 70% cacau; 250ml de creme de leite fresco; 30g de manteiga sem sal derretida; 30ml de brandy ou rum.

Modo de preparo

1. Massa: misture a manteiga com o açúcar até formar um creme.

As receitas do MP Tortas Boutique2. Em seguida, adicione as gemas, uma por uma, e a baunilha e bata.

3. Peneire os ingredientes secos em um bowl até ficarem homogêneos e misture com a massa.

4. Adicione o suco de laranja aos poucos. Bata as claras em neve e incorpore à massa.

5. Unte uma fôrma com manteiga e farinha (aro 22cm) e acrescente a massa.

6. Leve ao forno por 25 minutos a 180°C e abaixe o fogo ao final.

7. Recheio: numa panela, leve ao fogo baixo a manteiga e o chocolate, até derreterem.

8. Depois, acrescente o leite condensado, mexendo bastante até o brigadeiro ficar num ponto cremoso.

9. Reserve e deixe esfriar até rechear a torta.

10. Derreta o chocolate em banho-maria (ou no micro-ondas).

11. Em seguida, acrescente a manteiga e o brandy, usando um fouet para mexer.

12. Ferva o creme de leite fresco e adicione à mistura.

13. Montagem: após rechear, leve a torta à geladeira por duas horas.

14. Depois, adicione a cobertura.


Globo Online | 02-Mai-2016 12:00

Pezão reage bem a tratamento, mas permanece internado

RIO - O governador licenciado Luiz Fernando Pezão permanece internado no Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo. Segundo o último boletim médico, divulgado neste domingo, ele reage bem ao tratamento com antibióticos, usados para tratar de uma infecção cutânea. Na última quinta-feira, Pezão à unidade de saúde às 20h30m, com febre. Em março, ele foi diagnosticado com um câncer linfático e, desde então, já passou por dois ciclos de quimioterapia. Segundo o oncologista Daniel Tabak, é normal ter febre após as sessões.

Na última sexta-feira, o governador falou por telefone com a produção do RJTV. Pezão disse que está bem e que "não é fácil" lidar com a quimioterapia.

- Já passou - disse Pezão sobre a febre - Estou aqui fazendo outros exames. Estou bem, estou bem. Mas não é fácil, não, a quimioterapia - concluiu.

Pezão tem reagido bem ao tratamento para combater um linfoma não-Hodgkin anaplásico de células T-alk positivo. Trata-se de um tipo de câncer no sistema linfático que afeta o sistema de defesa do organismo.

Pezão, que planejava voltar ao trabalho na última quarta-feira, ficará mais um mês afastado do Palácio Guanabara por decisão médica. A licença foi prorrogada por Daniel Tabak e pelo cardiologista Cláudio Domênico: eles querem que o governador complete as primeiras etapas do tratamento contra o câncer sem trabalhar.

O governador foi internado pela primeira vez no dia 12 de março, após reclamar de fortes dores no rosto e na coluna lombar. Duas semanas depois, ele deu início ao primeiro de oito ciclos de quimioterapia. É necessário um intervalo de pelo menos 21 dias entre os ciclos, pois o organismo sofre efeitos colaterais do tratamento. Este mês, Pezão raspou a cabeça, antecipando-se à queda de cabelos provocada pela ação dos medicamentos.


Globo Online | 01-Mai-2016 22:25

Grávidas falam de suas expectativas para receber os filhos

RIO - É uma experiência para os fortes. Ou para as fortes, no caso. Com a cabeça agitada por preocupações atuais, como crise econômica e política, zika e H1N1, e pelas de sempre, como se dividir entre cuidar da casa, trabalhar e reservar um tempo para si e suas relações, eis que a mulher se prepara para o momento em que sua vida mudará completamente: aquele em que se tornará mãe. Mas quem embarca nessa aventura garante que tudo vale a pena quando se percebe o movimento sutil de um chutezinho na barriga, e, mais tarde, quando se experimenta a felicidade de ter um pequeno ser aninhado em seus braços.

Em homenagem ao Dia das Mães, no próximo domingo, O GLOBO-Barra pediu a quatro moradoras da região que compartilhassem com os demais leitores a sua expectativa diante dos desafios e das delícias da maternidade. São mulheres que se dizem prontas para ver suas rotinas viradas de cabeça para baixa num intervalo de no máximo 40 semanas, e estão loucas por este momento. Com vocês, a comentarista Kyra Grace, a dermatologista Laura Milidiu, a coach Milla Pádua e a recepcionista Paula Patrícia e Silva.

EM BUSCA DE UM NOVO NOME FORTE

A segunda filha da ex-lutadora Kyra Gracie, de 30 anos, grávida de quatro meses, será a terceira do ator Malvino Salvador. E, se depender da faixa preta de jiu-jítsu, o casal ainda vai botar mais meninas no mundo. Todas com nomes fortes.

— Quero ter outras. E falo no feminino porque o Malvino nasceu para ser pai de mulher. Na minha família, é tradição batizar filho com nome forte, porque, se ele for lutador, já terá esse diferencial. Mas, como meu bisavô teve 21 filhos, está difícil, porque já pegaram os melhores — brinca a mãe de Ayra, de 1 ano e 7 meses, que ainda não sabe como chamar o segundo bebê.

A situação do país, porém, tira o humor de Kyra, comentarista dos canais SporTV e Combate. Há três anos morando no Brasil, desde que se aposentou dos tatames, ela já cogitou voltar para o exterior:

— A instabilidade econômica e política e a falta de segurança me incomodam. Tenho Green Card e posso me mudar para os Estados Unidos, mas o trabalho do Malvino é aqui. As novas doenças também me deixam preocupada, mas não sou neurótica. Tomo suplementação para melhorar a imunidade, mas não deixo de sair nem uso burka!

PROJETO FAMÍLIA

Habituada a fazer parte de uma família grande, Laura Milidiu, de 35 anos, optou por um curto espaço entre as duas gestações. A pequena Alice, de 1 ano e 5 meses, ainda não entende as transformações no corpo da mãe, grávida de sete meses, ou que Arthur está a caminho. A vontade de Laura sempre foi ter três filhos, desejo que compartilha com o marido, Eduardo Henrique de Oliveira.

Estar grávida, conta, é um constante aprendizado. É entender os limites do próprio corpo e perder temores de quando se é marinheira de primeira viagem.

