rio-de-janeiro

Noticias

Incêndio ainda destrói vegetação em terreno na Zona Oeste do Rio

Fogo na mata ocorria desde a noite de domingo, na Barra da Tijuca. Mês de dezembro registrou o maior número de queimadas desde 1998.
G1.com.br | 22-Dez-2014 12:00

Deputado Felipe Peixoto será o novo secretário estadual de Saúde
O deputado estadual Felipe Peixoto será o novo secretário estadual de Saúde. Foto de 19/05/2014 - Pedro Kirilos / O Globo

RIO - O deputado estadual Felipe Peixoto (PDT) assumirá a Secretaria estadual de Saúde a partir de 1º de janeiro. Eleito em 2010 a deputado estadual, licenciou-se do cargo em 2011 para assumir a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca do Rio. Retornou para a Assembleia Legislativa do Rio em 2014. Felipe Peixoto foi também três vezes eleito vereador da cidade de Niterói, sendo líder da bancada do PDT na Câmara Municipal.

No fim de semana, o governador Luiz Fernando Pezão anunciou mais sete novos secretários de sua administração. No domingo, os deputados estaduais Paulo Melo (PMDB), Bernardo Rossi (PMDB), José Luiz Nanci (PPS), e o deputado federal Arolde de Oliveira (PSD) assumirão suas pastas no dia primeiro de janeiro, respectivamente, a Secretaria de Governo, a Habitação, a de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida e a de Trabalho e Renda.

Paulo Melo, um dos cacifes do PMDB no Rio, é ex-presidente da Assembleia Legislativa (Alerj) e a sua nomeação já era esperada. Bernardo Rossi é natural de Petrópolis e sua indicação à habitação também confirmou o as previsões. Nanci, cujo domicílio eleitoral é São Gonçalo, foi eleito deputado pela primeira vez em 2010. Arolde já havia sido secretário de Transportes, na Prefeitura do Rio, por cerca de seis anos.

No sábado, Pezão anunciou José Luiz Anchite, ex-prefeito de Barra do Piraí, como futuro da secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca (Sedrap), além da volta de Christino Áureo como secretário de Agricultura e Pecuária. O professor Antonio José Vieira de Paiva Neto, atual subsecretário de Gestão do Ensino, será o novo secretário de Educação.


Globo Online | 22-Dez-2014 11:40

Após sensação de 55ºC, previsão é de muito calor no Rio nesta segunda

Segundo meteorologista, sensação térmica na segunda deve ser de 50ºC. Apesar do calor, Natal deve ser chuvoso na cidade.
G1.com.br | 22-Dez-2014 11:29

Menores são apreendidos após roubos na Barra, Zona Oeste do Rio
Grupo de adolescentes que saía de boate foi alvo de criminosos. Menores agiam em passarela na Av. Armando Lombardi.
G1.com.br | 22-Dez-2014 11:02

Polícia não tem pistas de assassino de mulher que voltava da igreja no RJ

Ela ficou no fogo cruzado entre um homem na rua e ocupantes de um carro. Márcia de Oliveira foi baleado no Parque Paulista, em Duque de Caxias.
G1.com.br | 22-Dez-2014 10:36

Carro atinge poste e deixa dois mortos na Avenida das Américas
Duas pessoas morreram depois que um carro bateu num poste na Barra. Com o impacto da batida o carro partiu ao meio - Márcia Foletto / Agência O Globo

RIO - Duas mulheres morreram e um homem ficou ferido em um grave acidente no Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste, na madrugada desta segunda-feira. No acidente, o veículo perdeu a direção e atingiu um poste na Avenida das Américas, na pista sentido Barra, entre a estação BRT Gelson Fonseca à altura do Supermercado Mundial. Com o impacto da batida, o veículo se partiu ao meio.

De acordo com os bombeiros do quartel da Barra da Tijuca, que foram acionados por volta das 3h07, as duas mulheres de aproximadamente 25 anos estavam sem identificação e morreram na hora. Já o ferido, foi identificado como Rosilvado G. Ribeiro, de 26 anos. Ele foi encaminhado para o Hospital Lourenço Jorge, mas não há informações sobre o seu estado de saúde.

Devido ao acidente, a pista central da Avenida das Américas foi interditada, no sentido Barra. O trânsito ficou intenso no trecho, por conta de curiosos que reduziam a velocidade para observar o acidente. Durante o fechamento, o tráfego foi desviado pela pista lateral, com acesso pela agulha na altura da estação do BRT e o retorno para a pista central foi feito na altura do Mundial.

PMs estiveram no local, além de agentes da CET-Rio que orientaram os motoristas na região. Por volta das 5h, a via foi liberada e o trânsito não apresentava retenções.


Globo Online | 22-Dez-2014 10:35

Projeto dá acesso a deficientes para banho de mar nas praias do Rio
"Praia para Todos" é uma iniciativa gratuita, em Copacabana e na Barra. Na Zona Sul, a novidade é o Stand Up Paddle adaptado.
G1.com.br | 22-Dez-2014 10:31

Polícia do Rio investiga se militância gay causou morte de líder comunitário
Luiz Moura, o Guinha, foi morto no sábado na Fazendinha, no Alemão. Vítima também tinha um trabalho de apoio à UPP.
G1.com.br | 22-Dez-2014 09:51

Pezão anuncia nesta segunda os secretários de Saúde e Esporte
Governador do Rio escolhe Felipe Peixoto para a pasta da Saúde. Deputado Marco Antônio Cabral comandará a pasta de Esporte.
G1.com.br | 22-Dez-2014 09:50

Acidente de carro deixa mortos e ferido na Avenida das Américas, Rio

Colisão ocorreu no Recreio; motorista tinha sinais de embriaguez. Carro bateu em poste e se partiu ao meio com o impacto.
G1.com.br | 22-Dez-2014 09:41

Venda de roupa de Papai Noel movimenta comércio popular no Rio

Roupa do Bom Velhinho baixou de preço e custa de R$ 18 a R$ 80. Visitas de Papai Noel profissional ficam entre R$ 400 e R$ 1.200.
G1.com.br | 22-Dez-2014 09:37

Confira o calendário de vencimentos do IPVA 2015 no Rio
Contribuintes terão 8% de desconto para pagamento em cota única. Imposto começa a ser pago dia 22 de janeiro.
G1.com.br | 22-Dez-2014 09:25

Ambientalistas pedem que mascotes dos Jogos de 2016 sejam substituídos
Apresentação dos mascotes Tom e Vinicius no Ginásio Olímpico Juan Antonio Samaranch, em Santa Teresa - Ivo Gonzalez / Agência O Globo

RIO - Os mascotes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016, batizados de Vinícius e Tom, estão dando o que falar. Agora foram institutos de defesa de animais entraram na polêmica e, além de criticar o processo de escolha dos mascotes, que não teve participação da sociedade civil, o grupo pede que sejam substituídos por animais da fauna brasileira ameaçada.

De acordo com a petição, os símbolos dos jogos olímpicos são "personagens fictícios inventados em laboratório, que se colocam como representantes da fauna e flora, mas não simbolizam coisa alguma". Os institutos pedem que a escolha dos mascotes seja uma oportunidade para incentivar a discussão sobre as simbologias do país e o espírito olímpico.

Para os que apoiam a iniciativa, os mascotes apresentados lembram personagens de desenhos animados japoneses, como o pickachu e os pokemon. Se essa "revolução dos bichos" der certo, os organizadores da campanha já têm sugestões de substitutos: tartaruga marinha, boto cor de rosa, mico-leão-dourado, onça pintada e o macaco muriqui.

Desde que foram apresentados no mês passado, os mascotes dos jogos olímpicos vêm causando polêmicas. Muitos internautas deram sugestões "engraçadinhas" para os dois personagens. Nas redes sociais, teve ainda quem ironizou com Arrastão e Tiroteio ou Delta e Odebrecht.

No dia 14, foram apresentados os nomes escolhidos por votação popular: Vinicius e Tom foram os escolhidos, com 44% dos votos. O mascote olímpico Vinicius, de cor amarela, representa a diversidade dos animais do país, enquanto Tom, o paralímpico, de cor azul, reproduz a mistura da flora brasileira.


Globo Online | 22-Dez-2014 09:17

Gravidez precoce e pré-natal precário são mais frequentes em áreas carentes
Luana e Tailane, ambas com 18 anos, moradoras da Mangueira, passam pela terceira gestação: interrupção dos estudos, uma consequência previsível - Guito Moreto / Guito Moreto

RIO - Desde a barriga da mãe, ainda há um abismo entre os carioquinhas que chegam ao mundo. De Botafogo ao Complexo da Maré, a taxa de mulheres que realizaram pré-natal insuficiente se multiplica por sete; a proporção de mães adolescentes se multiplica por cinco de Botafogo ao Complexo do Alemão, e a mortalidade infantil triplica da Lagoa a Ramos. Dos 87.455 bebês nascidos na cidade em 2013, pelo menos um em cada quatro veio de uma gravidez (25%) em que a mãe fez menos de sete consultas no pré-natal, mostram os dados da Secretaria municipal de Saúde compilados e tabulados pela ONG Rio Como Vamos. Em 2006, eram 31,6%.

A comparação dos dados do município do Rio com os do país — obtidos pela pesquisa "Nascer no Brasil", realizada pela Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp) da Fundação Oswaldo Cruz — mostra que os indicadores da cidade, em geral, avançam e são melhores que a média nacional. O problema é que, nas áreas pobres, o Rio se aproxima das regiões brasileiras com os piores índices.

Na Maré, por exemplo, 40,21% das crianças nasceram de mães que fizeram menos de sete consultas no pré-natal, patamar mínimo estabelecido pela Secretaria municipal de Saúde, enquanto em Botafogo o problema se reduz a 5,79%. A média nacional é de 35%, segundo a pesquisa da Ensp, e o indicador da Maré se aproxima do da Região Nordeste (49,9% de pré-natal insuficiente).

