rio-de-janeiro

Noticias

Após retirada de caminhão e limpeza da pista, descida da Serra é liberada
Veículo carregado de cloreto de alumínio tombou no km 222, diz PRF. Acidente aconteceu no início da noite de sexta-feira (24), em Piraí.
G1.com.br | 25-Out-2014 12:21

Veja a agenda dos candidatos ao governo do RJ neste sábado (25)
Pezão e Crivella disputam o 2º turno para governador. Acompanhe as atividades dos candidatos
G1.com.br | 25-Out-2014 12:21

Rio terá esquema especial de trânsito no segundo turno das eleições
Guarda Municipal e CET-Rio priorizarão fluidez nas principais vias. Áreas de lazer dominicais serão suspensas e Centro terá interdições.
G1.com.br | 25-Out-2014 12:21

Matheus Solano e Miguel Thiré estreiam peça que retrata o vício de fazer 'selfies'
Matheus Solano e Miguel Thiré estreiam, no dia 31/10, o espetáculo "Selfie", no Teatro Miguel Falabella. - Sérgio Baia/ Divulgação

RIO - A compulsão da sociedade atual pela auto exposição na internet e o desejo das pessoas de se manterem sempre on-line foram o estopim para que os atores e amigos Matheus Solano e Miguel Thiré, aliados ao produtor Carlos Grum e à dramaturga Daniela Ocampo, montassem o espetáculo “Selfie”, que estreia sexta-feira no Teatro Miguel Falabella.

— A peça é uma pequena caricatura do que a gente está vivendo. As pessoas esbarram no poste porque estão com a cara no celular — diz Solano, que vai reeditar a parceria cênica com Thiré pela quarta vez.

A peça conta a história de Cláudio (Matheus), um homem comum que vive super conectado e que faz muitas coisas ao mesmo tempo.

— Ele tem o sonho de roubar de volta a identidade dele, que está armazenada em todos esses ambientes virtuais que vemos por aí, e colocar tudo em um mesmo sistema, chamado My Claude. Só que aí ele deixa cair café no aparelho e acaba perdendo tudo. E quando o Cláudio perde o celular, ele perde a si mesmo. Tudo o que ele é e o que lembra estava no dispositivo. É aí que começa a saga — adianta o ator.

Miguel Thiré interpreta 11 personagens, que passam pela vida de Cláudio durante a peça. Solano garante não ser um fanático em celular e internet.

— Tanto eu quanto o Caruso e o Miguel não somos muitos conectados. Eu gosto de tirar fotos, mas esse negócio de selfie nunca foi do meu interesse — afirma.

“Selfie” fica em cartaz até 25 de janeiro. A peça pode ser vista de quinta a sábado, às 21h; e domingo, às 20h. O Teatro Miguel Falabella fica no Norte Shopping (Av. Dom Hélder Câmara 5. 474, Cachambi).


Globo Online | 25-Out-2014 12:00

Niteroiense Gilbert Durinho faz sua segunda luta no UFC, neste sábado
O niteroiense Gilbert Durinho, que estreia na categoria peso-leve (70kg), dará mais um passo rumo ao sonho de ser campeão no UFC - Leonardo Fabri / Divulgação

NITERÓI - Na noite deste sábado, o niteroiense Gilbert Durinho dá mais um passo importante em sua aguerrida caminhada no UFC. Em sua segunda luta no maior evento de artes marciais mistas do mundo, ele terá o privilégio de lutar em terras brasileiras, mais precisamente no Rio de Janeiro, no Maracanãzinho. Invicto na carreira, com oito vitórias, Durinho desceu de peso e enfrentará, nos leves (até 70kg), o americano Christos Giagos no UFC 179, na primeira luta do card preliminar.

— Estou muito satisfeito. Vai ser a realização de um sonho lutar pelo UFC no Rio de Janeiro, ainda mais no Maracanãzinho. A torcida vai ser ‘sinistra’ como sempre e espero que meu adversário sinta essa pressão que vai vir das arquibancadas. Venho me preparando da melhor forma possível, estou muito confiante e quero muito conquistar essa vitória — empolga-se Durinho, que teve aproximadamente um mês e 15 dias para se preparar para a luta, na academia Blackzilians, em Boca Raton, na Flórida (EUA), onde treinou, em média, cinco horas por dia.

— Eu nunca me senti tão bem preparado, não só fisicamente, mas também na parte técnica. Venho evoluindo em todos os aspectos e isso tem me deixado cada vez mais confiante e completo. Estou me dedicando bastante e quero ganhar espaço na minha categoria. Estou tendo uma ajuda muito grande dos meus companheiros. O Tyrone Spong e o Vitor Belfort estão me ajudando muito e vou chegar pronto para conquistas mais uma vitória.

A competitividade exacerbada que existe no UFC não assusta Durinho, que é especialista em chão, mas tem afiado a cada dia a luta em pé para se tornar um lutador versátil e, conforme planeja, alcançar o topo na categoria.

— Cada luta é como se fosse um território conquistado, é uma espada fincada e mais um passo adiante. Eu amo treinar, amo aprender novas técnicas e colocá-las em prática. Quero sim conquistar o cinturão e é para isso que venho trabalhando, diariamente — finaliza.


Globo Online | 25-Out-2014 12:00

Neta de Cartola leva a história do samba aos colégios da Mangueira
Exposição “Para não perder a memória” foi uma iniciativa de Nilcemar Nogueira - Angelo Antônio Duarte/ Agência O Globo

RIO - A Estação Primeira de Mangueira é quase centenária. Fundada em 1929, a escola de samba teve o compositor Cartola, nascido no ano de 1908 e morto em 1980, como um dos principais expoentes da cultura local. E muitas crianças da comunidade não têm conhecimento da história do samba mangueirense e nem da importância que a verde e rosa tem para o Rio de Janeiro.

Pensando em manter viva essa magia, Nilcemar Nogueira, diretora do Centro Cultural Cartola e neta do compositor, desenvolveu a exposição “Para não perder a memória”, que leva a história do samba, com seus mais ilustres personagens, aos pátios e salas de aula das escolas da rede pública da comunidade.

— O próprio centro cultural surgiu quando percebemos que a nossa memória estava se perdendo. A nova geração da Mangueira não conhecia nenhuma das referências. Começamos recebendo as escolas aqui, mas percebemos que havia uma dificuldade dos colégios em transportar as crianças. Então resolvemos inverter isso. Sem falar que, assim, atingimos um público muito maior — avalia Nilcemar.

Alunos da Escola Municipal Nilo Peçanha recebem a exposição - Marcelo Nogueira/ Divulgação / Marcelo Nogueira/ Divulgação

Globo Online | 25-Out-2014 11:00

Escolas usam jogos, laboratórios e xadrez como estimulo para os alunos
No Colégio Metropolitano os alunos têm aula de xadrez - Guilherme Leporace/ Agência O Globo

RIO - Cada vez mais o uso de ferramentas complementares ajuda as escolas no desenvolvimento das disciplinas básicas, principalmente nas ciências exatas, que dependem do raciocínio lógico apurado. Na Zona Norte, há exemplos de colégios que utilizam programas de computadores que simulam jogos para ensinar matemática, reativam os antigos laboratórios para ensinar química e não abrem mão do jogo de xadrez para desenvolver aptidões em várias matérias. São métodos lúdicos que ganham a aprovação de especialistas em educação.

Fundado há 83 anos, o Colégio Metropolitano é um dos mais tradicionais do Méier, e há 12 anos adotou o xadrez. O professor João Anderson Santana de Lima explica que a proposta é desenvolver o raciocínio lógico, a atenção, a concentração, a disciplina e a determinação dos alunos.

— Posso trabalhar o xadrez com os alunos de várias formas, independentemente do nível deles. A proposta não é a formação de um jogador, mas sim a melhoria do desempenho na escola — diz.