— A segunda barriga a gente tem menos medo de dar errado. Uma já deu certo. Parece que passa um pouco mais rápido e que é um pouco menos estressante. A gente relaxa um pouco mais — diz Laura.

Nem tudo sai como planejado. O casal, junto há seis anos, queria que desde os primeiros meses Alice se tornasse fã de rock. Na prática, o que funciona para dar um descanso (aos pais) são as canções da Galinha Pintadinha. Ser mãe, sem dúvida, é aprender a ser flexível. Na primeira gravidez, Laura conseguiu conciliar o trabalho como dermatologista na clínica que mantém perto de casa, no condomínio Barra Life, e o planejamento para passar o máximo de tempo com os filhos segue firme. Seja qual for a mudança na rotina, os ajustes valem a pena, garante:

— Quando a gente busca um filho na creche e ele vê, sorri, abre os bracinhos e diz “mamãe”, vale todo o sacrifício.

DOIS É BOM, E TRAZ FELICIDADE

Ser mãe nunca foi um grande sonho para a coach de boa forma e emagrecimento Milla Pádua. Tudo mudou, entretanto, quando ela conheceu o marido. Apaixonada, e certa de ter encontrado o parceiro ideal para iniciar uma família, ela não demorou para encomendar a chegada do primeiro filho, Lucca, hoje com 2 anos. Entre o casamento e a emoção do teste positivo de gravidez foram enxutos três meses. Disposta a dar uma companhia ao filho, Milla logo engravidou novamente. Curtindo os oito meses de sua segunda gestação, a coach aguarda a chegada de Manuela de forma mais confiante, mas confessa sentir um frio na barriga ao lembrar que em breve mergulhará numa nova experiência.

— Ainda não sei como é ser mãe de menina, mas vou criá-la da mesma forma, sem essa coisa de brincadeira de menina e de menino — diz a moradora do Recreio.

Preocupada com a violência, Milla pensa em se mudar do Rio.

— Somos muito caseiros e nos adaptaríamos em uma cidade menor. Se tiver um cinema e uma boa academia, já está ótimo — garante a mamãe.

Não que lhe falte coragem para enfrentar as dificuldades:

— Por ser uma coach, aprendo no dia a dia que podemos encontrar soluções para todos os problemas. Tem crise, tem violência, e não podemos tapar os olhos, mas precisamos saber nos reinventar. Não dá para achar que teremos uma vida tranquila sempre.

A chave da felicidade de Lucca e Manuela, aliás, ela julga já ter descoberto:

— Terem um ao outro é o que vai garantir a felicidade dos meus filhos. Foi isso que eu escolhi proporcionar a eles.

A MAGIA DO SONHO REALIZADO

As mãos levemente apoiadas na barriga ressaltam o cuidado com que Paula Patrícia e Silva, de 39 anos, espera a chegada do primeiro filho. A gravidez é um sonho que vem desde a adolescência e tomou forma há seis meses. A vida em ritmo agitado cede espaço ao encanto. Moradora da Praça Seca e trabalhando como recepcionista no Centro, Paula se ajustou à nova fase. Uma das principais lições que aprendeu é ter paciência, seja para esperar um ônibus mais vazio ou cultivar novos hábitos. Antes mesmo de chegar, Max Júnior traz pitadas de magia para Paula e o marido, Max Alan Ferreira Lopes, conta a futura mãe:

— Quase não me lembro de mim antes da gravidez. Estou vivendo intensamente. É tão diferente o presente agora,tendo uma vida sendo gerada dentro de mim... A gente cuida dos detalhes.

Embora se sinta nas nuvens, os dois — há seis anos juntos, dos quais três casados — mantiveram os pés no chão ao planejar a gravidez e fortaleceram a parceria na hora de tomar decisões. Organizaram-se financeira e emocionalmente para desfrutar o momento.

— Está sendo mágico. Nós nos estruturamos, e a gravidez veio no momento certo — conta Paula.


Globo Online | 01-Mai-2016 19:20

Suspeito de prender menor em poste é baleado no Arpoador

RIO - Um dos suspeitos de amarrar um menor infrator em um poste em 2014 no Flamengo, na Zona Sul do Rio, foi baleado na madrugada de sábado. Leonardo Bollinger Scherer, de 23 anos, deixava a boate Cave, no Arpoador, também na Zona Sul, quando foi atingido por dois disparos.

Ele foi levado para o Hospital municipal Miguel Couto, na Gávea, onde passou por uma cirurgia no abdômen. De acordo com a Secretaria municipal de Saúde, o quadro de Leonardo é estável e ele se recupera na enfermaria da unidade.

Segundo a delegada titular da 13ª DP (Ipanema), Patrícia Paiva de Aguiar, um procedimento foi instaurado para apurar as circunstâncias e o autor dos disparos. Os agentes fazem diligências na região para ouvir testemunhas e obter mais informações sobre o crime.

Leonardo é apontado pela polícia como um dos participantes da agressão ao adolescente no Flamengo. Na ocasião, o menor foi amarrado nu ao poste e afirmou ter sido agredido por um grupo de jovens. Ele foi socorrido pela artista plástica Yvonne Bezerra de Melo, coordenadora e fundadora do projeto Uerê (ONG que oferece educação a crianças e adolescentes com dificuldades de aprendizagem decorrentes de traumas).

Pouco tempo depois, o adolescente agredido foi apreendido ao tentar assaltar uma turista em Copacabana. Na época, de acordo com a Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat), o jovem foi capturado após abordar uma turista canadense e outro inglês.

Em fevereiro deste ano, outros dois jovens — também suspeitos de terem participado da ação em que o adolescente foi amarrado ao poste —, foram detidos com meio quilo de maconha, em tablete, em São Cristóvão, na Zona Norte do Rio. Eles foram identificados como Raphael Silva Fernandes dos Santos e Oliver Quaresma Silva. Raphael possui passagens pela polícia por crimes de associação criminosa, lesão corporal leve, sequestro e cárcere privado, receptação e corrupção de menores. No caso de Oliver, não há informações de anotações criminais.

Em outubro de 2014, dez pessoas foram presas durante ação da polícia para combater o tráfico de drogas na Zona Sul do Rio. Segundo a polícia, entre os detidos e 44 investigados por relação com a quadrilha estavam jovens que participaram da agressão ao menor no Flamengo.