Outro indicador importante é a proporção de mães adolescentes, com até 19 anos. Indica não só possíveis gestações de risco, no caso das mais jovens, mas também uma situação de vulnerabilidade social, associada à pobreza e à evasão escolar. Em 2013, a taxa de mães adolescentes foi de 16,38%, patamar que se mantém nos últimos anos, ainda que abaixo da média nacional, de 18%. Na Região Administrativa de Botafogo, a taxa é de apenas 5%, enquanto no Alemão vai a 26,34% — mais do que os 21,7% do Nordeste e os 23,9% do Norte. Onze das 33 Regiões Administrativas do Rio têm mais de 20% de mães adolescentes.

A pedido do GLOBO, a geógrafa Karen Pey, assessora técnica do Rio como Vamos, cruzou os dois indicadores, gravidez adolescente e pré-natal insuficiente. Normalmente, onde há uma há outro, o que mostra a importância de investir na educação para a população de renda mais baixa, analisa ela.

A mortalidade infantil, outro problema em queda no país, é de 12,68 mortes de crianças até um ano de idade por por mil nascidos vivos no Rio, abaixo da taxa brasileira (15). A diferença entre as regiões da cidade vem caindo, mas ainda existe: na Lagoa, a mortalidade infantil é de 5,63, porém em Ramos chega a 18,62. Pelos dados do Rio como Vamos, a mortalidade infantil subiu em 2013 em 12 Regiões Administrativas da cidade (Barra da Tijuca, Centro, Copacabana, Irajá, Lagoa, Penha, Portuária, Rio Comprido, Rocinha, Santa Teresa e Tijuca).

HISTÓRIAS DE ADUSO E VIOLÊNCIA

A gravidez adolescente bate na porta de Raquel Spinelli, uma fisioterapeuta de 29 anos nascida no Morro da Providência, que fundou em 2011 o grupo “Providenciando a favor da vida”, para orientar grávidas. As adolescentes são normalmente maioria entre suas alunas. Entre elas estão Tailane Santos de Oliveira e Luana Osório, ambas com 18 anos, moradoras da Mangueira e grávidas pela terceira vez. Tailane, que parou de estudar no 6º ano, tem uma filha de 4 anos, uma de 3 e agora espera a terceira menina. O primeiro namorado não reconheceu a mais velha, mas o segundo namorado registrou as duas como filhas. A jovem diz que “enjoou” do pai da terceira. Perguntada se planejou três crianças em tão pouco tempo, resume:

— Acho que não tem filho que não seja planejado. A gente sabe como faz, sabe como evita e não usa nada. É porque na verdade queria o filho, né? Então, agora não adianta dizer que não planejei. Mas ainda quero voltar a estudar, tenho vontade de ser alguém.

No caso de Luana, que parou de estudar no 5º ano, o pai das três crianças é o rapaz com quem vive desde os 12 anos. Os dois são camelôs. A jovem conta que foi expulsa de casa e acabou indo morar com o namorado. Estão juntos até hoje. Mal acaba a aula da turma, chega, em busca de vaga na próxima, Andrieli Cruz, de 19 anos, grávida do namorado e levada ao projeto por outra ex-grávida adolescente, Jéssica Yane, hoje com 24 anos, casada e à espera do terceiro filho.

— Muitas vêm com histórias de violência. A gente fala de cuidados com o bebê, sexualidade, autoestima, planejamento familiar e saúde. O curso é gratuito. Cobro que tragam a ficha de acompanhamento do pré-natal — conta Raquel, que lançou um livro sobre o projeto, apoiado pela Agência de Redes para a Juventude, pela Petrobras e pela concessionária Porto Novo.

Doutora em epidemiologia pela Ensp e uma das coordenadoras da pesquisa “Nascer no Brasil”, a pesquisadora da Fiocruz Silvana Granado analisa a gravidez adolescente como a parte mais visível de um problema social, a falta de perspectiva de garotas de áreas pobres — embora a questão não seja exclusiva da pobreza.

— Muitas engravidam porque é uma forma de ser alguém, de ganhar função numa sociedade em que não se sentem importantes. A jovem pobre que fica grávida, se é que já não abandonou a escola, terá que fazê-lo. É uma questão à qual o país tem de dar mais atenção — afirma.

Quanto ao pré-natal, Silvana Granado diz que é preciso se preocupar não só com o número de consultas, mas com a qualidade delas. Destaca também que o acesso ao pré-natal cresceu, quase se universalizou, e que é preciso saber o motivo dos 25% de acompanhamento irregular.

BUSCA ATIVA POR GESTANTES

O superintendente de Atenção Primária da Secretaria municipal de Saúde, Guilherme Wagner, diz que a opção da prefeitura para diminuir a desigualdade nos indicadores é investir no programa de Saúde da Família, cuja cobertura cresceu de 3% em 2009 para 50% hoje. Segundo ele, a exigência de sete consultas no pré-natal foi feita pela própria prefeitura, num padrão acima do internacional, comumente fixado em quatro consultas ou seis.

Wagner admite, porém, a diferença entre as regiões da cidade e diz que, por isso, o programa privilegia áreas mais pobres e vulneráveis socialmente. Para o superintendente, o desafio agora é fazer a busca ativa das gestantes que ainda não fazem o pré-natal correto e descobrir o motivo. A secretaria está investigando as áreas onde a mortalidade infantil cresceu para saber se houve uma causa específica. Outra ferramenta útil para o cidadão é um site no qual se pode descobrir em que unidade buscar atendimento. O endereço é www.rio.rj.gov.br/web/sms/onde-ser-atendido.


Globo Online | 22-Dez-2014 09:00

Patrimônio arquitetônico de Petrópolis sofre com a ação de vândalos
A Catedral de São Pedro de Alcântara: pichações nas paredes - Divulgação / Jaqueline ibeiro

PETRÓPOLIS - A degradação de monumentos e prédios históricos de Petrópolis, alvos frequentes de pichações e depredação, preocupa entidades que defendem a preservação do patrimônio da cidade, como a Associação de Moradores e Amigos do Centro Histórico. Mesmo em áreas nobres do município, como as Avenidas Koeler e Ipiranga — onde há conjuntos tombados —, as pichações estão em muros e fachadas.

Na Rua do Imperador, prédios também tombados, como os dos Correios e Telégrafos e do antigo Fórum, têm as marcas do vandalismo. Monumentos, como a escultura em homenagem aos pioneiros da aviação, na Praça da Liberdade (de 1957), não escapam dos ataques. Há 20 dias, a escultura em bronze, de uma águia alçando voo sobre pedestal de granito, teve que ser recolhida pela prefeitura. Isso porque a peça teve a base quebrada, derrubada e acabou danificada. Nem a Catedral de São Pedro de Alcântara escapou.

Os atos de vandalismo levaram a AMA-Centro Histórico a encaminhar denúncia ao Ministério Público Federal.

— Esperamos que, com o uso da tecnologia, providências sejam tomadas, pois vivemos numa cidade histórica, com um rico patrimônio arquitetônico do século XIX. Petrópolis tem no turismo sua principal atividade. Fica feio o visitante ver prédios e monumentos pichados e esculturas quebradas. É preciso que haja punição e um trabalho de conscientização — afirma a presidente da entidade, Myriam Born.

O MP Federal instaurou procedimento para punir os vândalos. Segundo o procurador da República Charles Stevan Pessoa, pelo menos oito já foram identificados e respondem agora por depredação do patrimônio. Paralelo à investigação, o MPF cobra ações por parte do poder público para melhorar a fiscalização.

— Já temos o auxílio da Guarda Civil Municipal, com equipes na rua. A PM também vem atuando. As coisas estão caminhando. Outras pessoas serão identificadas e responderão pelo crime — diz.


Globo Online | 22-Dez-2014 09:00

Policiais prendem traficante na Lapa
traficante Nelson Ferreira de Magalhães, 61 anos, foi preso em Santa Teresa - Divulgação

RIO - Agentes da Operação Lapa Presente prenderem, na noite deste domingo, o traficante Nelson Ferreira de Magalhães, 61 anos, conhecido como Coroa, na Rua Francisco Muratori, em Santa Teresa. Com ele, foram apreendidos cerca de R$ 7 mil, cocaína, maconha e haxixe, além de anotações do tráfico.

Policiais também prenderam Marcelo Amadeu e Oliveira Souza Ferreira por corrupção ativa, na Rua do Lavradio. Após os agentes encontrarem cocaína com o suspeito, Marcelo ofereceu R$ 300 para ser liberado. As ocorrências foram registradas na 5ª DP (Mem de Sá).

Mais cedo, policiais do programa Lapa Presente recuperaram os pertences de uma feirante que fora roubada na tarde de domingo, na Rua da Glória. A feirante teve cartões de bancos, cheques e documentos furtados de seu carro, mas já foi comunicada e buscou os objetos.

Com o objetivo de garantir a segurança e o direito de ir e vir dos moradores e frequentadores da região do Rio Antigo, a Operação Lapa Presente foi lançada em janeiro deste ano.


Globo Online | 22-Dez-2014 03:27

Aluno da PM é ferido em assalto em São Gonçalo, RJ
Crime aconteceu na Rua João da Madeira. Aluno foi encaminhado para o Hospital Alberto Torres.
G1.com.br | 22-Dez-2014 01:31

No segundo dia de ensaios, homenagens de uma noite de verão na Marquês de Sapucaí
Passista da Renascer de Jacarepaguá ensaia na Sapucaí: escola vai homenagear o sambista Candeia - Marcelo Piu / Agência O Globo

RIO — A abertura oficial do verão carioca — exatamente às 21h03m de domingo — pegou fogo na Marquês de Sapucaí. Grandes nomes da cultura nacional foram homenageados por escolas de samba que sonham por voltar à elite do carnaval. Abrindo os ensaios técnicos, a Acadêmicos de Santa Cruz cantou a história de um “pequeno menino se tornou um Grande Otelo”. A verde e branco da Zona Oeste aposta num enredo cativante depois do modesto 12º lugar no carnaval passado, quando falou da cidade de Jundiaí.

Em seguida, a Renascer de Jacarepaguá agitou as arquibancadas com um samba empolgante — cantado a plenos pulmões por seus componentes —, obra de Moacyr Luz, Cláudio Russo e Teresa Cristina. A lembrança aos 80 anos de nascimento de Antônio Candeia Filho emocionou a filha do compositor, a portelense Selma Candeia, de 55 anos, que puxou a segunda ala, logo atrás das baianas. A vermelho e branco quer reviver o ótimo momento de 2012, quando estreou no Grupo Especial.