A diretora Solange Vicente enfatiza outro aspecto:

— A proposta do xadrez é o desenvolvimento cognitivo. Os alunos têm uma melhora nos aspectos emocionais e de equilíbrio — completa.

O aluno Bruno Afonso reconhece os benefícios:

— A gente precisa ter concentração e uma estratégia para jogar xadrez.

Os alunos do Colégio Faria Brito têm aulas no laboratório de química - Angelo Antônio Duarte/ Agência O Globo

No Colégio Faria Brito, também no Méier, a novidade é a reativação de um velho conhecido: o laboratório. Desde que a professora Marilza Figueira assumiu as aulas de química do ensino fundamental 2, no início do ano, começou a reestruturar o laboratório e caiu nas graças dos estudantes.

— Usamos o laboratório como complemento das aulas teóricas. Preciso dar o conteúdo em sala de aula para depois levá-los para a prática — explica, acrescentando que já fez experiências usando rochas, argila, ácidos, gás carbônico e plantas. — São materiais que podem ser facilmente encontrados na natureza ou comprados na farmácia.

O aluno Murilo Camargo, de 14 anos, que passou a gostar de química este ano, reconhece os benefícios do laboratório, mas destaca a participação da professora:

— Só o laboratório, sem uma boa professora, não traz resultado. A professora conhece bem o assunto e interage com a gente — afirma.

JOGO REFORÇA ENSINO DE MATEMÁTICA

Alunos do Colégio Pensi estudam matemática através de jogos no computador - Angelo Antônio Duarte / Angelo Antônio Duarte/ Agência O Globo

No Colégio Pensi, com unidade em Madureira, um programa de computador mudou a visão das crianças sobre a temida matemática. O Mangá High foi adotado no começo do ano e oferece exercícios em jogos. A coordenadora pedagógica Gesicle Peres explica que o programa é usado como tarefa de casa e complementa o conteúdo aplicado em sala.

— Enviamos o nosso cronograma para que o conteúdo seja alimentado no site. O aluno chega em casa e pode acessá-lo, com a vantagem de poder voltar a conteúdos que já viu ou avançar, caso já tenha aprendido o que está no cronograma — explica a coordenadora.

A competição entre os alunos, segundo Gesicle, é o maior estímulo para o acesso ao site. Além de desafios online entre alunos das 16 unidades do Pensi, as crianças disputam um ranking mundial de exercícios.

A novidade mudou o conceito do aluno Vinícius Peres, filho de Gesicle. Avesso a matemática, ele conta que costumava ficar em recuperação na matéria.

— Este ano acredito que vou passar direto — diz, comemorando o aumento médio na nota de quatro para seis pontos.

Carlos Henrique dos Santos, colega de sala dele, sempre se destacou em matemática e mesmo assim tira proveito da novidade:

— Ajuda na familiarização com os números, na concentração e no raciocínio lógico. O jogo nos dá um tempo para resolver o exercício. É como se fosse uma prova.

Psicóloga e professora do Centro Universitário Celso Lisboa, Raquel Staerke confirma que o uso de atividades lúdicas estimula o aprendizado. Ela reforça o benefício da tecnologia como aliada.

— O lúdico ajuda na materialização do pensamento simbólico e facilita a compreensão de conceitos abstratos. Isso já é reconhecido e usado desde a década de 1970. O que muda agora é a adoção da tecnologia, e sou favorável. Não podemos culpar a tecnologia pela perda de padrões comuns há 30 ou 40 anos. Temos que educar as crianças para fazer bom uso do que as novas ferramentas nos oferecem — define a especialista.


Globo Online | 25-Out-2014 11:00

Colégios entram na era digital e adotam o uso do tablet nas aulas
Os lápis dos alunos do Colégio MV1 permanecem mais tempo com as pontas afiadas - Guilherme Leporace/ Agência O Globo

RIO - Quem nasceu depois dos anos 2000 provavelmente cresceu enxergando o mundo com uma ótica diferente dos nascidos no milênio anterior. E é bem verdade que a humanidade vive em constante evolução, ainda mais se considerarmos o avanço tecnológico que nos rodeia, ancorado nas nossas necessidades e possibilidades de mudança.

As crianças de hoje mexem em smartphones antes mesmo de começarem a andar. E esse fato abre discussões para uma série de temas que envolvem o desenvolvimento da sociedade, como a educação. Diante dessa realidade, diversas instituições de ensino resolveram incorporar o uso de equipamentos digitais em seus materiais pedagógicos, a fim de se aproximarem mais dos alunos.

— O que vejo é a crescente necessidade de reestruturação curricular e implementação da tecnologia em sala de aula. O foco não deve ser a informatização da escola e sim o uso da tecnologia como uma ferramenta motivacional — aposta Nathalya Reis, psicopedagoga do Passo a Passo Educação Infantil, no Méier.

Na unidade Cachambi da rede de colégios MV1 Total; no Colégio Hélio Alonso, no Méier; e no CEL, em Del Castilho, o uso de tablets nas salas de aula já é uma realidade. A maioria das crianças dessas instituições, empolgada com os exercícios feitos por meio de um aplicativo animado, nem notou a presença da equipe do GLOBO-Zona Norte, que foi até as escolas ver de perto como os equipamentos são utilizados. E ficou evidente que os pequenos não possuem qualquer tipo de dificuldade no manuseio desses dispositivos.

O uso de tablets no Colégio Hélio Alonso foi adotado em 2014 - Guilherme Leporace/ Agência O Globo

— Começamos a nos preparar para essa mudança ainda em 2012, até porque precisaríamos de uma estrutura para usar a tecnologia no nosso dia a dia — conta Telma Xavier, diretora pedagógica do MV1.

Mas antes de estabelecer um novo formato de ensino, as escolas direcionaram o olhar ao ofício do professor. Lúcia Assis, diretora do Colégio Hélio Alonso, acredita que a especialização dos mestres é fundamental.

— Fazemos a gestão da escola e temos a tendência de nos empolgarmos com as novidades. Mas temos que entender o lado do professor, querendo sempre saber como é a mudança para eles. Aqui os professores foram treinados — diz Lúcia, citando também a resistência — Tem professor que é mais conservador, mas não podemos fechar os olhos para essa realidade. Não temos como escapar da tecnologia.

Para a Editora FTD, especializada em publicações e soluções didáticas há 112 anos, as novidades na aplicação de conteúdo pedagógico nas escolas está apenas no início.

— Se considerarmos que a educação é, em grande parte, uma tarefa institucionalizada em nossa sociedade e que as escolas e seus métodos estão configurados de acordo com a mentalidade e possibilidades do seu tempo, inclusive as possibilidades tecnológicas, não há dúvida de que estamos assistindo apenas ao começo de um processo de transformação paradigmático — afirma Fernando Moraes Fonseca Junior, gerente de inovação e novas mídias da FTD, lembrando que as novidades digitais não afetam somente a educação. — O mundo mudou fantasticamente nas últimas três décadas e demorou muito para que essa onda de transformações chegasse às escolas, depois de praticamente reescrever o modo de fazermos quase tudo em nossas vidas. De uma complexa operação cardíaca a um simples “chamar o táxi” — avalia.

PROFESSORES SE PREPARAM

A diretora Telma Xavier e a professora Nazi Angela defendem a novidade na sala de aula - Guilherme Leporace/ Agência O Globo

O professor foi o profissional mais impactado com a inserção da tecnologia digital no sistema de ensino escolar. Muitos mestres lecionam há mais de 20 anos, quando a existência de um celular com tela touchscreen e acesso à internet ainda era um grande sonho. A professora Djnane Costa, que dá aula para o 2º ano do ensino fundamental do Colégio Hélio Alonso, é exemplo.