Globo Online | 01-Mai-2016 16:57

Agentes da PRF impedem roubo de carro em Itaguaí

RIO - A Polícia Rodoviária Federal (PRF) recuperou um carro roubado, na manhã de domingo, logo após o veículo ter sido levado por assaltantes numa rua próxima à Rodovia Rio-Santos (BR-101), em Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio. Os agentes da 3ª Delegacia (Itaguaí) faziam uma ronda na rodovia, quando viram um carro com dois homens saindo de uma rua, de ré e com manobras bruscas.

Os policiais deram ordem de prisão e perseguiram os criminosos por várias ruas do município. Durante a fuga, a dupla entrou em ruas pela contramão, atravessou a linha do trem e só parou após os pneus do carro furarem. De acordo com a PRF, os homens abandonaram o veículo, conseguiram fugir por um matagal e não foram localizados.

Ao voltar ao local do assalto, a equipe da PRF encontrou as duas mulheres vítimas dos ladrões. Elas disseram que foram rendidas pelos assaltantes, que além do carro, haviam roubado celulares e uma quantia em dinheiro. Todos os pertences roubados foram recuperados pelos policiais. A ocorrência foi encaminhada para 50ª DP (Itaguaí).


Globo Online | 01-Mai-2016 16:15

Outra tubulação se rompe durante reparo de cratera em Ipanema

RIO - Um novo vazamento surgiu numa tubulação da Cedae na manhã deste domingo, na esquina das ruas Gomes Carneiro e Teresa Aragão, em Ipanema, na Zona Sul do Rio, onde uma equipe trabalhava no conserto da cratera aberta neste sábado. Funcionários que trabalham na hora informaram que estavam terminando o serviço quando uma retroescavadeira atingiu o encanamento, de menor diâmetro. A Cedae diz que a tubulação menor também se rompeu ontem, quando o solo cedeu, mas o vazamento teria aumentado pela manhã devido ao aumento do fluxo de esgoto.

Não é raro esse tipo de transtorno na Rua Gomes Carneiro. Pelo contrário, moradores lembram que o problema é frequente. Rose Silva aponta para as marcas de reparo no asfalto por conta de afundamentos anteriores — são três em sequência, bem ao lado do que se formou ontem.

— Sempre abre buraco ali. Há pouco tempo teve outro afundamento aqui em frente — conta Rose, que trabalha há nove anos como caixa num supermercado próximo.

Enquanto funcionários da Cedae e da secretaria de Conservação trabalhavam, Cristina Leite, que mora há 53 anos a uma quadra dali, passou indignada pela cratera e criticou a falta de uma solução definitiva. Ela diz que já perdeu as contas de quantas vezes viu vazamentos semelhantes. O solo naquele quarteirão é de areia, o que agrava os afundamentos provocados vazamentos.

— É muita incompetência. Toda hora isso acontece nesta mesma rua. Vão esperar um acidente maior para resolver o problema? - reclama Cristina Leite, 53 anos.

O afundamento no cruzamento da Rua Gomes Carneiro com Rua Prudente de Morais, provocado pelo rompimento de uma tubulação de esgoto, surgiu de repente, no meio do trânsito, logo após a passagem de um ônibus pelo trecho, na tarde de sábado. Depois que o solo cedeu, uma galeria de água pluvial e outro cano de esgoto também se romperam.

Devido à obra, a Rua Prudente de Morais segue interditada, na altura da Teresa Aragão. O desvio está sendo feito pela Avenida Vieira Souto, que tem a pista junto aos prédios operando em mão dupla, entre as ruas Rainha Elizabeth e Teixeira de Melo. Antes da nova tubulação estourar, a previsão era de que o serviço da Cedae se encerrasse às 13h, de acordo com funcionários da companhia. A cratera aberta em rua de Ipanema

Para se ter uma ideia, em junho de 2012 o GLOBO noticiava: "Pela quarta vez em 6 meses, tubulação de esgoto se rompe na Gomes Carneiro."

A Cedae informou que o vazamento ocorreu em uma tubulação que está sendo retirada de operação e que sairá de carga dentro de dois meses, passando a operar em uma de material diferente, que aguarda interligação com a estação elevatória. O esgoto que passa por ali segue para o emissário submarino de Ipanema, que avança 3,6 quilômetros sob o mar até o terminal.

Segundo a companhia, uma equipe iniciou o reparo do vazamento na tubulação de esgoto no sábado e concluiu o reparo na manhã de ontem. A concretagem foi finalizada à tarde e em seguida a prefeitura ficou encarregada de colocar a camada de asfalto.


Globo Online | 01-Mai-2016 13:55

Moda para vestir a mãe e também a filha

Ao passear por um shopping ou ao simplesmente caminhar pelos calçadões de Icaraí ou São Francisco, não é difícil ver mães e filhas vestidas iguaizinhas. É a moda “Tal mal, tal filha”, que, cada vez mais, ganha adeptas. Marcas produzem coleções exclusivas para este mercado e lojas se especializam neste tipo de produto.

— Há uns oito anos algumas marcas adultas, como Maria Filó, Richards e Fit, viram que havia um mercado a ser explorado, o da moda infantil. Não era mais simplesmente vestuário infantil. Elas começaram a fazer coleções voltadas para as crianças e também versões infantis de roupas de coleções adultas — conta a consultora de moda Carolina Delboni.

Daí, explica Carolina, essa ideia foi abraçada pelas mães, que passaram a vestir suas filhas com as versões mirins dos modelos adultos que elas compravam.

— A tendência foi se espalhando. Surgiram pijamas, a PUC e Pucket fazem uns bem legais, e também moda praia. Hoje, existem também coleções voltadas para pais e filhos — continua a consultora.

A empresária Lívia Orsini, dona da Bella Flor, loja online que faz vendas via Facebook e Instagram, apostou no estilo.

— Temos um canal aberto com as clientes pelo WhatsApp. Elas acompanham a produção e fazem sugestões. Então, no nosso caso, começou com uma demanda exclusiva para roupas para festas de crianças, para a mãe e para a filha. Não uma fantasia, mas algo que remetesse ao tema, por exemplo, da Chapeuzinho Vermelho — conta Lívia.

A partir daí, a empresária percebeu que havia procura por peças coordenadas.