— É uma emoção imensurável estar aqui homenageando ele, que sempre fez questão de nos apoiar e exigir que estudássemos — disse Selma, que perdeu o pai quanto tinha apenas 16 anos de idade.

A tricolor Inocentes de Belford Roxo, que em 2013 desfilou no grupo principal, adicionou verde e rosa na festa para comemorar a obra de Nelson Sargento, que completou 90 anos em julho passado. Quinze agremiações disputam a Série A — antigo Grupo de Acesso — no carnaval de 2015. Os ensaios, abertos ao público, serão interrompidos para as festas de fim de ano e retornam em 4 de janeiro.

Confira o calendário completo dos ensaios técnicos da Série A:

Dia 04 de janeiro

19h30 – Caprichosos de Pilares

20h30 – Paraíso do Tuiuti

21h30 – Estácio de Sá

Dia 10 de janeiro

20h – União do Parque Curicica

21h30 – Império Serrano

Dia 17 de janeiro

20h – Império da Tijuca

21h30 – Acadêmicos do Cubango

Dia 24 de janeiro

20h – Porto da Pedra

21h30 – Unidos de Padre Miguel


Globo Online | 22-Dez-2014 01:05

Bombeiros combatem incêndio em vegetação na Barra, Rio

Fogo atingia mata atrás de shopping. Não há informações sobre vítimas.
G1.com.br | 22-Dez-2014 00:17

Pezão anuncia Arolde de Oliveira para a Secretaria de Trabalho do RJ
Paulo Melo ocupará Secretaria de Governo; Bernardo Rossi, Habitação. José Luiz Nanci comandará a Secretaria de Envelhecimento Saudável. ocupada por .
G1.com.br | 21-Dez-2014 23:34

Fiscalização em praias reboca 104 veículos no fim de semana no Rio
Ao todo, 299 carros foram multados. Seop também fez apreensões com ambulantes irregulares.
G1.com.br | 21-Dez-2014 22:07

Cláudio Nascimento atribui assassinato de Guinha à homofobia de traficantes
Luiz Moura, o Guinha, foi morto a tiros - Reprodução internet

RIO - Coordenador do programa Rio sem Homofobia, da Secretaria de estado de Assistência Social e Direitos Humanos, Cláudio Nascimento acredita que a morte do presidente da Associação de Moradores do Conjunto das Casinhas (Complexo do Alemão), Luiz Moura, morto a tiros no sábado próximo à Rua 2, está relacionada à homofobia. Mais conhecido como Guinha, o líder comunitário era fundador do movimento LGBT da comunidade e organizava a Parada Gay local que, em setembro, chegou à segunda edição, quando reuniu mais de duas mil pessoas.

De acordo com Cládio Nascimento, o órgão recebeu denúncias pelo Disque Cidadania LGBT que atribuem a morte de Guinha a represálias do tráfico de drogas e a religiosos fundamentalistas da comunidade, que não teriam aprovado a realização da Parada Gay do Complexo do Alemão. Ex-garoto de programa e ex-travesti, Guinha foi personagem do documentário "Favela Gay", de Cacá Diegues e Renata Almeida Magalhães.

— Já recebemos denúncias de que a razão do crime está relacionada à homofobia, estimulada pela intolerância de religiosos radicais. Alguns criminosos e religiosos fundamentalistas não concordavam com a realização da Parada Gay, que Guinha realizava mesmo sem a “pseudo-autorização“ que esses setores queriam impor ao movimento LGBT. Ele era um militante dos direitos humanos e participava das ações de cidadania promovidas pela UPP local, o que pode ter contribuído para aumentar a irritação do tráfico. Já encaminhamos essas denúncias para a secretaria estadual de Segurança, para o governador e para as chefias das polícias, para auxiliar nas investigações — afirma Nascimento, que conhecia o ativista há quatro anos e esteve no enterro, realizado na tarde deste domingo, no cemitério de Inhaúma.

Segundo a polícia, os disparos foram efetuados de dentro de um carro que passou pela rua e fugiu. A Divisão de Homicídios (DH) investiga o caso, já realizou uma perícia no local e as testemunhas estão sendo ouvidas.

Outro homem, que estava com Guinha, identificado como Leonardo Garcia dos Santos da Silva, também foi baleado. Ele foi socorrido no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, onde foi submetido a uma cirurgia e está internado em estado grave, porém estável. A DH está aguardando a sua alta médica para ouvi-lo.

Coordenador Especial de Diversidade Sexual da prefeitura do Rio (CEDS-Rio), o estilista Carlos Tufvesson demonstrou solidariedade à família de Guinha e prometeu acompanhar de perto as investigações.

— A CEDS-Rio vai acompanhar as investigações dos órgãos de segurança competentes e aguardar a apuração dos fatos que vai levar às causas desse crime horrível. E aproveita para lamentar esse assassinato, se solidarizar à família do Guinha e desejar força a população LGBT do Complexo do Alemão. É mais uma perda irreparável que a militância LGBT do Brasil sofre. Triste e estarrecedor ver desaparecer dessa forma um líder comunitário — afirma.

Os órgãos orientam as pessoas que tiverem mais informações sobre o crime a fazer denúncia ao Disque Cidadania LGBT, pelo telefone 0800-0234-557.


Globo Online | 21-Dez-2014 21:47

Moradores encontram fragata ferida na asa na Lagoa Rodrigo de Freitas

RIO — Uma fragata com corte na asa direta juntou curiosos na Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul, na tarde deste domingo. A ave estava caída e moradores chamaram a Guarda Municipal, que resgatou o bichinho e o levou para a ONG SOS Aves e Companhia, onde ficará em observação pelas próximas 24h. O ferimento ainda vai ser analisado, mas, segundo especialistas, provavelmente foi causado por pipas com linhas de cerol.

O presidente da ONG, Paulo Maia, explica que a fragata é uma ave aquática e oceânica que vive nas ilhas e quando amanhece vem para o continente. Ao anoitecer, faz o caminho inverso. Segundo ele, este tipo de ave é comum de ser vista em vários pontos do Rio durante todo o ano, especialmente em áreas de pesca. No verão, entretanto, os acidentes são mais frequentes.

— Infelizmente, há um alto índice de aves feridas nesta época do ano, porque tem muito mais pessoas soltando pipas com cerol. Não só a fragata, mas todas as aves marinhas. O cerol, além de proibido, pode ferir aves e pessoas — lembra Maia.

Bruno Jorge Duque da Silva, veterinário do Rio Zoo, também afirma que há muitos casos de fragatas que chegam ao zoológico com ruptura nas asas. Estas aves de asas abertas podem chegar a dois metros de comprimento. Maia e Silva alertam que ao encontrar uma ave ferida, o morador deve chamar socorro e jamais pegá-la.

— É comum que a pessoa queira pegar e cuidar, mas ao fazer isso, pode aumentar a ruptura — avisa Maia.

Portanto, se você encontrar um animal nestas condições pode chamar a ONG pelo site Sosavesecia.org, ou, segundo Silva, entrar em contato com a Patrulha Ambiental ou o Corpo de Bombeiros. O veterinário explica que o Rio Zoo recebe algumas aves de resgate (não de doação). E que em alguns casos encaminham os animais para a Universidade Estácio de São.

17 PÁSSAROS SILVESTRES SÃO RESGATADOS EM FEIRA

Também na tarde deste domingo, 17 pássaros silvestres que estavam sendo vendidos ilegalmente em uma feira livre no centro de Nilópolis, na Baixada Fluminense, foram resgatados. A denúncia foi feita pelo Linha Verde e policiais do Comando de Polícia Ambiental (CPAm) se dirigiram até a Estrada Mirandela onde flagraram três pessoas. Os responsáveis foram presos por não possuírem licença de órgão ambiental para tal prática e foram encaminhados à 57ª DP, onde vão responder de acordo com a lei 9.605/98 (lei de crimes ambientais).

Os pássaros encontrados serão encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS), em Seropédica, também na Baixada Fluminense, onde após tratamento serão devolvidos ao seu habitat natural.


Globo Online | 21-Dez-2014 20:10

Sensação térmica de 55 graus fecha a estação da primavera
A Praia de Ipanema ficou cheia durante todo domingo. - Márcia Foletto / Agência O Globo

RIO - A primavera foi embora ontem recebendo a estação mais quente do ano com uma homenagem à altura: os termômetros marcaram 39,1 graus (máxima em Marambaia, na Zona Oeste, às 16h), segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), levando o carioca a lotar praias e parques. Mas a sensação térmica chegou a 55 graus em Guaratiba, de acordo com o Centro de Operações da prefeitura. O verão, que começou às 21h 03m (horário de Brasília) de ontem, deve ser chuvoso em janeiro no Rio. Mas as chuvas passam a ser menos frequentes em fevereiro e março, uma notícia preocupante em tempos de escassez hídrica.

— Para janeiro, a expectativa no estado é de chuvas acima do normal, em relação à média climatológica (de 1970 a 2000). O verão 2013/2014 foi marcado por poucas chuvas, uma situação atípica, o que não deve ocorrer neste verão — diz a meteorologista do Instituto Climatempo Aline Tochio. — Porém, em fevereiro e março teremos menos chuvas do que a média dos últimos anos.

Isso significa que, provavelmente, será impossível reverter a situação de seca nos reservatórios que abastecem Rio, São Paulo e Minas Gerais.

Aos mais refratários aos raios de sol, o verão reserva pelo menos uma boa notícia: as temperaturas no Rio não devem ultrapassar os índices da média climatológica (de 1970 a 2000), também de acordo com o Climatempo. Os picos de calor, com temperaturas acima de 40 graus, serão menos frequentes do que no verão 2013/2014.

— Apesar de janeiro reservar chuvas mais expressivas, o restante do verão terá menos índices de precipitação. Em fevereiro, a estimativa é entre 100mm e 200mm, em torno de 50mm abaixo do normal. As pessoas devem entender que é preciso manter a economia de água porque as chuvas não serão suficientes para mudar o quadro de escassez — avisa Aline.