— Essas novidades são um grande um desafio para nós. Não podemos ficar parados. O mundo mudou, as pessoas mudaram e a vida escolar também está mudando. Então temos que nos atualizar, como aconteceu ao longo dos tempos. Mas ainda estamos aprendendo muito, principalmente com as crianças — afirma a educadora.

Já Denise Fernandes, professora da unidade Cachambi do MV1, ressalta que é importante buscar o equilíbrio e não centralizar o ensino somente nas novas tecnologias.

— A mudança foi positiva porque os alunos ficam muito envolvidos com os exercícios. O interesse por parte deles é maior, e a atenção não se perde com facilidade. Mas procuro dosar o tempo de uso dos tablets. Não é todo dia que usamos o equipamento. Precisamos trabalhar com os nossos outros recursos também — comenta Denise.

Para a Nazi Angela, também professora do MV1, tablets e outras ferramentas tecnológicas vão complementar, mas não substituir o material tradicional.

— Não acredito que a lousa vá desaparecer das salas. E nem quero isso. Acho que os tablets servem mesmo como material de apoio. Além do mais, continuamos com o livro de papel — pontua a professora.

De acordo com Lúcia Assis, os pais dos alunos do Hélio Alonso aprovam o uso de equipamentos digitais na aplicação dos conteúdos do colégio. Maurício Monteiro, pai de Bruno, aluno do 2º ano do ensino fundamental, gosta de ver essas mudanças acontecendo.

— Meu filho sabe usar a tecnologia bem melhor que eu. E na idade dele eu ainda nem sonhava que isso poderia acontecer. O Bruno fica muito animado quando usa um tablet na escola, ele sempre comenta em casa — diz Maurício.

No CEL, 90% dos livros didáticos adotados pela escola estão digitalizados. Na compra do material impresso, os alunos recebem uma chave de acesso, e podem estudar diretamente em tablets e telefones celular.

— O conteúdo é o mesmo, mas com a opção de filmes, vídeos e gráficos — conta Maurício Novaes, coordenador do ensino médio. (Colaborou Carolina Callegari)

O CEL faz uso de e-books com os alunos para ajudar no contexto das aulas - Felipe Hanower/ Agência O Globo

Globo Online | 25-Out-2014 11:00

Erasmo Carlos faz show no Méier e lembra que o bairro já teve um point do rock ’n’ roll
O músico tijucano sobe, neste sábado, ao palco do Imperator - Divulgação

RIO - O número 170 da Rua Dias da Cruz, no Méier, já foi um grande reduto do rock’n’ roll carioca. Em 1959 e 1960, a juventude do gel no cabelo e das jaquetas de couro se encontrava ali para ouvir e fazer música. O tijucano Erasmo Carlos era um desses jovens frequentadores do então velho — e agora novo — Imperator. E, neste sábado, o Tremendão volta ao palco da casa de espetáculos para apresentar o show “Gigante gentil”, fruto do seu mais recente álbum de canções inéditas.

— Eu tenho um carinho muito especial pelo Méier, porque quando surgiu o rock’n’ roll o bairro foi muito importante para o movimento. A galeria do Imperator era um point. Tinha muita coisa rolando lá; dança, música, mímica. O Toni Tornado era um dos caras que faziam mímicas dos artistas da época — lembra Erasmo, que já se apresentou algumas vezes no palco do antigo Imperator, quando ainda integrava o grupo Renato e seus Blue Caps, e que vai agora para o seu segundo show após a reinauguração do local, em 2012. — Tocar no Méier é sempre muito especial. Gosto muito — acrescenta o ícone da Jovem Guarda.

“Gigante gentil” é o 28º álbum de Erasmo Carlos, que já soma 50 anos de carreira. A obra traz, na faixa “Sentimentos complicados”, a primeira parceria dele com Caetano Veloso. Além dessa canção, o álbum conta com músicas feitas com Nelson Motta e Arnaldo Antunes, antigos parceiros musicais de Erasmo.

— No show, eu toco a música que inaugura a minha parceria com o Caetano Veloso. Mas, como sempre, vou mesclar sucessos da minha vida, aqueles que as pessoas gostam de ouvir — garante.

Uma curiosidade nos shows de Erasmo Carlos, que está com 73 anos, é a presença do público mais jovem. Para o músico, ter essa plateia é fundamental.

— Isso é importantíssimo. Você tem que fazer as coisas pensando no agora, com a informação de agora. Porque aí os novos gostam do que você faz e procuram saber do seu passado — comenta.

Quem for ao show poderá ouvir também sucessos como “Gatinha Manhosa” e “Festa de arromba”. Apesar da longa experiência, o músico admite que ainda sente aquele frio na barriga que os artistas costumam ter antes de pisar no palco.

— Fico nervoso porque sempre tem amigos e família. Na verdade, eu não sei o porquê. Mas no Rio eu fico assim, faz parte — diz ele, que nasceu e foi criado na Zona Norte da cidade.

O show do Erasmo no Imperator está previsto para começar às 21h. A casa fica na Rua Dias da Cruz, 170, Méier. Os ingressos custam R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia-entrada). A classificação é de 16 anos.


Globo Online | 25-Out-2014 10:00

Comitê Rio 2016 quer levar espírito dos Jogos Olímpicos para escolas
Alunos da escola Malba Tahan, em Irajá, jogam golbol, modalidade para deficiente visual - Angelo Antônio Duarte / Agência O Globo

RIO — O legado das Olimpíadas no Rio de Janeiro é debatido sempre que surge oportunidade. Fala-se muito em instalações esportivas e na formação do atleta de rendimento, mas pouco é dito sobre os benefícios para os cidadãos. Para fazer o legado social chegar até essa “gente comum”, o Comitê Rio 2016 foca nas escolas, usando o programa “Transforma”. Os organizadores da competição querem que crianças de escolas públicas vivenciem o espírito olímpico e paralímpico, experimentem as modalidades e se engajem no maior evento esportivo do planeta.

— Também vamos levar o Transforma para as escolas privadas — adianta Mariana Behr, gerente-geral de Educação do Comitê.

O Rio 2016 fornece material didático para as escolas, qualifica multiplicadores, como professores de educação física, alunos e funcionários das escolas, leva oficinas práticas às instituições de ensino e propõe desafios para a comunidade.

— Propomos desafios com temas e a comunidade se envolve para desenvolver as atividades. Já usamos “jogo limpo” e “escola solidária” como temas, e estamos lançando um desafio para as escolas mostrarem a cidade para o mascote das Olimpíadas — acrescenta Mariana.

O professor Henrique Marcílio adotou o programa por sugestão da direção da escola onde leciona, a Malba Tahan, em Irajá, que recebeu o convite do Comitê, e fez a qualificação. Ele diz que já estimulava a prática dos esportes olímpicos entre os alunos, mas revela que o material didático desenvolvido pelo Rio 2016 ajudou no desenvolvimento das atividades.

— Conseguimos sistematizar melhor o que já fazíamos anteriormente com os alunos— afirma Marcílio.

Recentemente, o Comitê lançou o “Guia escolar paralímpico”, uma publicação única no mundo que aborda a história dos jogos adaptados e que sugere atividades para serem aplicadas nas escolas. Com base nisso, os alunos da Malba Tahan já jogaram golbol, vôlei sentado, futebol de cinco e fizeram corrida adaptada para deficientes visuais.

Para o professor, esse é o maior legado que os jogos podem deixar.

— Se os professores tiverem a atitude de agregar as atividades nas escolas, certamente vamos ter um grande legado — afirma Marcílio.

Na avaliação de Mariana Behr, a semente do legado já está plantada:

— Todos estão realmente abraçando o projeto. É gratificante ver como trabalham os valores olímpicos e paralímpicos.