— Toda a criança pega e veste a roupa da mãe. A minha filha pedia para eu comprar igual também. Temos os mesmo sapatos e vestidos com as mesmas estampas das blusas. É ótimo ver a alegria que ela tem ao usar — diz Marcelle Bastos, cliente da Bella Flor.

Carolina explica que, geralmente, a iniciativa de vestir as mesmas peças parte das mães:

— Algumas amam colocar a filha vestidinha igual. Outras, já criticam. Porque a roupa, na maioria das vezes, é uma reprodução, tem as linhas de um modelo adulto. O que eu acho legal é, por exemplo, camisetas iguais. Porque, aí, basicamente, o que vai ser repetido é a estampa. É legal também adaptar, colocar um babado, fazer o vestido mais longo, etc. — diz.

A especialista, no entanto, faz uma resalva:

— Não acho legal usar essas roupas como parte da rotina. É bom transformar em algo lúdico, usar em uma data especial, fazer a criança entrar na brincadeira.


Globo Online | 01-Mai-2016 12:00

Shoppings de Niterói e região apostam em promoções para o Dia das Mães

O Dia das Mães é a segunda data do ano em que o comércio mais fatura. Só perde para o Natal. Mas, este ano, parece que nem as comemorações mais importantes escaparão da crise. Segundo pesquisa feita pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, a projeção é de uma queda nas vendas de 4,1% em relação ao ano passado. Se confirmado, o resultado será o pior desde 2004. Para atrair os clientes e tentar reduzir o prejuízo, os shoppings de Niterói e região farão em promoções.

O Plaza Shopping, no Centro da cidade, promove um sorteio em parceria com joalheria Vivara. Para participar, os clientes devem juntar R$ 300 em compras e trocar por um cupom. Serão sorteados 40 kits com pulseira, colar e pingente.

Outras lojas do shopping também fazem promoções em comemoração ao dia. O restaurante Outback presenteará as mães com uma bolsa térmica. A sapataria Soulier oferece descontos progressivos na compra de dois, três ou quatro produtos. A perfumaria L’Occitane é outra que aposta em descontos. Já a Sephora, de cosméticos dará uma mala para quem gastar mais de R$ 450.

O Itaipu Multicenter também aposta em joias. Lá, os clientes ganham um pingente de ouro e zircônia nas compras acima de R$ 800. Além disso, o shopping promove, hoje, para as crianças, a “Oficina de presentinhos para a mamãe”. Das 17h às 19h.

Já o Bay Market, como o Plaza, localizado no Centro, se juntou à blogueira de moda Mariana Bessa. Ela irá garimpar as lojas à procura de produtos de moda, cosméticos e chocolates, com preços entre R$ 50 e R$ 100. As dicas serão publicadas em vídeos nas redes sociais do shopping.

O Niterói Shopping também aposta em parcerias. Neste caso, com o Espaço Saúde da Associação Fluminense de Reabilitação. Será sorteado um dia de spa. Os interessados em participar devem pegar um cupom no balcão de informações, preenchê-lo e depositá-lo em uma urna no local. A promoção vai até 31 de maio.

Por fim, o Pátio Alcântara, em São Gonçalo, usa os Jogos Olímpicos para atrair clientes. Cada R$ 100 em compras dá direito a um cupom para o sorteiro de seis pares de ingressos de modalidades como o futebol e basquete masculinos, vôlei de praia e atletismo.


Globo Online | 01-Mai-2016 12:00

Mulheres falam das alegrias e desafios de adotar uma criança

RIO — Assim que a porta se abre na casa de Adriana Parreira, na Ribeira, os meninos Davi, de 10 anos, e Júlia, de 6, vêm correndo receber os visitantes. Embaixo dos braços, trazem orgulhosos os álbuns que reúnem fotografias deles desde antes de formularem uma memória propriamente dita. “Foi presente da mamãe”, contam os dois entre sorrisos.

O mimo foi o primeiro que Adriana deu a Davi, quando ele já tinha 5 anos de idade. Sem mais contato com os pais biológicos e vivendo em um abrigo, quis o destino que o caminho do menino cruzasse com o da jornalista, em 2011, enquanto a futura mamãe realizava um trabalho voluntário no Lar Divina Luz, na Ilha do Governador.

— Integro um grupo espírita que faz caravanas a orfanatos. Nós frequentávamos um orfanato na Ilha que fechou e me pediram para procurar outro. Foi quando chegamos ao lar onde o Davi estava. Na primeira vez que nós nos vimos, ele já chamou a mim e ao meu marido (o biomédico Caio Ramasine) de mãe e pai e perguntou se poderíamos trazê-lo para casa — relembra Adriana.

— Esta foto aqui é de quando a minha mãe fez uma festa para mim ainda no abrigo onde eu morava — conta Davi, mostrando uma imagem em que aparece ao lado de Adriana, cantando “Parabéns a você”.

— Aqui foi quando minha mãe brincou comigo e eu ainda era bem pequenininha — conta Júlia.

Apesar de conhecer a menina desde que ela mal balbuciava, a adoção demorou um pouco mais a acontecer. Ela ainda era um bebê quando Adriana e Caio faziam as primeiras brincadeiras com seu irmão biológico, o Davi. Por isso a Justiça impedia o contato entre a menina e aqueles que seriam seus pais. No entanto, assim como aconteceu com o menino, a identificação entre eles foi forte e imediata.

— A primeira vez que nós a vimos foi em uma festa de Natal. Quando a coloquei no colo, ela se enganchou em mim. Em todas as fotos daquele dia, ela aparece colada em mim, na minha cintura. Foi um grude — lembra Adriana.

Casados há oito anos na época, Adriana e Caio buscavam uma gravidez. Vários métodos foram tentados sem atingir o objetivo desejado. Até que, após acompanhar o sofrimento da mãe (injeções, remédios e frustrações), Mariana, filha de uma união anterior de Adriana, sugeriu que iniciassem um processo de adoção.

— A Mariana virou um dia e falou “Por que vocês não param com isso? Por que não adotam uma criança? É muito mais simples”. Foi neste momento que veio o clique e resolvemos correr atrás de toda a papelada — conta.

O momento mais tenso aconteceu quando os irmãos foram transferidos de abrigo, o que jogou o processo, que já estava em andamento, para outra vara judicial (os documentos saíram do Centro para Madureira). Na nova jurisdição, foram informados de que a prioridade para eles adotarem as crianças era apenas na Vara do Centro. Em Madureira, voltariam para o fim da fila.