FRETE FRIA SUDESTE

O paulistano Evandro Magalhães, da Somar Meteorologia, reconhece que as chuvas estão demorando a cair, o que indica mais dificuldades no “verão da crise hídrica":

—Esperávamos um pouco mais de chuva em dezembro. Mas os modelos apontam que as águas vão cair mesmo até o réveillon e principalmente em janeiro. No entanto, para encher os reservatórios teria que chover muito acima da média, o que não vai acontecer.

Uma forte frente fria que avança pelo Sul do país chega ao Sudeste hoje e traz pancadas de chuva, principalmente em São Paulo, na madrugada. A expectativa é de que as nuvens se dissipem na quinta-feira.

O calor inclemente levou ontem milhares de turistas à orla. No Arpoador, banhistas reclamaram de uma língua negra concentrada no Posto Sete. Segundo eles, o problema já dura mais de uma semana. A concessionária Orla Rio, que opera os postos de salvamento, informou que está apurando as causas do vazamento.

Turistas de diversas partes do país eram os mais animados, do Leme ao Pontal.

— Pega o Copacabana Palace no fundo — pedia a paraibana Jéssica Fontes ao marido, que fazia um selfie do casal ao lado da estátua do jornalista Ibrahim Sued, próximo ao hotel.

— Não lembro dele, sei que é jornalista porque está escrito aí. Deve ter sido importante. Não é qualquer um que tem uma estátua em Copacabana — raciocinava a secretária, no Rio há dois dias para passar as festas de fim de ano com a família, que mora em Bangu.

Enquanto muitos aproveitavam para praticar atividades esportivas ao ar livre, a maioria dos turistas procurava sombra e água de coco gelada. O susto vinha na hora de pagar a conta.

— Seis reais é muito caro, pensava que fosse mais em conta. Lá em Salvador não passa de R$ 2 — queixava-se a baiana Márcia Tourinho.

GRAFITEIRO FRANCÊS

Entre os estrangeiros, houve quem preferisse aproveitar a passagem pelo Rio para deixar sua marca por meio da arte. Foi o caso do grafiteiro francês Benoit Pyrat, que deu cores a um muro de um terreno vazio, na Urca. Casado com uma brasileira, ele veio pela segunda vez à Cidade Maravilhosa:

— Sempre me disseram que o Brasil era um dos melhores locais do mundo para se grafitar. As pessoas não se incomodam com o grafite, até gostam. Me indicaram vir para cá porque é calmo. Não sabia que era tão bonito. Acho que é o local mais bonito que já grafitei.

A turma que costuma patinar também fez a festa. A quarta edição do Roller Rio, um grande passeio de patins inspirado no evento europeu Paris-Roll, reuniu cerca de 1.500 pessoas ontem de manhã, no Aterro do Flamengo. O circuito teve largada às 9h, no Monumento aos Pracinhas, e seguiu até Botafogo. Patinadores profissionais e amadores do Rio, de São Paulo, Minas Gerais, Manaus e Salvador, além de estrangeiros, participaram do encontro, que teve um percurso de aproximadamente oito quilômetros até Botafogo.


Globo Online | 21-Dez-2014 20:07

Cariocas e turistas aproveitam chegada do verão com praias lotadas e clima abafado
A Praia de Ipanema ficou cheia durante todo domingo. - Márcia Foletto / Agência O Globo

RIO - A poucas horas de começar a estação mais quente do ano, as praias da Zona Sul amanheceram lotadas no último dia da primavera. No Rio, a temperatura máxima registrada foi 39,1 graus, na Zona Oeste, em Marambaia, onde a sensação térmica chegou a 43 graus, segundo o Instituto Nacional de Metereologia (Inmet). Entretanto, na mesma região, conforme o Centro de Operações da prefeitura, que também mede a temperatura, a sensação chegou a 55 graus.

Para se refrescar do forte calor, moradores e turistas, que acabam de chegar à cidade para o fim de ano, aprovietaram o domingo na praia. Entre os visitantes, brasileiros de diversas partes do país eram o mais animados.

— Tenta pegar o Copacabana Palace ao fundo — pediu ao marido, a paraibana Jéssica Fontes, fazendo pose para uma selfie, ao lado da estátua do jornalista Ibrahim Sued, próximo ao Palace.

— Não lembro dele, sei que é jornalista porque está escrito aí, mas deve ter sido importante. Não é qualquer um que tem uma estátua em Copacabana. — divertiu-se a secretaria que está no Rio há dois dias para passar as festas de fim de ano com a família, que reside em Bangu.

Enquanto muitos cariocas aproveitavam para praticar atividades esportivas, a maioria dos turistas procurava sombra e água de coco. O susto veio na hora de pagar a conta:

— Seis reais é muito caro, pensava que era mais em conta! Lá em Salvador não passa de R$ 2 — queixava-se a baiana Márcia Tourinho, passeando na Cidade Maravilhosa.

Entre os estrangeiros, houve quem preferisse aproveitar a passagem pelo Rio para deixar sua marca através da arte. Foi o caso do grafiteiro francês Benoit Pyrat. Casado com uma brasileira, essa é sua segunda visita ao Rio. Ele chegou cedo na Urca e se encantou com o visual.

— Sempre me disseram que o Brasil era um dos melhores locais do mundo para se grafitar. As pessoas não se incomodam com o grafite, até gostam. Me indicaram vir para cá porque é calmo. Não sabia que era tão bonito. Acho que é o local mais bonito que já grafitei — elogiou.


Globo Online | 21-Dez-2014 20:07

Festa de Natal leva mais de cinco mil pessoas ao Centro de Niterói
Dueto: Tony Garrido e Elba Ramalho cantaram juntos no “Natal da Cidade” - Divulgação / Divulgação

NITERÓI - Uma grande celebração natalina, a maior já realizada em Niterói, o “Natal da Cidade” atraiu mais de cinco mil pessoas na noite deste sábado, em frente ao Palácio dos Correios, no Centro. O edifício histórico, recentemente reformado, fica em frente à Estação das Barcas e recebeu iluminação especial para o evento, além de uma sucessão de estrelas da música brasileira, como Elba Ramalho e Tony Garrido e de atrações locais, como o coral infantil do Centro Educacional Niterói (CEN), a Banda Santa Cecília, o Coral da Clin, o anfitrião Coral dos Correios e a Orquestra Corda das Grotas. No fim, todos se juntaram para entoar a canção “Feliz Natal”, de Heitor Vila Lobos, que emocionou o público.

Um Auto de Natal encenado pelo grupo Teatro Novo com atores portadores de Síndrome de Down foi um dos pontos altos da noite. De acordo com o secretário municipal de Cultura, Arthur Maia, o evento superou as expectativas da organização.

— Essa homenagem natalina foi de altíssimo nível e de uma qualidade ímpar. Acertamos ao juntar tanta gente boa. Elba, Toni Garrido, corais, orquestras e artistas da cidade. Isso mostra que Niterói não tem só o Natal para comemorar, mas tudo que tem vivido, um momento de alto astral, arte e muitos avanços — afirma Maia.

Prédio histórico dos Correios recebeu decoração especial para a festa natalina - Divulgação / Divulgação

A noite foi também de surpresas para os moradores da cidade durante os duetos. Lorena Lessa cantou com Toni Garrido, enquanto a pequena Larissa, de apenas oito anos, cantou ao lado do consagrado José Tobias, oito décadas mais velho.

Ao término do evento, os artistas fizeram questão de mostrar o carinho que têm pela cidade. Tony Garrido afirmou que Niterói é um de seus destinos favoritos.

— Eu falo para todo mundo, Niterói está entre um dos três melhores lugares que eu já passei. O público aqui é muito carinhoso — elogia o líder do Cidade Negra.

O entusiasmo do público sensibilizou Elba Ramalho.

— Esse show tem a célula de Cristo. O sentimento é de amor. Uma iniciativa maravilhosa, pois nos prepara para o Natal, que marca a volta de Jesus Cristo — resume.


Globo Online | 21-Dez-2014 19:56

Horas antes do início do verão, Rio registra sensação térmica de 55ºC

Temperatura foi registrada em Guaratiba, na Zona Oeste. Estação começa hoje às 21h03.
G1.com.br | 21-Dez-2014 19:20

Líder comunitário do Alemão é enterrado no Subúrbio do Rio

Luiz Moura, do Conjunto das Casinhas, foi morto a tiros no sábado. Suspeitos teriam atirado a partir de um carro e fugido.
G1.com.br | 21-Dez-2014 19:03

Luiz Fernando Pezão anuncia nomes de mais quatro secretários do novo governo
Braço direito. Paulo Melo será o novo secretário de governo - Fábio Guimarães / Agência O Globo

RIO - O governador Luiz Fernando Pezão anunciou, neste domingo, mais quatro novos secretários de sua administração: os deputados estaduais Paulo Melo (PMDB) , Bernardo Rossi (PMDB), José Luiz Nanci (PPS) e o deputado federal Arolde de Oliveira (PSD). Os quatro assumirão suas pastas no dia primeiro de janeiro, respectivamente, a Secretaria de Governo, a Habitação, a de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida e a de Trabalho e Renda.

Paulo Melo, um dos cacifes do PMDB no Rio, é ex-presidente da Assembleia Legislativa (Alerj) e a sua nomeação já era esperada. Bernardo Rossi é natural de Petrópolis e sua indicação à habitação também confirmou o as previsões. Nanci, cujo domicílio eleitoral é São Gonçalo, foi eleito deputado pela primeira vez em 2010. Arolde já havia sido secretário de Transportes, na Prefeitura do Rio, por cerca de seis anos.

Neste sábado, Pezão já havia anunciado José Luiz Anchite, ex-prefeito de Barra do Piraí, como futuro da secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca (Sedrap), além da volta de Christino Áureo como secretário de Agricultura e Pecuária. O professor Antonio José Vieira de Paiva Neto, atual subsecretário de Gestão do Ensino, será o novo secretário de Educação.