O material didático fica disponível para consulta no site oficial.


Globo Online | 25-Out-2014 10:00

Motorista imita apresentador de TV e faz de ônibus da linha 415 um 'programa de auditório'
Nilton Antunes Júnior: motorista dirige imitando Silvio Santos - Carlos Ivan / Agência O Globo

RIO — Às 19h da última quarta-feira, um ônibus da linha 415 deixa a Tijuca em direção ao Leblon. No primeiro ponto, quatro passageiros fazem sinal. A porta se abre, e o motorista anuncia, com a voz do Silvio Santos:

— Olha quem chegou, sobe aqui e gire a roleta! Não é o pião, mas é a roleta do 415.

A inconfundível risada, ao imitar o apresentador, arranca sorrisos de três dos passageiros. Por último, uma mulher diz:

— Não sei o motivo de tanta alegria.

E o motorista responde:

— Se não sorrirmos para a vida, ela irá rir da gente. O que é menos doloroso?

A passageira entra calada. Dois pontos à frente, após permanecer reflexiva, salta do ônibus e grita da calçada:

— O senhor está certo, moço.

Essas são pequenas transformações que Nilton Antunes Júnior, de 36 anos, vem fazendo na vida daqueles que embarcam no seu ônibus teatral. Nascido em Nilópolis, “Silvio Santos” — como ele é conhecido na empresa em que trabalha — mora em Benfica e faz teatro há 22 anos, em busca do sonho de ser ator. Durante o percurso, anima e dá informações, por exemplo, sobre a Central do Brasil, as avenidas Presidente Vargas e Rio Branco e a Lagoa.

Para o advogado Rodrigo Queiroz, Nilton é o exemplo do funcionário dedicado:

— Ele torna a viagem mais leve, mais agradável.


Globo Online | 25-Out-2014 10:00

Itaboraí tenta privatizar água e esgoto, mas Cedae barra licitação de R$ 461 milhões na Justiça
Em Itaboraí, canal que recebe esgoto das residências cruza o bairro de Aldeia da Prata, que possui cerca de 9 mil moradores sem acesso a saneamento básico - Pedro Kirilos / Agência O Globo

RIO — Cidade que ganhou projeção nos últimos anos graças ao projeto do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), que deve começar a operar em meados de 2016, Itaboraí está sendo palco de uma batalha envolvendo serviços básicos e cifras milionárias. No mês passado, a prefeitura local lançou uma licitação para conceder à iniciativa privada o fornecimento de água, a coleta e o tratamento de esgoto do município. O edital prevê investimentos estimados em R$ 461,5 milhões nos próximos 35 anos. Mas, antes que os concorrentes fizessem suas propostas, a Cedae entrou no meio do caminho e conseguiu, no início deste mês, na 3ª Vara de Fazenda Pública, uma liminar impedindo a realização do certame. O caso agora está nas mãos da presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Leila Mariano, que analisa os argumentos dos envolvidos, para decidir se a licitação continuará ou não.

Independentemente dos rumos que a licitação vá tomar, os números que constam no Plano Municipal de Água e Esgoto, documento elaborado pela prefeitura de Itaboraí em parceria com o Polo de Biotecnologia do Rio de Janeiro, que funciona na Ilha do Fundão, impressionam. Apesar de ter a perspectiva de enriquecimento graças ao advento do Comperj, a cidade, segundo o estudo, tem apenas 1% de seus imóveis com acesso a saneamento básico. A água da Cedae só abastece 29% da população de 227.168 habitantes. O restante ficaria restrito a poços artesianos improvisados ou carros-pipa.

— Aqui, a água é toda de poço, e a impressão que dá, às vezes, é que já está contaminada pelo esgoto. O cheiro é muito forte, não temos como beber essa água — comenta Cleonice Gomes, coordenadora social da Associação de Moradores do Bairro de Aldeia da Prata, que tem cerca de 9 mil habitantes e é cortado por dois canais que recebem dejetos sem tratamento.

CONVÊNIO NO CENTRO DA POLÊMICA

O prefeito anterior de Itaboraí, Sérgio Soares, renovou em 2012 o convênio existente de parceria com a Cedae para os serviços de água e esgoto por mais 30 anos. E é esse um dos principais argumentos da empresa pública para que a parceria não seja quebrada. Em 2013, porém, com a chegada de Helil Cardozo ao cargo, foi definido que o caminho seria a licitação para a iniciativa privada. Juridicamente, ele se baseia num parecer da Procuradoria da Câmara dos Vereadores, que indicou a necessidade da aprovação de uma lei autorizativa pelo Legislativo para a renovação do convênio com a Cedae, o que não ocorreu na gestão anterior. Na terça-feira retrasada, Cardozo, que é do mesmo partido do governador Luiz Fernando Pezão, o PMDB, reuniu-se com o presidente da Cedae, Wagner Victer. A conversa teria sido em clima ameno, mas o impasse continua.

Além das questões legais, há uma disputa financeira envolvendo uma possível licitação. Empresa de capital aberto, a Cedae teme a possibilidade de perdas não só por parar de receber as tarifas, mas também porque o edital prevê que equipamentos que a empresa utiliza na captação e distribuição de água sejam usados pela futura concessionária. Recentemente, segundo o assessor jurídico da Cedae, Sérgio Pimentel, foram investidos, por exemplo, cerca de R$ 70 milhões na ampliação de uma Estação de Tratamento de Água (ETA), na localidade de Porto das Caixas. Do outro lado, Felipe Nogueira, assessor jurídico da prefeitura de Itaboraí, diz que cálculos feitos pelo município mostram que, com a cobrança de tarifas, a empresa já teria recuperado todos os investimentos feitos.

Caso a licitação vá adiante, a futura concessionária certamente terá de conviver com a Cedae. A captação de água para a população do município deve ser feita no sistema Imunana-Laranjal, usado atualmente pela empresa estatal para abastecer Itaboraí, São Gonçalo e Paquetá, além do repasse para a concessionária Águas de Niterói. Itaboraí não tem mananciais em seu território.

De acordo com o edital, que fixa uma série de metas para a futura concessionária, levará o contrato quem apresentar a melhor tarifa e o melhor projeto técnico. Mas as obrigações estipuladas não garantiriam melhorias imediatas para a população: no caso da água, por exemplo, o objetivo traçado é chegar a 80% de atendimento apenas daqui a 20 anos, em 2034. No caso do saneamento, a meta é atingir 60% dos imóveis em 2027. Com um porém: até chegar a 55%, o que está previsto para ocorrer em 2025, a concessionária não terá de investir nada. Todo o dinheiro sairá de compensações ambientais do Comperj, para as obras que serão tocadas pelo Poder Público.

Enquanto a situação segue indefinida, mesmo em áreas mais centrais da cidade, há quem pene atrás de água. Na região conhecida como Rio Várzea, a diretora da Escola municipal Francisco Luiz Gonzaga, Cláudia Ataíde, diz que recebe contas da Cedae de R$ 1,4 mil por mês em média, mas que, em quase dois anos à frente da unidade, o colégio nunca recebeu um pingo. Duas vezes por semana, um carro-pipa faz o abastecimento.

— Já vieram aqui no ano passado, falando sobre a instalação de um hidrômetro, mas não voltaram mais — afirma.

Entre os vizinhos da escola, o relato também é parecido. Moradora de região de Rio Várzea há 13 anos, a dona de casa Zoraia Marinho afirma que a água da Cedae tem dia certo para chegar. E só aparece uma vez por semana.

— Aqui é assim: a gente sabe que cai na segunda ou na sexta-feira. Quando cai na segunda, não cai na sexta, e vice-versa. Aí, temos que armazenar a água para passar o resto da semana — conta a dona de casa.