— Ficamos desesperados. Quando conseguimos rever os meninos, eles vieram gritando: “Mãe! Pai!”. Aí foi uma questão de aguardar. A própria assistente social do novo abrigo fez um parecer positivo solicitando à juíza que pudéssemos ficar com as crianças — recorda Adriana. — Essas duas figurinhas se tornaram os maiores presentes que nós recebemos na vida.

Uma outra Adriana, também moradora da Ilha, prova que a adoção pode ser mágica para os filhos e para os pais. Quando o desejo de ter filhos aflorou no dia a dia do casal Adriana César de Brito e Sérgio Cavalcante, a realidade se mostrou mais dura que a expectativa. A turismóloga chegou a fazer intervenções cirúrgicas para tentar engravidar, mas não obteve resultado. Até que um dia Sérgio, um professor de música, deu aulas a uma criança que havia sido adotada.

— Quando o Sérgio me contou da experiência, senti alguma coisa diferente. A partir daí começamos a pesquisar sobre o assunto e a participar de grupos de adoção — relembra a mãe de Mateus, hoje com 4 anos.

O processo até que Mateus chegasse à casa do casal foi relativamente rápido. Uma semana após conseguirem o certificado de habilitação de adoção, em agosto de 2012, uma assistente social ligou para o músico para informar que havia um bebê de 6 meses que preenchia os critérios que eles procuravam. Mateus estava na Sociedade Viva Cazuza, em Laranjeiras.

Ao ver o menino pela primeira vez, a nova mãe sentiu uma conexão instantânea.

— Cada mulher tem uma necessidade. Tem aquela coisa de ver a barriga crescer, da amamentação. Mas quando o Mateus chegou, percebi que só o que eu queria era ser mãe. O Mateus nasce a cada dia. Nasce a cada coisa nova que a gente ensina — avalia.

Filho de mãe soropositiva, Mateus, aos 18 meses, recebeu o resultado negativo para o teste de detecção do HIV. Hoje, aos 4 anos, o menino já toca as primeiras notas no piano de Sérgio. “Ainda é cedo para saber se ele vai gostar de música”, observa o pai coruja.

Se ainda não dá para adivinhar a profissão de Mateus, os pais já convivem com o gênio e as manhas do garoto.

— Tem horas que ele pega as coisas e diz que vai morar com minha mãe porque eu briguei com ele. Dois minutos depois, ele vira para mim e diz: “Mamãe, você é a coisa mais linda da minha vida!”. Aí fico toda derretida. Ser mãe é um desafio — diverte-se Adriana, que recomenda a experiência.

Quem quiser saber mais sobre o processo que transformou a vida das duas insulanas pode se informar na Vara da Infância e Juventude da sua jurisdição. Os moradores da Ilha devem ir à Avenida Rodrigues Alves 731, no Santo Cristo. O processo de habilitação para adoção é aberto para qualquer pessoa acima de 18 anos, desde que haja uma diferença mínima de 16 anos entre o adotante e o adotando.

— Há uma série de etapas preparatórias em que a pessoa passa de alguma maneira a reavaliar tudo o que ela pensa sobre paternidade e sobre a questão da aproximação com filho — conta Erika Piedade, psicóloga da 1ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso do Rio.

COMO ADOTAR

Processo legal. Quem opta pela adoção deve se dirigir à Vara de Infância e Juventude da sua região para saber quais os documentos necessários para se habilitar ao processo. É preciso ter, no mínimo, 18 anos e respeitar a diferença de 16 anos entre adotante e adotando.

Petição. É necessário fazer uma petição, preparada por um defensor público ou advogado. Só depois de aprovado, o nome é habilitado a constar dos cadastros de pretendentes à adoção.

Curso e avaliação. O curso de preparação psicossocial e jurídica para adoção é obrigatório. Há ainda entrevistas com assistentes sociais e psicólogos para traçar um perfil dos pretendentes. O resultado é encaminhado ao Ministério Público e à Justiça.

Certificado. A partir do laudo da equipe técnica da vara e do parecer do Ministério Público, o juiz dá a sentença. Com o pedido acolhido, o nome do pretendente à adoção é inserido nos cadastros, válidos por dois anos em todo o território nacional.

Uma criança. Assim que surge uma criança compatível com o perfil indicado, a Vara de Infância avisa aos pretendentes. Se houver interesse, promove-se o encontro da família com ela. Durante este período, a convivência é monitorada.

Uma nova família. Se o relacionamento correr bem, o pretendente ajuiza uma ação de adoção. Ao entrar com o processo, é dada a guarda provisória do menor. Quando o processo é finalizado, o juiz profere sentença de adoção e determina a lavratura do novo registro de nascimento, já com o sobrenome da nova família.


Globo Online | 01-Mai-2016 12:00

Alex Cohen retorna aos palcos da Barra em show eclético e dançante

RIO — No início dos anos 2000, um cantor ainda pouco conhecido do grande público, tornou-se um fenômeno dos bares da Barra, cantando e tocando ao vivo. Não demorou muito para que a voz afinada de Alex Cohen e sua habilidade com o violão despertassem o interesse de gravadoras e alcançassem fãs por todo o país. Com shows lotados e músicas românticas em trilhas sonoras de novelas, o músico se diz reconhecido ao público do bairro onde mora há 14 anos e teve suas primeiras oportunidades. Na próxima sexta, ele volta com um show dançante aos palcos locais, via Anexo Rio Brasa, ao lado, como diz o nome, da churrascaria homônima, na Avenida Ayrton Senna.

Com três álbuns lançados, Alex subirá ao palco na sexta com um setlist eclético, para fazer o público dançar. Além de sucessos românticos — sua marca registrada —, fará covers de grandes estrelas nacionais e internacionais, como Jota Quest, Maroon 5 e Bruno Mars.

— Meu show é eclético, com o objetivo de fazer todo mundo se mexer. Diante de todas as crises que estamos enfrentando, quero levar alegria às pessoas, sem deixar de lado minha personalidade — diz o cantor.

Entre um hit e outro, o artista testará a reação do público diante de novas composições, criadas no estúdio de gravação que montou em casa. Quatro delas farão parte de um novo EP, ainda sem nome definido, a ser lançado até o fim do primeiro semestre, com repertório dançante. Um novo DVD, o terceiro de sua carreira, também está a caminho.