Globo Online | 21-Dez-2014 16:36

Governador Pezão anuncia nomes de mais três novos secretários do RJ
Paulo Melo ocupará a Secretaria de Governo e Bernardo Rossi a Habitação Secretaria de Envelhecimento Saudável será ocupada por José Luiz Nanci.
G1.com.br | 21-Dez-2014 15:59

Eduardo Paes anuncia apoio à candidatura de Pedro Paulo à sua sucessão na prefeitura do Rio
Ajuda. Pedro Paulo receberá o apoio de Eduardo Paes para concorrer à prefeitura em 2016 - Pablo Jacob / Agência O Globo

RIO — O prefeito Eduardo Paes anunciou, neste domingo, o apoio à candidatura do deputado federal Pedro Paulo à sua sucessão na prefeitura do Rio. Ele aproveitou a entrega de mais uma etapa das obras de infraestrutura e urbanização do Programa Morar Carioca, na Colônia Juliano Moreira, em Jacarepaguá, na Zona Oeste, para fazer a declaração.

— Vocês estão aqui ao lado do futuro prefeito do Rio. Ele vai continuar este trabalho para a gente poder.. Agora não tem problema falar porque não estamos em época de eleição. Mas aqui está a pessoa que, neste tempo todo, foi uma espécie de Primeiro Ministro do meu governo, tocava as coisas junto com a gente — declarou.

No local, estão sendo construídos 34.113 metros de redes de água e 3.064 ligações domiciliares, além de 26.924 m de redes de esgoto, entre outras obras. Até agora, já foram investidos R$ 132 milhões dos R$ 149 milhões programados na área em parceria com o governo federal. Segundo a prefeitura, na Colônia Juliano Moreira já foram concluída obras de urbanização da comunidade Entre Rio e a canalização do rio que corta a área. Foi construída, ainda, a Vila dos Idosos, com 10 unidades habitacionais para acolhimento de antigos pacientes idosos da colônia que não têm família e são atendidos pelos Secretaria Municipal de Saúde. A prefeitura está atualmente fazendo intervenções de urbanização e implantação de infraestrutura nas comunidade Arco Íris, Área Verde, Vale do Ipê e Rua da Creche. Além disso, estão sendo erguidas 1.400 moradiras do Programa Minha Casa Minha Vida para famílias com renda mensal de até R$ 1.600. Pessoas que viviam em área de risco ou serão remanejadas após desapropriações da prefeitura.

— Além das obras de infraestrutura estamos fazendo aqui moradias para 1500 pessoas pelo programa Morar Carioca, que vão atender a algumas desapropriações na região e no traçado da Trasnsolímpica - explicou Paes, ressaltando que foi feita uma mudança no traçado da via parar diminuir o numero de desapropriações na Colonia Juliano Moreira. No total, três quilômetros do corredor expresso passam dentro da Colônia.

Apos a inauguração, o prefeito e o deputado Pedro Paulo, que também esteve presente, foram até o canteiro de obras da Transolímpica, que passa dentro da Colônia Juliano Moreira.


Globo Online | 21-Dez-2014 15:23

Policial militar é baleado no Chapadão, no Subúrbio do Rio
PM levou um tiro na perna e foi levado para Hospital Albert Schweitzer. Sargento foi baleado durante confronto com criminosos.
G1.com.br | 21-Dez-2014 14:18

Operação Lapa Presente prende homem acusado de corrupção ativa
Rapaz foi abordado usando drogas na região Central do Rio. Ele ofereceu dinheiro aos agentes para não ser levado para a delegacia.
G1.com.br | 21-Dez-2014 14:03

Passeio de patins reúne cerca de 1.500 pessoas no Aterro do Flamengo
Roller Rio: passeio, competição e apresentação de modalidades de patinação - Márcia Foletto / Agência O Globo

RIO — Cerca de 1.500 pessoas se reuniram, na manhã deste domingo, no Aterro do Flamengo para a nova edição do Roller Rio, um grande passeio de patins inspirado em um evento similar criado em Paris (Paris-Roll). O circuito teve largada às 9h, no Monumento aos Pracinhas, e seguiu até Botafogo. Patinadores profissionais e amadores de várias parte do Rio, de estados como São Paulo, Minas Gerais, Manaus e Salvador, e até estrangeiros participaram do encontro, realizando um percurso de aproximadamente 8 quilômetros.

FOTOGALERIA: As imagens do Roller Rio no Aterro

Esta é a quarta edição do evento no Rio e a terceira no Aterro. A primeira foi na orla de Copacabana. A idealizadora, Paula Pebett, comemorou o saldo de participações deste ano, o maior até o momento.

— Tivemos o maior número de inscritos, em apenas 20 dias. E foi a primeira vez que, além do passeio, tivemos a competição de velocidade com premiação para a primeira, segunda e terceira colocação no masculino e feminino — explica a produtora de 33 anos, praticante do esporte desde os 8.

Além do passeio e da competição de velocidade, houve apresentação de diversas modalidades de patinação. Mesmo após o torneio, a confraternização continuou durante a manhã, no local do encontro, com música, brunch e sorteio de artigos relacionados ao esporte.


Globo Online | 21-Dez-2014 14:02

Com shows, festas e eventos esportivos, Projeto Verão Rio começa no dia 10 de janeiro
A cantora Ana Cañas é uma das atrações do Projeto Verão Rio - Marcos Hermes / Divulgação

RIO — A estação mais charmosa e aguardada pelos cariocas está chegando com tudo, e a programação não poderia ser melhor. Começa no dia 10 de janeiro, no Posto 10, em Ipanema, mais uma edição do projeto Verão Rio, que inclui shows imperdíveis e atividades esportivas. O Verão Rio é uma realização do GLOBO e da Orla Rio, com apresentação da prefeitura do Rio de Janeiro e da Riotur, patrocínio de Tresemmé, Gillette Venus Breeze e Feel Good, apoio de Água Mineral Petrópolis e Deli Delícia, e com parceria musical da Slap.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA

E as novidades não param por aí: no Verão Rio O GLOBO, sócios do Clube Sou+Rio têm lugar ao sol, com direito a empréstimo de cadeira e barraca de praia, brindes e, para relaxar, o Clube oferecerá a massagem Rio+Zen, que são 30 minutos de relaxamento na maca. O Clube Sou+Rio, programa de relacionamento do GLOBO, é aberto a todos que se relacionam com a marca: assinantes digitais, do impresso, usuários do site e leitores de banca de jornal. Para aproveitar essas e outras vantagens associe-se (ou cadastre-se) em clubesoumaisrio.com.br e saiba mais sobre as atividades.

A programação, que começa sempre às 9h, terá um mix de atividades esportivas e diversos shows. Ioga, oficina de rúgbi, treino funcional de futebol — que simula lances como chutes, dribles e passes — estão entre as atividades escolhidas para agitar o verão.

O público vai poder participar ainda do desafio Chico Salgado, que mistura artes marciais e lutas, como boxe, jiu-jítsu e muay thai, com o especialista que é personal trainer de artistas como Wagner Moura, Sabrina Sato e Grazi Massafera.

E tem mais. Além de um desfile de moda, quem passar pelo Posto 10 também vai poder conferir os shows de Tiago Iorc, Silva, Alinne Rosa, Marcelo Jeneci, banda Jamz, Móveis Coloniais de Acaju, Mombojó e Ana Cañas.

Além dos shows, o público poderá curtir várias festas. São elas: Malaka, O Som do Verão (com Rodrigo Penna), Noite do Vinil e Tropical Trap. O encerramento será com o DJ Dodô.


Globo Online | 21-Dez-2014 13:30

Rio tem 13 praias liberadas na Barra e Zona Sul neste domingo
Há trechos na Barra e em Ipanema impróprios para o banho. Nebulosidade deve aumentar e há previsão de chuva no fim do dia.
G1.com.br | 21-Dez-2014 13:05

Espécie de bicho preguiça ameaçada de extinção é resgatada em Búzios, na Região dos Lagos
Resgate. Leonardo Sanre segura a preguiça-de-coleira - Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

RIO - Uum bicho preguiça, da espécie preguiça-de-coleira, foi resgatado na entrada da Praia das Caravelas, em Búzios, na Região dos Lagos. A “operação” foi realizada pelo guarda ambiental Leonardo Sandre, na última sexta-feira. Ele contou com a ajuda de moradores da região. A espécie de bicho preguiça é a que corre maior risco de extinção.

O bicho estava em cima de um fio de tensão quando foi visto por Sandre, que demorou cerca de 20 minutos para recuperá-lo. Após o resgate, a preguiça foi devolvida ao Parque Estadual Costa do Sol.

— Fiquei esperando ela passar para a árvore. Então subi e pedi ajuda de alguns moradores para retirar lá de cima. Na realidade estou de férias, mas não consigo deixar passar essas situações. No início da semana também resgatei um tamanduá-mirim — conta Sandre.

O local em que a preguiça estava fica dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) do Pau Brasil, região de reserva de uso sustentável, o que explica a presença de postes de eletricidade. Sandre diz que, provavelmente, o animal saiu de dentro do parque e foi parar em cima de um fio de tensão.

A preguiça já voltou ao Parque Estadual da Costa do Sol - Leonardo Sandre / Arquivo Pessoal

O empenho em preservar a fauna típica da área é justificável. O ambientalista Ernesto Galiotto, fundador do Parque da Preguiça, em Cabo Frio, afirma que a redução no número de preguiças é facilmente perceptível na região:

— Quando conversamos com moradores antigos, pessoas que moram em sítios, nos damos conta, pelo que eles contam, que existiam muito mais animais. Isso se explica pela redução da área verde, que atinge diretamente a fauna, principalmente o bicho-preguiça, que é próprio de Mata Atlântica.

Ainda que ameaçada de extinção, Galiotto explica que cerca de 90% das preguiças da região é da espécie de coleira. A APA do Pau Brasil é um dos habitats preferidos do animal, pelo clima tranquilo e a presença de água por perto.

— As preguiças só têm medo de tempestade e ventanias, muito mais do que de seres humanos, inclusive — diz o ambientalista.

A preguiça-de-coleira é uma espécie endêmica da Mata Atlântica brasileira e possui pelagem espessa de cor castanho-claro. O nome específico se dá devido à coleira que fica envolto ao seu pescoço. É a maior e mais pesada do gênero animal, podendo atingir até 10kg.