Mesmo em locais onde a água passa próximo, a falta de uma rede distribuidora adequada faz com que moradores admitam que apelam para ligações irregulares, os populares “gatos”. Um dos bairros onde o problema ocorre é o Gebara. Nos documentos anexos ao edital, a prefeitura de Itaboraí estima em 35% o índice atual de perda de água.

— A gente queria pagar conta da Cedae, mas não consegue. Então, faz “gato” mesmo. As pessoas vão e furam o cano. É assim que funciona. O problema é quando alguém faz um furo errado e dá vazamento. Aí, ficamos sem água dois, três dias, até a empresa ir lá consertar — diz um motorista de transporte alternativo, morador do bairro Gebara.

Paralelamente à disputa entre prefeitura e Cedae, este ano a Secretaria estadual de Obras contratou uma empresa para a elaboração de um projeto básico de abastecimento de água em Itaboraí e em todos os municípios no entorno do Comperj, mas informou que os trabalhos ainda não foram concluídos. Os sistemas de abastecimento de água e de tratamento de esgoto do próprio complexo estão a cargo da Petrobras.

PRIVATIZAÇÃO JÁ CHEGA A 17 MUNICÍPIOS

A polêmica em torno da concessão de água e esgoto à iniciativa privada não chega a ser novidade no estado. Em novembro de 1999, a concessionária Águas de Niterói só conseguiu assumir os serviços após decisão judicial e, no primeiro dia de operação, teve de contar com o apoio da PM para acessar o prédio-sede da Cedae no município. Antes, em 1998, a primeira a privatizar foi Petrópolis, também administrada pelo grupo Águas do Brasil.

Atualmente, há pelo menos 17 cidades no estado que realizaram a privatização dos sistemas de água ou esgoto. Um dos casos mais recentes foi o de Macaé, que acabou realizando licitação apenas para esgoto, fazendo acordo com a Cedae em relação ao abastecimento de água. Na capital fluminense, apenas o esgoto da Zona Oeste foi concedido à iniciativa privada.

Em Niterói, a concessão levou água tratada para 100% da população nos primeiros cinco anos de atuação. O tratamento de esgoto atende a 90% dos imóveis. A cidade ficou em 14º num ranking de saneamento entre as cem maiores cidades do país divulgado este ano pelo Instituto Trata Brasil. Petrópolis ficou em 29º. Por outro lado, Duque de Caxias e Nova Iguaçu, na Baixada, cujo serviço está com a Cedae, ficaram respectivamente em 93º e 95º lugar.


Globo Online | 25-Out-2014 10:00

Adolescente de 14 anos mata amigo de 16 com tiro de pistola em Belford Roxo, na Baixada

RIO — Um adolescente de 14 anos matou um amigo, de 16, com um tiro de pistola, na tarde desta sexta-feira, em uma casa no bairro de Santo Antônio de Prata, em Belford Roxo. De acordo com a polícia, ele disse que o disparo foi acidental. Os dois jogavam videogame quando o crime aconteceu, pouco depois do meio-dia.

— Os dois haviam saído comigo pela manhã. Fomos para a minha casa e, enquanto eu preparava o almoço, eles brincavam num quarto com o videogame. Só escutei o tiro — disse um tio do adolescente que fez o disparo.

Segundo a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), o adolescente contou, em depoimento, que achou a arma num baile funk na Cidade Alta, em Cordovil, alguns dias atrás. Nesta sexta-feira, decidiu mostrá-la ao amigo e, enquanto a manuseava, teria apertado sem querer o gatilho. Apavorado, ele jogou a pistola em um rio logo em seguida.


Globo Online | 25-Out-2014 01:34

Rio - 20h20: Acidente bloqueia faixa da Avenida Ayrton Senna
Acidente com moto ocorreu na altura da Avenida Jorge Curi. Motoristas enfrentavam retenções no sentido Linha Amarela.
G1.com.br | 25-Out-2014 01:24

Procon-RJ interdita fábrica de água de coco na Zona Oeste do Rio
Duas fábricas também foram autuadas por irregularidades. Havia falhas no sistema de envasamento de água de coco.
G1.com.br | 25-Out-2014 00:18

Jovem de 14 anos é suspeito de atirar e matar amigo por acidente no RJ
De acordo com a DHBF, os amigos jogavam videogame em casa de tio. Até as 19h20, não havia informações sobre quem seria o dono da arma.
G1.com.br | 25-Out-2014 00:18

Pezão vai a Nilópolis e reitera objetivo de reforçar segurança na Baixada
Candidato à reeleição reforça que sua prioridade é segurança público. Ele ainda prometeu investir em infraestrutura na região.
G1.com.br | 25-Out-2014 00:13

Crivella recebe apoio do PSB e volta a destacar que prioridade com a saúde
Candidato do PRB participou de ato em apoio à sua candidatura no Rio. Entre suas propostas, destacou também foco em geração de empregos.
G1.com.br | 25-Out-2014 00:12

Caminhão tomba e interdita descida da Serra das Araras, em Piraí, RJ
Veículo transportava cloreto de alumínio, diz PRF. Por volta das 18h50, congestionamento estava em 2 km.
G1.com.br | 24-Out-2014 23:56

Carreta em 'L' bloqueia trecho da Via Dutra em Barra Mansa, no sul do Rio

Acidente foi na pista sentido São Paulo, próximo ao bairro Cotiara. Trânsito foi liberado às 20h, congestionamento alcançou 12 km, diz NovaDutra.
G1.com.br | 24-Out-2014 23:35

Rio - 18h30: Colisão ocupa trecho do Elevado do Joá, na Zona Oeste
Carro e moto bateram no sentido Recreio. Motoristas enfrentavam retenções na via.
G1.com.br | 24-Out-2014 23:31

Rio - 18h20: Lentidão na Ponte Rio-Niterói complica trânsito no Rio
Travessia era realizada em cerca de 60 minutos. Avenida Brasil e Linha Vermelha estavam congestionadas.
G1.com.br | 24-Out-2014 23:24

Definida empresa que vai administrar o Trem do Corcovado, no Rio

Esfeco e Cataratas do Iguaçu vão compor o consórcio. Segundo contrato, R$ 121 milhões serão investidos em novos trens.
G1.com.br | 24-Out-2014 23:19

Rio - 18h: Vias do Catete continuam fechadas após incêndio em imóvel
Incidente ocorreu na Rua Pedro Américo na madrugada. Motoristas deveriam optar pela Praia do Flamengo.
G1.com.br | 24-Out-2014 23:03

Rio - 17h50: Acidente bloqueia trecho da Avenida Santa Cruz, no Realengo
Acidente com carro ocorreu na altura da Rua Francisco Real. Motoristas enfrentavam retenções no sentido Bangu.
G1.com.br | 24-Out-2014 22:49

Tiroteio assusta moradores próximos a favela na Tijuca, no Rio
Grupo Tático da UPP do Salgueiro se deparou com criminosos armados. Moradores da região relataram o confronto nas redes sociais.
G1.com.br | 24-Out-2014 22:46

Rio - 17h40: Colisão interdita faixa da Autoestrada Lagoa-Barra
Carro e moto bateram na altura do Fashion Mall. Motoristas enfrentavam retenções no sentido Zona Oeste.
G1.com.br | 24-Out-2014 22:40

Peruanos são detidos após roubarem adolescente na Zona Norte do Rio
De acordo com a PM, eles roubaram celular e mochila de adolescente. Suspeitos foram levados para a 6ª DP (Cidade Nova).
G1.com.br | 24-Out-2014 22:36

Polícia apura suspeita de estelionato em hospital onde bebê morreu sem atendimento na Baixada
Bebê morreu ao nascer: mãe esperou cerca de 40 minutos por atendimento na porta do hospital - Rafael Moraes / Agência O Globo (13/10/2014)

RIO — A Delegacia de Crimes contra a Fazenda Pública (Delfaz) informou, nesta sexta-feira, que investiga a suspeita de crimes de estelionato, falsidade ideológica, condescendência criminosa e prevaricação no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O objetivo é saber se médicos faltaram ao plantão no dia 13 de outubro. Na ocasião, um recém-nascido morreu na porta da unidade, sem receber atendimento.