Influenciado pela música dos anos 1980 e fã de Beatles, Pink Floyd, Roberto Carlos e Lulu Santos, o cantor tem feito uma média de 12 shows por mês, em diferentes regiões do país, e reclama da falta de espaços de médio porte na Barra e nos bairros vizinhos.

— Nesta área temos várias casas de shows que comportam grandes públicos, de milhares de pessoas. Mas são poucos os que possibilitam ao artista ficar mais próximo do público. Estou muito satisfeito com o Anexo Rio Brasa, com capacidade para 200 pessoas, que propicia esse contato direto, mais intimista — diz Cohen, revelando que a interação com o público é o tema de uma das novas músicas.

Ao lado de seus instrumentos inseparáveis, como o violão e a guitarra, o intérprete de “Dona” planeja novas apresentações no local.

— Estamos fechando outros shows na mesma casa, sempre às sextas-feiras — comemora.


Globo Online | 01-Mai-2016 12:00

Cynthia Howlett inicia projeto gratuito de nutrição

RIO — A apresentadora de TV, nutricionista e mamãe Cynthia Howlett tem um projeto para melhorar a alimentação das crianças e vai aplicá-lo gratuitamente nos colégios do Rio. Ela começou pela escola Pedra da Gávea, na Barra, onde já existe uma cultura da boa alimentação enraizada e seu filho Rodrigo, de 4 anos, estuda. Na última quarta-feira, ela trabalhou com os pequenos, e, na próxima quarta, às 20h, dará uma palestra para os pais. O encontro será aberto ao público, mas as vagas são limitadas, e a confirmação deve ser feita com antecedência.

Na escola do filho, ela integrou o projeto “De que cor é a sua fome?”. Cynthia trabalhou com alunos com idades entre 2 e 3 anos, período no qual as crianças começam a ficar mais seletivas e recusam alguns alimentos.

— De forma lúdica, o trabalho passou pela cozinha, com a preparação dos alimentos. Eles experimentaram os alimentos com os olhos vendados, sentiram o sabor, tocaram na comida, para sentir a textura, e levaram receitas para casa — explica Cynthia.

Trabalhar com os pequenos não foi novidade para a nutricionista, que tem crianças e adolescentes em casa (além de Rodrigo, ela é mãe de Manuela, de 9 anos, e vive com as enteadas Gabriela, de 16, e Sofia, de 17). O segredo, segundo Cynthia, é não radicalizar nas restrições alimentares.

— As crianças são superreceptivas, e as reações são muito espontâneas. Experimentar novos alimentos é um mundo novo para elas, e, apesar de uma aparente resistência, é preciso insistir neste contato e ter paciência — orienta.

São dicas como estas que a nutricionista vai dar durante as palestras que fizer.

— É para orientar os pais, para mostrar os valores nutricionais dos alimentos e a importância de escolher bem a comida em casa. E, mais importante do que alertar, mostrar soluções — diz.

A coordenadora pedagógica da Pedra da Gávea, Daniela Mello, reforça que o complemento do projeto com os pais é importante para inseri-los na realidade dos filhos.

— A família precisa estar envolvida neste contexto. A criança aprende com o que a gente faz. Não adianta o pai pedir para comer salada se ele não bota salada na mesa — enfatiza.

O trabalho está formatado, e Cynthia pretende levá-lo gratuitamente a outras escolas, públicas ou privadas. Os interessados podem entrar em contato pelo .instagram.com/cynthiahowlett ou pelo telefone 99755-4917.


Globo Online | 01-Mai-2016 12:00

VillageMall sedia edição carioca do Promenade Chandon

RIO - O VillageMall vai ganhar ares parisienses na terça-feira, com a primeira edição carioca do Promenade Chandon. Arte, moda e gastronomia se encontram no evento inspirado na Fête des Vendanges, festa que celebra a colheita da uva na França. A Cidade Luz empresta suas cores para vitrines temáticas, dita o ritmo de pocket shows e apresenta tendências em palestras e desfiles. O da Salinas, às 17h, reunirá nomes como Luiza D’Angelo, Juliana Lattuca, Lara D’Avila e Larissa Busch.

Já realizado em São Paulo, o evento terá uma edição carioca devido à identificação da cidade com a marca, diz Gabriela Moreno, diretora de marketing da Chandon Brasil.

— Fazer a Promenade no Rio é a concretização de um sonho antigo. Acreditamos que o evento tem o charme e o espírito do público carioca.

Nos corredores, os clientes serão convidados a passear por cenários temáticos. O superintendente do VillageMall, Gabriel Palumbo, diz que o evento sintetiza a arte de viver em Paris e no Rio.

— O carioca é muito receptivo a novidades. Ele abraça os eventos que nós realizamos. A programação vai atender a diversas expectativas, reunindo intervenções com arte e bate-papo — conta Palumbo.

O evento, que promete fervilhar — ou borbulhar — ainda terá uma surpresa na área externa do shopping. As vagas para as atividades são limitadas.


Globo Online | 01-Mai-2016 12:00

Palestra cancelada no Salesiano põe feminismo em pauta

NITERÓI — Três rodas de debate sobre o papel da mulher na sociedade e a luta do movimento feminista serão realizadas esta semana em Santa Rosa e no Horto do Fonseca. O movimento ganhou força após a polêmica que repercutiu nas redes sociais com o cancelamento da palestra “Feminismo pra quê? A luta do movimento feminista e a história de opressão contra as mulheres”, das historiadoras Laira Pinheiro e Talíria Petrone. O debate seria na última quinta-feira, no Colégio Salesiano, em Santa Rosa, mas o tema enfrentou resistência.

No Facebook, a página Encontrando Alegria publicou, durante a semana, uma crítica à palestra: “Muitas famílias estão ligando para a escola, pedindo o cancelamento da doutrinação, digo, da palestra. Façam a parte de vocês e resistam à lavagem cerebral esquerdista, pois eles não desistirão de corromper nossas crianças”. O conteúdo não está mais disponível na rede social.

Mestranda em Serviço Social na Universidade Federal Fluminense (UFF), Talíria Petrone diz que, após o cancelamento, um processo de mobilização surgiu entre alunos da instituição, ligada à igreja, que culminou nas rodas de conversas que ocorrerão próximas ao colégio.