Globo Online | 21-Dez-2014 12:32

Chefs cariocas revelam seus preparativos e lembranças do Natal

RIO — Eles criam receitas de dar água na boca. Fazem releituras de comidas clássicas, tirando da manga aquele ingrediente preciso que conferirá ao prato um toque gourmet, mesmo aos mais simples. Durante as comemorações de fim de ano, oferecem menus especiais inspirados no tema natalino, para quem quiser comer no restaurante, levar uma ceia completa encomendada para casa ou até receber um delivery. Quem consome suas iguarias, delicadamente ornamentadas como obras de arte, pode não imaginar como é a rotina acalorada destes mestres do fogão. Agora, eles abrem as portas da memória e do coração para contar aos leitores do GLOBO-Barra as doces (e salgadas) lembranças que marcaram sua infância no período de festas.

É verdade, porém, que muitos não têm tempo suficiente para se dedicar às ceias em casa e para a aguardada reunião em família, caso do francês Nicolas Chovelon, que, ao passar pelo crivo de Claude Troisgros, assumiu recentemente a cozinha do CT Brasserie. Já Nicola Giorgio, restaurateur e sócio do Duo, conseguiu resolver a agenda e está embarcando para a Itália, onde passará o Natal com a família. Empreendedoras, Monique Benoliel e Denise Capela enveredaram por caminhos próprios, com bufês que levam seus nomes. Nem por isso o trabalho é menor. Foram mais de cem encomendas de ceias este ano, conta Monique, que tem a experiência de 21 anos no ramo. Já a desenvoltura de Denise, diplomada pela Cordon Bleu, no ramo da gastronomia, oculta sua primeira formação como socióloga. Mas não é surpresa, já que ela tem na família ótimos cozinheiros, nos quais pôde se inspirar.

NATAL NA COZINHA

O chef Frances Nicolas Chovelon acabou de assumir a cozinha do CT Brasserie do Fashion Mall - Guilherme Leporace

Foram as correntes marítimas que apontaram o novo destino do chef francês Nicolas Chovelon, que acabou de assumir a cozinha do CT Brasserie, no Fashion Mall, depois de uma longa temporada trabalhando na cozinha de cruzeiros gastronômicos pelo Mediterrâneo. O último foi no navio de luxo Le Ponant. É ele que assume o fogão também em casa, agradando à mulher. Como bom francês, Chovelon ama queijos. Com hábitos cariocas, ele aprecia um bom churrasco, ir à praia e receber os amigos. Tendo um ritmo de trabalho agitado, desde os 15 anos, quando começou na cozinha, Chovelon passa o Natal trabalhando.

— Trabalho muito nesta época, mas guardo boas lembranças da infância. Na ceia natalina, o escargot recheado do meu avó sempre foi um sucesso. E todo domingo minha mãe fazia meu prato especial (um assado de vitela).

UMA FESTA EM FAMÍLIA

O italiano Nicola Giorgio do restaurante Duo - Fernanda Dias/9-7-2014

À frente do restaurante Duo há quatro anos, o italiano Nicola Giorgio é tradicional. Há dois anos, ele passa os Natais com cerca de 30 membros da família, na Itália. Os preparativos começam um mês antes, quando combinam um menu completo pelo WhatsApp. Na hora de botar a mão na massa, todos se reúnem na cozinha. No almoço da véspera, é de lei um consommé de folhas de legumes típicos do sul da região, receita de família. Peixes e crustáceos, como lagostas, são a tradição na ceia. No almoço seguinte, é a vez das carnes exóticas.

— O Natal tem o mesmo clima de festa desde a minha infância; e o perfume da sopa marca esta data. Conversamos, comemos, bebemos e jogamos sem hora para acabar.

SEMPRE EM FAMÍLIA

A chef Monique Benoliel tem um bufê próprio há 21 anos - Bia Guedes

A chef Monique Benoliel tem um bufê próprio há 21 anos e atua em eventos baladados, como o Rock in Rio. Foi a partir do nascimento dos filhos que Monique descobriu seu talento para a culinária, e um deles, Pedro, segue seus passos. Hoje, ela passa o Natal com a família na casa de um amigo, onde prepara a ceia completa. E guarda lembranças de quando celebrava a data na casa dos tios:

— Sinto falta de um rocambole de chocolate com recheio de marshmallow. Um outro era de bacalhau. Também comíamos bobó de camarão, que não é tradicional. Mas sempre nos reunimos em casa. Janto com meu marido e filhos todo dia, e fazemos algo especial aos domingos.

POR UMA CEIA FARTA

Denise Capela - Bia Guedes

Moradora da Barra, Denise Capela tem na família três cozinheiros de mão cheia: a mãe, a avó e o pai. Aos 9 anos, ela já os driblava para ensaiar receitas no fogão. O bufê que leva seu nome, inaugurado há três anos, tem a proposta de oferecer um cardápio leve, com ingredientes naturais e molhos produzidos artesanalmente. Mas, para a ceia de Natal, vale “meter o pé na jaca”, acredita:

— O Natal é o dia do tender, da rabanada, do peru. O peru que minha avó faz é o melhor do mundo, suculento; uma receita presente na nossa mesa há anos neste mês, que é o mais feliz: sinônimo de família reunida, casa enfeitada e mesa indecente de tão farta. Meu pai já pensava nos preparativos em agosto.


Globo Online | 21-Dez-2014 12:00

Suboficial do Corpo de Bombeiros segue carreira como cantor

RIO — Nas festas onde se apresenta, ele é considerado um show man. Quem vê o cantor Luiz André, de 41 anos, em sua versão mais descontraída, cantando e dançando uma variedade de ritmos, como axé, forró, samba, sertanejo, funk e rock, pode não imaginar a postura séria que ele tem quando está vestindo sua farda.

É que, durante o dia, o morador da Barra assume o posto de suboficial do Corpo de Bombeiros, no Quartel Central, onde atua como mestre da consagrada banda da instituição. Descendente de uma família de músicos, ele segue a tradição, tendo como seu maior exemplo o pai, José Candido da Costa, que serviu ao órgão durante 11 anos, como maestro.

Do quartel aos palcos: Luiz André, no condomínio onde mora - Guilherme Leporace/ Agência O Globo

Prestes a lançar seu primeiro CD, no fim deste mês, Luiz André também costuma fazer shows em condomínios da região, como o Parque das Rosas, o Novo Leblon e o Mandala.

— Minha esposa (Liliane Leal) é minha produtora. Eu faço um espetáculo para as pessoas se divertirem muito, de crianças a idosos. O apoio que tenho no Corpo de Bombeiros, onde sou reconhecido como militar, é fundamental para o sucesso deste trabalho — diz o cantor, formado em Música (Percussão) pela UFRJ, salientando que ganhou experiência se apresentando em bares.


Globo Online | 21-Dez-2014 12:00

Chefs revelam seus preparativos e lembranças do Natal

RIO — Eles criam receitas de dar água na boca. Fazem releituras de comidas clássicas, tirando da manga aquele ingrediente preciso que conferirá ao prato um toque gourmet, mesmo aos mais simples. Durante as comemorações de fim de ano, oferecem menus especiais inspirados no tema natalino, para quem quiser comer no restaurante, levar uma ceia completa encomendada para casa ou até receber um delivery. Quem consome suas iguarias, delicadamente ornamentadas como obras de arte, pode não imaginar como é a rotina acalorada destes mestres do fogão. Agora, eles abrem as portas da memória e do coração para contar aos leitores do GLOBO-Barra as doces (e salgadas) lembranças que marcaram sua infância no período de festas.

É verdade, porém, que muitos não têm tempo suficiente para se dedicar às ceias em casa e para a aguardada reunião em família, caso do francês Nicolas Chovelon, que, ao passar pelo crivo de Claude Troisgros, assumiu recentemente a cozinha do CT Brasserie. Já Nicola Giorgio, restaurateur e sócio do Duo, conseguiu resolver a agenda e está embarcando para a Itália, onde passará o Natal com a família. Empreendedoras, Monique Benoliel e Denise Capela enveredaram por caminhos próprios, com bufês que levam seus nomes. Nem por isso o trabalho é menor. Foram mais de cem encomendas de ceias este ano, conta Monique, que tem a experiência de 21 anos no ramo. Já a desenvoltura de Denise, diplomada pela Cordon Bleu, no ramo da gastronomia, oculta sua primeira formação como socióloga. Mas não é surpresa, já que ela tem na família ótimos cozinheiros, nos quais pôde se inspirar.

NATAL NA COZINHA

BA Rio de janeiro(rj) - 15/12/2014 - CT BRASSERIE NATAL - O chef Frances Nicolas Chovelon acabou de assumir a cozinha do CT Brasserie do fashion mall. oto:Guilherme leporace - guilherme leporace / Guilherme Leporace

Foram as correntes marítimas que apontaram o novo destino do chef francês Nicolas Chovelon, que acabou de assumir a cozinha do CT Brasserie, no Fashion Mall, depois de uma longa temporada trabalhando na cozinha de cruzeiros gastronômicos pelo Mediterrâneo. O último foi no navio de luxo Le Ponant. É ele que assume o fogão também em casa, agradando à mulher. Como bom francês, Chovelon ama queijos. Com hábitos cariocas, ele aprecia um bom churrasco, ir à praia e receber os amigos. Tendo um ritmo de trabalho agitado, desde os 15 anos, quando começou na cozinha, Chovelon passa o Natal trabalhando.

— Trabalho muito nesta época, mas guardo boas lembranças da infância. Na ceia natalina, o escargot recheado do meu avó sempre foi um sucesso. E todo domingo minha mãe fazia meu prato especial (um assado de vitela).

UMA FESTA EM FAMÍLIA

- fernanda dias/9-7-2014

À frente do restaurante Duo há quatro anos, o italiano Nicola Giorgio é tradicional. Há dois anos, ele passa os Natais com cerca de 30 membros da família, na Itália. Os preparativos começam um mês antes, quando combinam um menu completo pelo WhatsApp. Na hora de botar a mão na massa, todos se reúnem na cozinha. No almoço da véspera, é de lei um consommé de folhas de legumes típicos do sul da região, receita de família. Peixes e crustáceos, como lagostas, são a tradição na ceia. No almoço seguinte, é a vez das carnes exóticas.

— O Natal tem o mesmo clima de festa desde a minha infância; e o perfume da sopa marca esta data. Conversamos, comemos, bebemos e jogamos sem hora para acabar.