Segundo a delegada Tatiana Queiroz, os médicos podem estar recebendo vantagens faltando os plantões, mas assinando as folhas de ponto. Na segunda-feira, a delegada vai tomar o depoimento do diretor do Hospital Adão Pereira Nunes e dos chefes da equipe de plantão e da enfermagem.

— Queremos saber se há profissionais obtendo vantagens ao estarem escalados para o plantão e não comparecerem para não perder o cargo público, o título e até mesmo a futura aposentadoria pública, induzindo o Estado do Rio a erro mediante ardil para satisfação de interesses pessoais — frisou a delegada Tatiana Queiroz.

A delegacia requisitou a cópia do livro de ocorrências do Adão Pereira Nunes no dia da morte do bebê, a lista dos funcionários escalados, além de esclarecimentos sobre o funcionamento do sistema de ponto dos médicos e enfermeiros plantonistas.

ESPERA DE 40 MINUTOS

A família de Aline da Silva Gomes, de 23 anos, denunciou que um médico se recusou a atender a mãe e o bebê, que estavam num carro na porta do hospital, alegando que a obrigação dele era trabalhar somente dentro da unidade. Segundo os parentes, a assistente administrativa estava grávida de seis meses e passou mal no início da manhã. O bebê teria nascido a caminho do hospital. De acordo com a família, o maqueiro apareceu para buscar o bebê e a mãe somente depois de uma espera de cerca de 40 minutos. A menina, que se chamaria Isabela, no entanto, já estava morta.

Em nota, a Secretaria estadual de Saúde informou, nesta sexta-feira, que “a direção do Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, durante as apurações preliminares do caso, viu pelas imagens do circuito interno que no momento da chegada da paciente não havia enfermeiro no acolhimento, o que foge aos protocolos de atendimento adotados pela Secretaria de Estado de Saúde em todas os hospitais estaduais. A existência de enfermeiro no acolhimento é justamente para encaminhar adequadamente todo e qualquer paciente que chega à emergência da unidade”.

A secretaria informou ainda que “vai notificar a Organização Social de Saúde (OSS) que administra a unidade por conta da ausência desse profissional e que dará sequência às apurações para abertura de inquérito administrativo para apontar as responsabilidades por este erro no protocolo de atendimento”.

Sem entrar em detalhes, a delegada Tatiana Queiroz disse que o mesmo procedimento de investigação vem sendo adotado em casos semelhantes a partir da morte da menina Adriele dos Santos Vieira, de 10 anos, atingida na cabeça por uma bala perdida no Morro do Urubuzinho, em Pilares, em dezembro de 2012. Ela foi levada para o Hospital Salgado Filho, no Méier, onde esperou por atendimento por oito horas por causa da falta do neurocirurgião Adão Orlando Crespo Gonçalves. A criança morreu 11 dias depois.

O médico foi demitido do serviço público. Apesar de se ausentar dos plantões ele fraudava as folhas de ponto para receber sem trabalhar e por isso também foi acusado de estelionato. Na época, a prefeitura puniu outros oito médicos no mesmo processo.


Globo Online | 24-Out-2014 21:46

Batida deixa dois feridos e congestiona Dutra em Porto Real, RJ
Moto e carro se envolveram em acidente no km 297, diz NovaDutra. Vítimas foram levadas para Hospital de Emergência, em Resende.
G1.com.br | 24-Out-2014 21:36

Novo consórcio que vai administrar o Trem do Corcovado investirá R$ 121 milhões em melhorias
Trem do Corcovado será modernizado após conclusão de licitação para a exploração do transporte durante os próximos 20 anos - Márcia Foletto / Agência O Globo (20/06/2014)

RIO — O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) concluiu nesta sexta-feira o processo licitatório de concessão pelos próximos 20 anos da exploração do Trem do Corcovado. O serviço continuará nas mãos da Esfeco, empresa que já atua desde 1979, mas ela terá a companhia da Cataratas do Iguaçu, que opera atualmente no Parque Nacional do Iguaçu. As duas formaram o consórcio vitorioso da concorrência, que assume o transporte ferroviário no próximo dia 9 de novembro.

Apesar de a mesma empresa continuar, a promessa é de mudanças. Estão previstos investimentos de R$ 121 milhões em novos trens, na reforma de todas as estações e modernização do sistema operacional, de rede elétrica e dos espaços de atendimento ao visitante. Além disso, o trenzinho vai ganhar sinalização e atendentes bilíngues; exposição sobre a história da ferrovia e do Parque Nacional da Tijuca; integração com o futuro Espaço Paineiras — centro de visitantes previsto para o prédio do antigo Hotel das Paineiras — e com o novo sistema de bondes de Santa Teresa, com inauguração prevista para 2015. As intervenções ainda não têm prazo definido para começar e um calendário deve ser apresentado assim que o consórcio assumir o serviço.

Além dos investimentos previstos, a licitação ainda estabeleceu de retorno para União um valor fixo de R$ 3,8 milhões por ano, adicionado a um valor variável de 9,9% de receita operacional bruta do consórcio e dos ingressos do Parque Nacional da Tijuca.

Entre os cuidados ambientais que o consórcio terá que cumprir estão a coleta seletiva de lixo com destinação social; o monitoramento dos impactos da operação sobre a fauna e a flora do Parque Nacional; e a obrigação de cuidar também das trilhas e acessos de pedestres ao Corcovado. O futuro operador também deve contratar no mínimo 30% dos funcionários nas comunidades do entorno e criar programas de capacitação de mão de obra para atuação no setor do turismo.

A Estrada de Ferro do Corcovado, inaugurada em 1884, liga o bairro do Cosme Velho ao Alto do Corcovado, dentro do Parque Nacional da Tijuca. Desde 1979, o trem era operado pela Esfeco por sucessivos contratos de arrendamento com a Secretaria de Patrimônio da União. Em 2013 a gestão da Estrada de Ferro foi repassada ao ICMBio, órgão gestor do Parque Nacional da Tijuca.


Globo Online | 24-Out-2014 21:07

Quatro vans escolares irregulares são apreendidas durante fiscalização na Barra da Tijuca

RIO - Quatro vans escolares foram apreendidas na manhã desta sexta-feira, na Avenida das Américas, na altura do número 7.900, na Barra da Tijuca. A operação, realizada pela Coordenadoria Especial de Transporte Complementar da Prefeitura (CETC), com apoio do Detro, do Detran e da Polícia Militar, tinha como objetivos fiscalizar e verificar denúncias de que veículos que estariam burlando a fiscalização ao se passar por transporte escolar.

A ação começou às 8h e durou cerca de três horas. Nesse período, três vans foram apreendidas por estarem cadastradas como vans escolares, mas circularem com a documentação atrasada. Outro veículo foi autuado e rebocado por estar montado como van escolar, mas não apresentar cadastro na prefeitura para este tipo de serviço. Apesar de estar circulando vazia no momento da apreensão, a suspeita é de que esta van transportasse passageiros de maneira irregular. Uma van que fazia transporte de turista sem cadastramento também foi removida e conduzida ao depósito da prefeitura. O valor das multas aplicadas a esses veículos varia de R$ 191 a R$ 2.500.

De acordo com o coordenador de Transporte Complementar, delegado Cláudio Ferraz, a coordenadoria pretende intensificar ainda mais as ações contra vans piratas.