— Já temos feito essas rodas e, em resposta a esse cancelamento, pensamos em garantir opções próximas à escola, num horário semelhante ao da palestra cancelada. Faremos três edições: na terça e na sexta-feira, às 14h, na Praça do Largo do Marrão, em Santa Rosa; e outra, também na sexta-feira, às 18h, no Horto do Fonseca.

Talíria afirma que, em 2014, no Estado do Rio, quase 60 mil mulheres foram agredidas, e cinco mil, estupradas. Para ela, a suspensão da palestra reflete uma onda conservadora:

— É um momento em que as pautas de repressão retomam, alguns setores mais fundamentalistas crescem. A educação, na minha concepção, é transformadora. Ela precisa contribuir para reduzir desigualdades históricas. A escola precisa assumir esse papel. Estamos falando de viver ou morrer, de garantir que o corpo das mulheres não seja propriedade masculina. Quando nascemos, por exemplo, aprendemos que existem diferenças nas brincadeiras. Queremos desconstruir isso. Escola neutra não existe, porque ela ajuda a manter as desigualdades. Escola precisa desconstruir essa situação.

“DESAFIOS DA MULHER”

Em nota, o Salesiano informou, após o cancelamento da palestra, que o objetivo do encontro “era discutir os desafios da mulher na pós-modernidade, com ênfase no mercado de trabalho”. Porém, de acordo com a escola, “uma escolha não acertada do título do evento resultou em uma série de mal-entendidos, polêmicas e debates”. O Salesiano acrescenta, ainda, que o colégio “está seguro quanto aos conteúdos trabalhados e quanto à orientação de condução cidadã e cristã, proporcionando aos alunos condições para que sejam pessoas melhores, capazes de se comprometerem com uma sociedade mais justa e fraterna”.

O colégio não atendeu ao pedido de entrevista feito pelo GLOBO-Niterói.


Globo Online | 01-Mai-2016 12:00

Niterói retoma plano de construir recife artificial em Piratininga

NITERÓI - Uma semana depois de a prefeitura ter anunciado a reforma do calçadão de Piratininga como solução definitiva para lidar com as ressacas que castigam a praia, o prefeito Rodrigo Neves mudou os planos e anunciou ao GLOBO-Niterói que um recife artificial também será construído para atenuar a força das ondas. O anúncio foi feito anteontem, um dia após um longo trecho do calçadão ter sido destruído pelas ondas. A solução apresentada agrada a moradores e surfistas, mas especialistas divergem sobre a eficácia da barreira para controlar as ondas.

Segundo o prefeito, as obras do calçadão, orçadas em R$ 10 milhões, serão realizadas com recursos próprios. Ao mesmo tempo, parte do empréstimo junto à Cooperação Andina de Fomento (CAF), aprovado na semana passada pelo Senado, será usada para elaborar o projeto executivo do recife artificial — a barreira de pedras faz com que as ondas quebrem mais longe da costa, reduzindo a força com que chegam à areia. Segundo ele, a prefeitura não pôde agir antes porque dependia das pedras do túnel Charitas-Cafubá:

— Não poderíamos fazer um projeto como os anteriores, que foram um desperdício de dinheiro. Teríamos que gastar mais recursos se não fossem usadas as pedras do túnel.

A proposta do recife foi trazida a público pela primeira vez em 2005, quando o Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH), em parceria com a ONG Preammar, desenvolveu um projeto para Piratininga. Segundo especialistas ouvidos pelo GLOBO-Niterói, a solução depende de estudos. Eles apontam ainda que aumentar a faixa de areia pode resolver o problema com menos custo.

Para Luiz Abílio Gusmão, especialista em engenharia costeira, o recife pode agravar as ressacas caso não seja bem planejado. Em sua opinião, aumentar a faixa de areia é mais seguro.

— O recife precisa ser muito bem projetado. Ele pode melhorar a situação, mas também acabar aumentando a erosão em outras partes da praia — explica o engenheiro.

O oceanógrafo David Zee, professor da Uerj, diz que o recife pode ser viável para conter as ondas. Ele, no entanto, considera que o engordamento é a técnica com melhor custo-benefício:

— O recife pode funcionar, mas aumentar a faixa de areia não sai tão caro e é mais efetivo — avalia Zee, que alerta para a necessidade de ações preventivas em áreas vulneráveis: — É preciso tomar medidas como a avaliação dos pontos frágeis ao longo da orla de Niterói, vendo os riscos de haver novos acidentes. E, quando houver risco de ressaca, interditar essas áreas, por exemplo — acrescenta.

Gonzalo Peres, presidente do Conselho Comunitário da Região Oceânica (CCRON) concorda com o aumento da faixa de areia e defende aumentar a área de restinga. Segundo ele, o projeto de reforma do calçadão anunciado pela prefeitura tem problemas.

— Chama atenção que o projeto do muro de contenção só compreenda uma parte da praia, como se as ressacas só atingissem um dos cantos. No fim da década de 1980, uma ressaca destruiu o lado oposto, que não tem muro de contenção planejado — diz Gonzalo, que pede que a prefeitura ouça a população sobre as propostas.

Já o ativista ambiental Paulo Oberlander também criticou o muro e defendeu a ampliação da faixa de restinga. Ele lembra que em Itacoatiara, embora as ondas sejam mais fortes, não há esse tipo de problema.

— O que acontece é que este ano toda a areia foi para o canto direito da praia devido ao vento. Se deixassem a restinga crescer, o problema estaria resolvido — defende o ativista.

Vereadores dedicados à questão ambiental também pedem que o assunto seja estudado e debatido antes de uma solução ser escolhida. Daniel Marques (PV), ex-secretário municipal de Meio Ambiente, diz que chegou a receber projetos de recifes durante sua gestão. Um deles, que também usaria pedras como barreira, custava R$ 6 milhões, em 2013. Para ele, o recife pode solucionar o problema.

— A gente chegou a discutir o engordamento, mas o volume de areia seria enorme e precisaria haver um estudo geológico e das marés. Pelo que já vi, é possível fazer o recife, e ele pode inclusive ajudar as espécies marinhas — opina.

Já Henrique Vieira (PSOL), presidente da Comissão de Meio Ambiente da Câmara, apoia o projeto de aumento da faixa de areia:

— Qualquer atitude tem que ser bem planejada com a população.