SEMPRE EM FAMÍLIA

- 23.11.2012 - Bianca Guedes

A chef Monique Benoliel tem um bufê próprio há 21 anos e atua em eventos baladados, como o Rock in Rio. Foi a partir do nascimento dos filhos que Monique descobriu seu talento para a culinária, e um deles, Pedro, segue seus passos. Hoje, ela passa o Natal com a família na casa de um amigo, onde prepara a ceia completa. E guarda lembranças de quando celebrava a data na casa dos tios:

— Sinto falta de um rocambole de chocolate com recheio de marshmallow. Um outro era de bacalhau. Também comíamos bobó de camarão, que não é tradicional. Mas sempre nos reunimos em casa. Janto com meu marido e filhos todo dia, e fazemos algo especial aos domingos.

POR UMA CEIA FARTA

- 02.08.2013 - Bia Guedes/ Agência O Globo

Moradora da Barra, Denise Capela tem na família três cozinheiros de mão cheia: a mãe, a avó e o pai. Aos 9 anos, ela já os driblava para ensaiar receitas no fogão. O bufê que leva seu nome, inaugurado há três anos, tem a proposta de oferecer um cardápio leve, com ingredientes naturais e molhos produzidos artesanalmente. Mas, para a ceia de Natal, vale “meter o pé na jaca”, acredita:

— O Natal é o dia do tender, da rabanada, do peru. O peru que minha avó faz é o melhor do mundo, suculento; uma receita presente na nossa mesa há anos neste mês, que é o mais feliz: sinônimo de família reunida, casa enfeitada e mesa indecente de tão farta. Meu pai já pensava nos preparativos em agosto.


Globo Online | 21-Dez-2014 12:00

Toque de Chef: A força paraibana

RIO — Entrar numa cozinha para lavar louças pode ser o ínicio de uma carreira promissora. Foi assim com o paraibano Clemilson Ferreira, de 33 anos, que trabalhava na agricultura. Sua vida ganhou novos rumos desde que chegou ao Rio, em 2000. Há nove meses à frente da cozinha do Il Borsalino, o chef passou da pia ao comando no fogão, galgando postos pelos restaurantes Mangiamo, Hard Rock Café, Cordato, Bottega del Vino e Gabbiano Al Mare:

— Eu gosto de desafios e estou muito feliz. Sou um observador; isso me ajuda a trazer criatividade ao cardápio. A cozinha virou minha paixão e, com a carreira, eu dou apoio à minha família no Nordeste.

Ferreira exibe o prato servido no Il Borsalino - Guilherme Leporace/ Agência O Globo

Sua especialização veio com a prática na culinária italiana, daí seu favoritismo por massas e risotos. O tempero é seu toque especial na cozinha:

— Para dar um sabor próprio ao prato, eu coloco flor de sal e vinagre balsâmico. Na hora de flambar, uso vinho.

Na ceia natalina, quando se reúne com irmãos, o chef prepara uma de suas comidas preferidas: suflê de bacalhau.

RECEITAS

Bolinho de bacalhau com molho de pimenta

(30 a 35 porções)

- Guilherme Leporace/ Agência O Globo

INGREDIENTES

Bolinho de bacalhau: 5kg de bacalhau; 3kg de batatas cozidas, descascadas e espremidas; 4 ovos; 30g de alho picado; 3 cebolas picadas; 1 molho de salsa picada; 200g de farinha de rosca; 100ml de azeite; pimenta-do-reino a gosto; sal (se necessário). Molho de pimenta: 50ml de molho de tomate tradicional; 10g de orégano; 10ml de azeite e 10ml de tabasco.

MODO DE PREPARO

1. Bolinho de bacalhau: Dessalgue o bacalhau, cozinhe-o e desfie-o. Reserve e deixe esfriar.

2. Cozinhe as batatas e amasse-as, formando um purê. Deixe esfriar.

3. Em seguida, misture o purê com o bacalhau desfiado e os ovos e acrescente os outros ingredientes (salsa, alho, pimenta, azeite e farinha de rosca), sempre misturando bem.

4. Prove o sal e, se for necessário, coloque um pouco para temperar.

5. Faça bolinhas com auxilio de duas colheres e frite-as em óleo bem quente.

6. Molho de pimenta: Bata todos os ingredientes no liquidificador e sirva.

Lagostine alla chef

(1 porção)

- Guilherme Leporace/ Agência O Globo

INGREDIENTES

130g de lagostim; 100g de arroz arbóreo; 20g de lichia; 10 folhas de manjericão; 10ml de azeite; 5g de pimenta-rosa; 10g de manteiga; 20g de queijo parmesão; 100ml de caldo de legumes; 10ml de champanhe; alho, cebola, sal e pimenta a gosto.

MODO DE PREPARO

1. Marine a lagosta com azeite e pimenta-rosa. Deixe por três minutos.

2. Coloque-a no forno a 180° por cinco minutos.

3. Em uma panela, doure alho e cebola e acrescente o arroz arbóreo e o champanhe. Deixe evaporar.

4. Aos poucos, acrescente o caldo de legumes (quente), até cozinhar, por mais ou menos dez minutos.

5. Finalize o risoto com o queijo, a manteiga (gelada), a lichia em fatias e as folhas de manjericão, ainda na panela. Tempere com sal e pimenta e sirva imediatamente.

Profiteroles de tapioca com calda de frutas vermelhas

(4 porções)

- Divulgação/ Camilla Maia

INGREDIENTES

Carolinas: 120g de farinha de trigo; 40g de leite; 100ml de água; 80g de manteiga; 3 ovos grandes inteiros; 200g de sorvete de tapioca. Calda: 50g de framboesa; 50g de amora; 50g de morango; 50g de açúcar; 40ml de vinho branco; 100ml de água. É preciso ter um saco de confeiteiro.

MODO DE PREPARO

1. Carolinas: Misture a água, o leite e a manteiga no fogo até ferver.

2. Acrescente e misture a farinha de trigo com colher de pau. Retire do fogo.

3. Leve à batedeira (velocidade 2). Acrescente os ovos um a um e aumente a velocidade da batedeira ao nível máximo. Bata por cinco minutos.

4. Coloque a massa no saco de confeiteiro com bico pitanga e faça carolinas no tamanho opcional.

5. Leve ao forno a 180° (pré-aquecido por cinco minutos) e asse por 12 minutos.

6. Retire do forno e deixe esfriar.

7. Calda: Misture tudo e leve ao fogo alto até ferver.

8. Diminua o fogo e deixar cozinhar por sete minutos, sempre mexendo e acrescentando água aos poucos.

9. Retire do fogo e bata no liquidificador, por dois minutos. Peneire.

10. Aqueça as carolinas no micro-ondas durante um minuto.

11. Abra-as ao meio e recheie-as com sorvete de tapioca.

12. Jogue a calda de frutas por cima.


Globo Online | 21-Dez-2014 12:00

Vendas nos shoppings do RJ podem crescer de 8% a 40% antes do Natal

Pelo Barrashopping devem passar 500 mil pessoas no fim de semana. Metropolitano, que completa 1 ano, calcula vendas 40% maiores.
G1.com.br | 21-Dez-2014 10:40

Voo de paraquedas nas praias é atração do verão 2015 no Rio

Verão começa neste domingo (21), às 21h03 com promessa de muito calor. Cidade lança modismos e novas tendências a cada nova estação.
G1.com.br | 21-Dez-2014 10:24

Moradores do Recreio organizam bazar com artigos de surfe

RIO — “O North Shore carioca é aqui”. Encantado pelo Recreio, onde mora, o jornalista Gerson Filho, de 40 anos, compara o bairro à localidade havaiana, em Oahu, famosa pelas ondas gigantes. A paixão pelo surfe o arrematou cedo e, aos 18, ele começou a confeccionar pranchas. Anos depois, atuou como editor no site Ricosurf. A partir da troca de figurinhas com outros adeptos da modalidade, o esportista organizou o Surf Sempre Bazar, no último domingo, ao lado do amigo Alessandro Soreh, de 41 anos, que trabalha no ramo. O projeto experimental, voltado para venda e troca de produtos novos e usados relacionados ao esporte — entre pranchas, capas, quilhas, roupas, acessórios, DVDs e livros — atraiu cerca de 200 pessoas ao longo do dia.

Gerson Filho (de camisa branca) e Alessandro Soreh - Guilherme Leporace/ Agência O Globo

Devido ao sucesso, hoje rola mais uma edição, a partir do meio-dia, numa fábrica de pranchas. Música ao vivo, bar e quitutes são atrativos.

— Surfistas viajam muito pelo mundo e encontram bons preços. A ideia é reunir aqui artigos de boa qualidade com um valor honesto. Semana passada, abrimos as portas do bazar pela manhã e a festa rolou até o fim da noite. Teve até troca de serviço de tatuagem por roupa — conta Gerson, frisando que planeja tornar o evento mensal.

Com pranchas coloridas ornamentando o ambiente, o lugar escolhido para os primeiros encontros segue o estilo “aloha”: um quintal de clima tranquilo, bem arborizado e com chão de terra. Em breve, o bazar chegará a novos endereços na região, diz o organizador.

Rua 5W, 258, Praia da Macumba. Informações: 98832-4140 e surfsemprebazar@gmail.com.


Globo Online | 21-Dez-2014 09:00

STF põe atividades de guardas-parques na berlinda
Alerta. Guardas inspecionam área marinha do Parque Estadual da Costa do Sol, em Cabo Frio - Paulo Roberto Araújo / Divulgação

RIO - Uma turma que não mede esforços para combater incêndios e caças ilegais e garantir o que restou da Mata Atlântica no Estado do Rio vive momentos de apreensão. Quatro anos depois da publicação do decreto estadual que criou o serviço fluminense de guardas-parques, mais de 200 agentes ainda trabalham sem garantias ou qualquer respaldo legal. Em maio passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou inconstitucional a lei estadual 4.599/2005, que amparou a contratação dos fiscais — convocados temporariamente e em regime de urgência. Na ocasião, foi fixado prazo de um ano para a adequação à norma. Agora, os guardas pressionam não só pela aprovação definitiva do cargo, como por melhores condições de trabalho.

O esvaziamento da atividade é notório: em 2012, foram contratados 280 guardas — 220 civis e mais 60 agentes dos bombeiros. Hoje, são 247 fiscais, uma queda de 11% em dois anos.