— Nosso planejamento é de que fiscais passem a atuar infiltrados entre usuários para impedir a ação de "olheiros" que costumam avisar sobre os locais e horários das operações. Nossas equipes são constantemente alvo da ação dessas pessoas e, por isso, estamos mudando nossa forma de atuar para surpreendê-los. — afirmou.


Globo Online | 24-Out-2014 20:51

Operação autua veículos piratas que se passam por vans escolares no Rio

Operação foi realizada nesta sexta (24) na Barra da Tijuca. Quatro vans com característica de escolar foram removidas.
G1.com.br | 24-Out-2014 20:36

Rio - 14h50: Incêndio em carro ocupa faixa da Avenida Brás de Pina
Incidente ocorreu na altura da Avenida Oliveira Belo. Motoristas enfrentavam lentidão no sentido Penha.
G1.com.br | 24-Out-2014 19:51

Rio - 14h45: Travessia da Ponte Rio-Niterói chega a 55 minutos
Motoristas encontravam pontos de lentidão ao longo de toda a via. Quem seguia para o Rio não enfrentava retenções.
G1.com.br | 24-Out-2014 19:45

Delegada assassinada em casa na Zona Oeste do Rio é enterrada

Corpo foi enterrado no Cemitério de Sulacap. Marido confessou ter matado policial.
G1.com.br | 24-Out-2014 19:33

Profissionais recebem o Prêmio O GLOBO-Niterói Casa Design
Os vencedores do Prêmio GLOBO-Niterói Casa Design - Marcelo de Jesus / Agência O Globo

NITERÓI — O casarão da edição deste ano da Mostra Casa Design, no bairro de São Francisco, foi palco da glória de alguns dos profissionais que ali atuaram. Na noite da última quarta-feira, foram revelados os vencedores da segunda edição do Prêmio O GLOBO-Niterói Casa Design. O júri, formado por três profissionais renomados da área de decoração, arquitetura e design, elegeu os que se destacaram nos seguintes quesitos: melhor projeto de arquitetura (living de convivência); melhor design de interiores (living principal); maior sustentabilidade (varanda íntima); ambiente mais criativo (lavabo); e melhor aproveitamento de espaço (suíte da surfista).

Integraram o júri desta premiação o arquiteto Paulo Niemeyer; a arquiteta urbanista Verena Andreatta, secretária de Urbanismo e Mobilidade de Niterói; e a jornalista Ana Cristina Reis, editora do caderno Ela, do GLOBO. Organizadora da mostra, Eliane Figueiredo destaca a importância da parceria com O GLOBO.

— A união com uma marca com tanta credibilidade é muito importante. Por isso repetimos. O prêmio nasceu do desejo de reconhecer profissionais da cidade e mostrar a importância dessas pessoas que conseguem traduzir mil ideias em projetos tão bem resolvidos. Destacamos cinco ambientes, mas todos são maravilhosos — afirma Eliane.

A editora dos Jornais de Bairro do GLOBO, Adriana Oliveira, que publica O GLOBO-Niterói, foi a mestre de cerimônia.

— É essencial que a casa da gente seja aconchegante, e é esta a energia que sentimos aqui. A importância da mostra para Niterói é imensa, mas a iniciava pode ir além da Ponte. Os cariocas precisam conhecer e reconhecer o Casa Design — disse Adriana.

A mostra segue em cartaz até 16 de novembro, de quarta a domingo, das 14h às 22h. O casarão fica na Rua Marcos Aurelio dos Santos 53, em São Francisco. Os ingressos custam R$ 30 (inteira). Já a mostra paralela acontece na Rua Visconde do Rio Branco 631, no Centro, de quarta a sábado, das 14h às 22h; e aos domingos, das 14h às 20h. Ingressos: R$ 5 (gratuito para quem for ao evento principal).

MELHOR APROVEITAMENTO DE ESPAÇO: SUÍTE DA SURFISTA, DE RENATA SOARES E ELIANE XAVIER

Eliane Xavier e Renata Soares no espaço Varanda Íntima vencedor da categoria Aproveitamento de espaço - Marcelo de Jesus / Agência O Globo

A proposta deste projeto era elaborar um quarto jovem e descontraído. Só que a área destinada ao banheiro do ambiente era muito reduzida. Ao derrubar as paredes que o separavam do quarto, as profissionais integraram os dois espaços. Com isso foi criado um ambiente amplo e descolado. E a sustentabilidade não ficou de lado: os pisos e modulados utilizados são todos de madeira certificada.

— Foi uma ótima surpresa, já que esta categoria é muito importante. Afinal, saber utilizar o espaço que nos é dado é uma habilidade primordial e, durante todo o tempo, foi uma preocupação nossa. Não adianta ter um ambiente lindo, se não for bem utilizado — afirma Eliane.

AMBIENTE MAIS CRIATIVO: LAVABO, DE MARIZA DIAS E TELMO SANTOS

Mariza Dias Guimarães no espaço Lavabo, vencedor do ambiente mais criativo - Marcelo de Jesus / Agência O Globo

O lavabo é aberto na parte posterior da casa, o que permitiu a integração com a área externa do terreno. Inclusive, duas árvores que já existiam no local foram mantidas. O principal desafio para a dupla foi manter a privacidade do ambiente, sem abrir mão da sensação de liberdade e do visual.

— Resolvemos brincar bastante com a iluminação para driblar essa questão da privacidade. Além disso, destaco a mistura da pia de cristal com a bancada de pedra bruta — detalha Mariza.

MELHOR DESIGN DE INTERIORES: LIVING PRINCIPAL, DE ANA MEIRELLES E ANDREA MEIRELLES

Ana Meirelles e Andrea Meirelles no espaço Living principal vencedor da categoria Design de Interiores. - Marcelo de Jesus / Agência O Globo

A proposta das irmãs para este ambiente foi criar um espaço contemporâneo e elegante, com cores sóbrias como o preto, o marrom e o cobre, e com leves pinceladas de azul em suas diversas matizes. A referência ao traço oriental na arquitetura está presente nos objetos, nos tapetes e na padronagem do papel de parede.

— A arquitetura deste espaço já era bastante privilegiada, com um pé direito alto e um belo portal oriental. Nos preocupamos em desenvolver um projeto que não ficasse caricato, por isso trabalhamos, principalmente, a delicadeza dos detalhes — explica Andrea.

MAIOR SUSTENTABILIDADE: VARANDA ÍNTIMA, DE ROSANGELA BRANDÃO E ANNA PERSIA

Ana Paula Bastos e Rosangela Brandão no espaço Varanda Íntima vencedor da categoria Sustentável. - Marcelo de Jesus / Agência O Globo

O espaço foi pensado para uma adolescente de 17 anos, que busca um local de relaxamento, paz e contato com a natureza. Os produtos utilizados remetem ao natural e o principal objetivo das profissionais é a otimização do espaço. As designers destacam o piso do ambiente, no qual foi utilizado uma chapa preta chapiscada, com um processo de envelhecimento que não agride ao meio ambiente; o deque, feito com paletes de obra reaproveitados; e também o paisagismo, com bambus e orquídeas, elementos comuns nos jardins de Bali.

— Acredito que o trunfo deste ambiente é que buscamos proporcionar uma experiência sensorial aos visitantes. Com música, cheiro e muitas texturas — afirma Anna.

MELHOR PROJETO DE AQUITETURA: LIVING DE CONVIVÊNCIA, DE MARTHA DZELME

Martha Dzelme no seu espaço Living de convivência vencedor da categoria Arquitetura - Marcelo de Jesus / Agência O Globo

O projeto, segundo a arquiteta, foi projetado pensando em uma família que aprecia receber amigos, em um ambiente confortável e de atmosfera sofisticada. Por isso, ela investiu em peças de design e obras de arte, que contribuem para a elegância do espaço.