Globo Online | 01-Mai-2016 12:00

Escola comemora 20 anos e lança selo literário próprio

RIO - A escola Batutinhas, que chegou à Barra em setembro, acaba de lançar seu próprio selo literário. A novidade, que faz parte das comemorações de seus 20 anos, já chega no ritmo dos Jogos do Rio, com o livro “A viagem da chama olímpica”, que será lançado no colégio, no dia 4 de junho, com direito a contadores de histórias e à palestra “Os riscos do excesso de tecnologia na infância” para os pais. A publicação também estará disponível em livrarias.

— A literatura infantil é um pilar bastante importante do nosso trabalho. Neste momento em que tudo anda acelerado demais, com muitos equipamentos eletrônicos, estamos dando nossa contribuição para diminuir a velocidade da rotina das crianças, com a criação do selo Batutinhas Guarda-Chuva — conta Ana Luiza Badaró, diretora da instituição e idealizadora do projeto, que consiste no lançamento de um título a cada semestre.

Convidada para escrever o primeiro livro do selo Batutinhas Guarda-Chuva, a responsável pelo acervo literário e formação de leitores da escola, Mirna Brasil Portella, ficou empolgada com o desafio. E, sobretudo, com a repercussão dentro da instituição:

— Os alunos da escola receberam exemplares em primeira mão, e a resposta foi excelente. Eles curtiram, apropriaram-se da história da chama olímpica, ficaram bem mobilizados. Criança não se engana. Se elas não tivessem gostado, certamente demonstrariam.


Globo Online | 01-Mai-2016 12:00

Mais vantagens e economia para os assinantes no Clube O Globo

Os assinantes do GLOBO vão ganhar novos benefícios e terão a chance de economizar ainda mais a partir de agora, com a reformulação do seu programa de relacionamento com o leitor. O Clube Sou+Rio foi aperfeiçoado e agora valoriza ainda mais quem tem assinatura. A primeira mudança é de nome: passa a se chamar Clube O Globo Sou+Rio.

O programa de relacionamento firmou parcerias com marcas como Cinemark, Editora Globo, Saraiva, Casa Cruz, Drogasmil, Farmalife, Netshoes, Theatro Net Rio, Lorenzo Bistrô e Entretapas. São produtos e serviços com descontos de até 50% e uma mecânica mais fácil de usar. Em quase todos os casos, basta apresentar a carteirinha, impressa ou digital, para aproveitar. No site clubeoglobo.com.br, que foi reformulado para facilitar a experiência dos usuários, e também no app (Android e iOS), é possível conferir a lista completa de ofertas, verificar a pontuação acumulada e também ter acesso às carteiras para garantir seus descontos.

Outra grande novidade é a segmentação do Clube O Globo em duas categorias: assinantes premium (que recebem o jornal impresso, nos sete dias na semana, há mais de seis meses) e assinantes clássicos (que recebem o impresso em menos dias da semana ou são apenas digitais). Os sócios Clube Premium garantem acesso a experiências diferenciadas e benefícios exclusivos nos eventos do Globo e terão a chance de incluir até três dependentes. Além disso, eles também poderão solicitar uma carteirinha física, para receber em casa.

— O grande objetivo do Clube é valorizar o relacionamento do jornal com seus assinantes. Para isso, foi muito valioso o conhecimento profundo sobre os interesses de nossos leitores, que é um dos grandes diferenciais do GLOBO, e com isso desenhar parcerias e ofertas que realmente façam a diferença — explica Maurício Lima, diretor de Audiência da Infoglobo.

Valor pago na assinatura vira ponto

Os sócios de ambas as categorias podem utilizar o programa por meio da apresentação da carteirinha ou por resgate de pontos de uma forma bem simples. O acumulo de pontos também mudou. Agora, o valor de pagamento da assinatura é convertido em pontuação. No Clube Clássico cada R$ 1 vale 1 ponto, e no Clube Premium, cada R$ 1 vale 2 pontos. São esses pontos que permitirão o resgate de ofertas com estoque limitado, ou seja, aquelas em que não basta apresentar somente a carteirinha.

— Ganhamos novas parcerias em restaurantes, cinemas, teatros e spas, entre outros estabelecimentos. São mudanças significativas que valorizam ainda mais o assinante, reconhecendo e recompensando seu relacionamento com a marca — diz Priscila Suarez, coordenadora de Marketing de Relacionamento do GLOBO.

E não faltam novidades. Na Casa Carandaí, em qualquer compra, são 15% de desconto para sócios premium. No Lorenzo Bistrô, também para os assinantes premium, a economia é 15% na conta final a partir de R$ 150.

Além dos novos parceiros, os assinantes vão poder continuar economizando com marcas que já faziam parte do clube, como Circo Voador, Teatro Bradesco, Teatro Fashion Mall, Escola do Pão e Churrascaria Carretão.

Para quem fazia parte do Clube Sou + Rio O Globo, mas não era assinante, sua presença no programa de relacionamento valerá até que os pontos expirem ou sejam zerados pelo uso. Já para os assinantes que ainda não têm cadastro, é muito fácil aproveitar as ofertas: basta acessar clubeoglobo.com.br, preencher um rápido cadastro, fazer a carteirinha e escolher onde vai garantir seus descontos.


Globo Online | 01-Mai-2016 11:00

Cratera é aberta na Rua Gomes Carneiro, em Ipanema

RIO - Um vazamento na tubulação de esgoto provocou o afundamento de parte da Rua Gomes Carneiro, esquina com Teresa Aragão, em Ipanema, por volta das 16h45m. No local, é possível ver uma imensa cratera. Segundo moradores, a pista afundou assim que um ônibus passou.

— O motorista percebeu e conseguiu desviar do buraco. Por pouco, o coletivo não caiu na cratera — contou o garçom Fernando Faria.

Segundo o advogado Marcos Jucá, esta é a quinta vez que ocorre um vazamento de água na rua. A primeira este ano.

— É comum acontecer, mas nunca vi uma cratera tão grande. Essa via é cheia de remendos — disse.

A Cedae informou que enviou uma equipe para fazer os reparos necessários na tubulação. O serviço está previsto para ser concluído nesta madrugada.


Globo Online | 30-Abr-2016 22:54