Presidente da Associação dos Guardas-Parques do Rio (AGP-RJ), Douglas Vieira Rios lembra que ele e seus colegas, que passaram a vigiar 14 parques e reservas biológicas — unidades consideradas de proteção integral, e que, por isso, não podem ser habitadas —, passaram por um rigoroso processo de seleção. As provas exigiram aptidão física e conhecimentos em primeiros socorros e animais peçonhentos, além de habilidade em línguas estrangeiras.

Nada mais justo, ele argumenta, que o contingente seja incorporado o quanto antes aos quadros de servidores do Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

— Em junho de 2012, fizemos concurso com elevado grau de concorrência. Reivindicamos que nossa turma seja efetivada definitivamente e que o Inea faça outro concurso para preencher mais 200 vagas — diz Douglas.

Projeto que tramita na Alerj cria a carreira no estado

O deputado estadual Carlos Minc, ex-secretário estadual do Ambiente, apresentou um projeto de lei na Assembleia Legislativa criando a carreira, fixando imediatamente os fiscais que estão em campo no funcionalismo público e ampliando o número de vagas. Minc argumentou que, quando os agentes foram chamados, ele não conseguiu viabilizar a contratação permanente junto à Secretaria estadual de Planejamento.

— O guarda-parque é o coração da unidade de conservação. Conseguimos fazer o concurso para colocar os parques para funcionar, tirá-los efetivamente do papel. Se eles tiverem que sair, vamos perder tudo o que conseguimos conquistar em avanços na gestão dessas áreas verdes. O treinamento da equipe durou seis meses. Investimos R$ 1,5 milhão no treinamento, com recursos do Fundo da Mata Atlântica. Não estamos tratando do empreguinho dos caras em jogo, e sim de uma política inovadora e sustentável — diz Minc.

Salário de R$ 1.500

Lotado no Parque Estadual da Costa do Sol, que abrange seis cidades na Região dos Lagos e tem o tamanho de quase três Florestas da Tijuca, o guarda Leonardo Sandre, de 39 anos, reconhece que muitos colegas estão deixando o ofício por conta das incertezas no horizonte:

— Trabalhamos 40 horas semanais com salário de R$ 1.500. Fazemos por amor mesmo. Nós tiramos dinheiro do bolso para construir a sede dos guardas-parques na Praia das Caravelas, em Búzios. As incertezas acabam desanimando muita gente. Os salários também não incentivam.

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) informou que também elaborou um projeto de lei que permitirá dobrar o número de guardas-parques em todas as unidades de conservação do estado, dos atuais 200 para 400 agentes. A criação do quadro está em análise na Secretaria de Planejamento.

Idealizador do projeto dos guardas-parques, o montanhista André Ilha, ex-diretor do Inea, não acredita no fim da atividade:

— Sem eles, os parques simplesmente deixam de existir.


Globo Online | 21-Dez-2014 09:00

Rio é o estado do país onde há o maior consumo diário de água por habitante
Água morro abaixo. Um vazamento de água limpa brota do chão na Rua Hermenegildo de Barros, em Santa Teresa - Agência O Globo / Márcia foletto

RIO - Em tempos de torneiras secas e escassez hídrica, o Rio dá um exemplo negativo em sustentabilidade. Entre os estados da federação, é o que mais gasta água por habitante, com consumo médio per capita de 244 litros diariamente. Mais do que o dobro das taxas de países europeus e reflexo, segundo especialistas ouvidos pelo GLOBO, do desperdício e da gestão precária da Cedae e de concessionárias privadas que operam no interior. O baixo número de residências dotadas de hidrômetro no estado (62,7%) — enquanto em São Paulo e Minas Gerais o patamar ultrapassa a faixa dos 90% — mostra essa falta de controle e contribui para o uso perdulário de um bem finito. Os dados são do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), do Ministério das Cidades.

O cotidiano de desperdício contrasta com a maior estiagem já vista no Sudeste nos últimos 84 anos. Um boletim da Agência Nacional de Águas (ANA) aponta que o volume médio dos quatro reservatórios do Rio Paraíba do Sul — que abastece Rio, São Paulo e Minas Gerais — estava em 1,8%. Há um ano, o patamar chegava a 47,8%. O reservatório de Funil, em Itatiaia, único que fica no Estado do Rio, também se aproxima do volume morto, com 5% de reservas hídricas.

Consultor em saneamento e especialista em gestão de serviços públicos, João Batista Peixoto afirma que o consumo de água fluminense supera qualquer parâmetro razoável. Segundo ele, seriam suficientes 140 litros por habitante/dia para satisfazer — e com conforto — as necessidades de cada habitante. Alguns organismos internacionais ligados à Organização Mundial da Saúde (OMS) chegam a estimar valores em torno de 100 a 150 litros diários como suficientes para uma pessoa saciar a sede, ter higiene adequada e preparar alimentos.

Peixoto estima que a Região Metropolitana poderia economizar ao menos 40% dos 48 metros cúbicos por segundo que a Cedae distribui para 8,4 milhões de pessoas a partir da Estação de Tratamento de Água (ETA) Guandu. Isso significa uma “sobra” de aproximadamente 1,6 bilhão de litros por dia. Mudar esse paradigma, entretanto, exigirá investimentos e vontade política.

— A conta de 140 litros por habitante/dia é um volume racional, que garante o conforto. O Rio está muito acima de qualquer parâmetro razoável, mesmo considerando que a população fluminense está concentrada no litoral, o que remete a um consumo mais elevado — alerta o especialista. — Chama a atenção o percentual baixo de instalação de hidrômetros em comparação com outros estados. Isso prejudica as ações de controle. O alto consumo é, na realidade, reflexo do desperdício. A lógica deve ser: o cidadão paga mais se consome mais. A instalação de hidrômetros é um investimento barato e necessário.

De acordo com o Ministério das Cidades, o consumo médio per capita de água no Estado do Rio é “bastante influenciado” pelo consumo médio por habitante abastecido pela Cedae, que, em 2012, foi de 265,3 litros por habitante/dia.

Síndico de um condomínio na Tijuca, o representante comercial Paulo César Spitz, de 61 anos, é o exemplo de que pequenas atitudes podem ajudar a mudar esse jogo. Com uma medida trivial — o reaproveitamento da água depois das lavagens das caixas —, ele conquistou um prêmio do Sindicato da Habitação do Rio (Secovi-RJ). Há três anos, seu prédio conseguiu derrubar o valor das contas de água pela metade.

— Uma lei municipal obriga os municípios a lavarem suas caixas d’água a cada seis meses. Normalmente, os condomínios jogam fora, nas galerias pluviais, toda a água depois da lavagem. Eu implementei algo diferente: passei a reutilizar. Economizo até 60 mil litros todos os meses. Aqui no prédio não tem desperdício, essa história de lavar o playground ou a fachada a toda hora — comenta Spitz. — Pretendo em breve instalar tubulações para jogar num reservatório as águas das chuvas. Acredito que possa conseguir uma economia de mais cinco mil litros por mês. Se todos os prédios fizerem algo parecido, certamente teremos um futuro melhor.

CEDAE DESTACA PUNIÇÃO A ‘GASTÕES’

Enquanto casos do tipo ainda são exceções à regra, as operadoras de saneamento que atuam no Rio afirmam estar investindo para reduzir o desperdício. De acordo com a concessionária Águas de Niterói, as perdas na distribuição eram de 40% em 1999 e hoje estão em 16%. A cidade é abastecida pelo sistema Imunana-Laranjal, que também sofre com a estiagem. Alexandre Boaretto, diretor da empresa, reconhece que há dificuldades em controlar o consumo de água em comunidades dominadas pelo tráfico.

— Trabalhamos muito em ações de controle e gestão, fizemos uma ampla reestruturação. Temos dificuldades para entrar em algumas comunidades, como ocorre com várias prestadoras de serviço. Mas o nosso índice de perda é muito baixo.

Wagner Victer, presidente da Cedae, estima as perdas na distribuição em 30% e afirma que a estatal investiu, nos últimos oito anos, R$ 600 milhões em trocas de redes obsoletas:

— Já trocamos 70% das redes antigas e estamos finalizando para chegar a 95% ainda em 2015. Quando eu entrei na Cedae, tínhamos um parque de hidrômetros sucateados. Em 2007, o cidadão precisava esperar duas semanas até ser atendido numa reclamação de vazamento de água. Hoje (o tempo de espera) é inferior a 36 horas. Estamos substituindo 150 mil hidrômetros por ano.

Victer descarta a adoção de medidas de punição aos “gastões”, como o governo de São Paulo anunciou na última quinta-feira. O paulista que tiver um aumento de consumo igual ou menor que 20% (em relação à média de fevereiro de 2013 a janeiro de 2014) terá 20% de acréscimo na conta de água.

— Neste momento, isso não está em discussão. Não estamos num momento de racionamento. Modificamos captações, fizemos um tremendo dever de casa.

O engenheiro Ricard Frigola Perez, diretor da Aqualogy, empresa ligada à companhia Águas de Barcelona, dá a dimensão do desafio do Rio. Na capital da Catalunha, o consumo médio é de 105 litros por habitante/dia. Os investimentos no setor de abastecimento ganharam força após os Jogos Olímpicos de 1992 — na ocasião, o índice de perdas superava 30%.

— Atualmente, as perdas em Barcelona chegam a 15% — diz. — O Mediterrâneo tem um regime complicado de chuvas, são comuns os problemas de abastecimento de água. As medidas de eficiência de gestão vão acontecer no Brasil, isso é inexorável.

Para Airton Sampaio Gomes, especialista em eficiência em sistemas de abastecimento e consultor do Banco Mundial, o Japão é outro caso de sucesso, com perdas de apenas 4%. Ele destaca que as empresas de saneamento do Rio não são sequer reguladas pela Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico (Agenersa).

— As perdas no Rio certamente superam os 30% anunciados pela Cedae. Falta uma prioridade no combate às perdas. Costuma-se priorizar o aumento da oferta, em detrimento do controle de demanda e do combate ao desperdício. O Rio está muito atrás dos outros estados do Sudeste. Ainda surfa na abundância de recursos, mas esse cenário vai mudar. É questão de tempo.


Globo Online | 21-Dez-2014 09:00