— Manter o conjunto é essencial para termos um bom projeto. Busquei ganhar o máximo de espaço nesta área, integrando dois ambientes de estar distintos, sem nunca perder a harmonia — declara Martha.


Globo Online | 24-Out-2014 18:32

Engarrafamento na Ponte Rio-Niterói prejudica tráfego em vias expressas da cidade

RIO - Desde o início da tarde desta sexta-feira, motoristas encontram congestionamento no sentido Niterói da Ponte. Às 19h40m, o tempo de travessia era de uma hora e 10 minutos. O pico de lentidão foi por volta de 13h35m, quando o tempo gasto para finalizar o percurso, dos acessos até a saída para a Avenida do Contorno, girava em torno de uma hora e dezesseis minutos. No momento, motoristas encontram movimentação intensa até as saídas para Avenida do Contorno e Alameda São Boaventura. Já no sentido Rio, o trânsito segue sem maiores problemas e o tempo médio da travessia é de 13 minutos.

Devido às más condições de tráfego no acesso à Ponte, as principais vias expressas da cidade também têm o trânsito prejudicado. Na Avenida Brasil, sentido Centro, há retenção a partir de Bonsucesso. A Linha Vermelha tem lentidão na altura do Caju, sentido Centro. Na região central da cidade, o Viaduto do Gasômetro e a Avenida Francisco Bicalho apresentam retenções na pista que segue para a Avenida Brasil e causam reflexos na pista lateral da Avenida Presidente Vargas, sentido Praça da Bandeira, na altura do Sambódromo.


Globo Online | 24-Out-2014 18:27

'Nao podemos estar em todos os lugares', diz Beltrame sobre ataques

Secretário comentou tiroteio na Linha Vermelha e ataque a UPP no Lins. Beltrame ainda lamentou morte de delegada.
G1.com.br | 24-Out-2014 18:25

Começa esquema de policiamento para 2º turno das eleições no RJ
Policiais vão patrulhar os 5.418 pontos de votação no estado. No primeiro turno, estado teve cerca de 800 ocorrências policiais.
G1.com.br | 24-Out-2014 18:12

Inquérito inocenta diretora de escola acusada de barrar aluno com guias de candomblé

RIO — A Polícia Civil concluiu o inquérito que apurou um suposto crime de intolerância religiosa praticado pela diretora da Escola Francisco Campos, no Grajaú, Zona Norte do Rio, contra um aluno que teria sido impedido de entrar no colégio por estar usando guias de candomblé. De acordo com o inquérito conduzido pelo delegado titular da 20º DP (Vila Isabel), Herald Espínola, “não houve intolerância religiosa por parte da diretora Cinthya Purper Freitas”.

De acordo com a polícia, o inquérito será encaminhado ao Ministério Público no início da próxima semana. A mãe do menor poderá responder por desacato contra a diretora, uma vez que confessou, em depoimento, tê-la ofendiido.

Segundo Luciana Portella, advogada da diretora, o pedido de desculpas por um suposto mal-entendido, feito à mãe do aluno na sede da prefeitura pelo prefeito Eduardo Paes serviu para que a opinião pública condenasse a sua cliente. Para Luciana, o mais grave foi o fato de a diretora ter sido impedida de falar com a imprensa pela Secretaria municipal de Educação.

Escola Francisco Campos, no Grajaú, onde ocorreu o problema - Marcelo Piu / Agência O Globo

— Temos um cultura no país de que “quem cala consente”. Na época, a imprensa a procurava, mas ela estava proibida de falar. Houve coerção por parte da prefeitura, tanto que ninguém da imprensa conseguiu falar com ela, que queria se manifestar. Acredito que o prefeito tenha pedido desculpas para colocar logo panos quentes em cima do fato, e encerrar a história. Até para evitar que a mãe continuasse a falar com a imprensa. Ele não teve a sensibilidade de perceber que isso iria maximizar a questão perante a opinião pública.

Ainda de acordo com a advogada, o tempo esperado para conclusão do inquérito causou fortes danos à imagem da diretora, que não tem a intenção de processar a prefeitura.

— Ela teve uma depressão muito forte, pois passou a ser estigmatizada na rua quando integrantes de diferentes ONGs e representações religiosas ligadas a alguns políticos quiseram, de forma oportunista, se aproveitar do caso. Estive com ela nesta quinta. Chorando, a diretora me disse que tirou um peso das suas costas.

A mãe do menor, Rita de Cássia, ficou indignada com o resultado e informou que acionará seu advogado por não concordar com a conclusão do inquérito policial.

— O delegado concluiu que não houve intolerância porque não é o filho dele. Essa investigação foi feita de forma errada. Quer dizer que meu filho passou por tudo isso e ele está concluindo que não houve nada? Ele não vai arquivar nada, vou falar com meu advogado. Isso não vai ficar assim — disse.

Em contato com O GLOBO, a Secretaria municipal de Educação informou que a sindicância interna aberta na época para investigar a diretora ainda está em fase de conclusão. Por meio de uma nota, o gabinete do prefeito Eduardo Paes informou que "o resultado do inquérito policial só confirma o que o prefeito Eduardo Paes vem dizendo desde o primeiro momento: não existe intolerância religiosa ou de qualquer tipo na rede municipal de ensino e nos demais órgãos municipais. A Prefeitura do Rio aguarda agora o resultado da sindicância aberta pela Secretaria Municipal de Educação"

ENTENDA O CASO

No dia 25 de agosto, a mãe de um aluno de 12 anos, estudante da quarta série do ensino fundamental da Escola Francisco Campos, denunciou à polícia que o filho fora impedido, pela diretora da instituição, de assistir às aulas por usar bermudas brancas e guias do candomblé por baixo do uniforme, acusando a direção da colégio de cometer o crime de intolerância religiosa.

No dia 3 de setembro, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, recebeu a mãe e o menino na prefeitura. Após escutar o desabafo da mãe e do menor, Paes foi enfático ao afirmar que não tolera preconceito.

— Há episódios que não representam aquilo que a rede municipal de ensino representa. Fiz o pedido de desculpas à criança pelo eventual erro ou excesso que se cometeu. Quero deixar claro que na rede se respeita a escolha, orientação e o caminho que as pessoas escolheram — argumentou o prefeito na ocasião.

Ele também disse a que nunca recebeu reclamações da diretora.

— Temos as melhores referências da diretora e espero que tenha sido um lapso dela — afirmou Paes.


Globo Online | 24-Out-2014 18:11

Rio - 13h: Caminhão quebrado deixa lenta Av. Ministro Edgard Romero
Veículo enguiçou perto da Rua Leopoldino de Oliveira. Trânsito estava engarrafado no sentido Vaz Lobo.
G1.com.br | 24-Out-2014 18:04

Família de delegada morta no Rio pede justiça por 'crime bárbaro'

Corpo de Tatiene Damaris foi enterrado por volta de 14h30 na Zona Oeste. Marido de policial confessou que asfixiou a mulher.
G1.com.br | 24-Out-2014 17:50

Grupo 'Os Travessos' vai fazer show no Rio; confira outras dicas do RJTV
Mariane de Castro apresenta seu novo trabalho 'Colheita', no Méier. Museu Histórico Nacional tem exposição sobre os 40 anos do Playmobil.
G1.com.br | 24-Out-2014 17:12

Rio - 11h55: Rua Voluntários da Pátria tem bloqueios devido a obra
Duas faixas foram bloqueadas perto da Rua da Matriz, na Zona Sul. Prefeitura registrava trânsito lento na região.
G1.com.br | 24-Out-2014 16:55

Rio - 11h45: Av. Brasil tem faixas interditadas e lentidão após acidente
Via tinha interdição nas pistas central e lateral na direção do Centro. Moto se envolveu em acidente na região de Manguinhos.
G1.com.br | 24-Out-2014 16:49