rio-de-janeiro

Noticias

Comandante da PM grava vídeo para desmentir tiroteio em São Gonçalo, RJ
Fernando Salema, do 7º BPM, disse que áudio com tiros é 'boato'. Na quarta-feira, comércio em Barro Vermelho fechou as portas por medo.
G1.com.br | 23-Out-2014 12:19

Globocop flagra vazamento de água na Rua Uranos, Zona Norte do Rio
Imagens mostraram que tubulação estourou e terreno da calçada cedeu. Uma motocicleta chegou a transitar pela calçada.
G1.com.br | 23-Out-2014 12:19

Rio - 7h35: Acidente bloqueia faixa e causa retenção na Avenida Maracanã
Colisão entre carro e utilitário ocorreu perto da Rua Dona Delfina. Faixa foi bloqueada no sentido Centro.
G1.com.br | 23-Out-2014 12:19

Vizinhos de parque aquático sofrem com falta d’água no Rio
Moradores de Vargem Grande estão com torneiras secas há dois meses. Rio Water Planet diz que toda a água do parque é de poços artesianos.
G1.com.br | 23-Out-2014 12:19

Vídeo mostra pronto-socorro no RJ com macas e pacientes no corredor
Filho de paciente grava vídeo e faz apelo para que pai seja atendido. 'É uma situação frequente', diz o diretor da unidade, em São Gonçalo.
G1.com.br | 23-Out-2014 12:19

Candidatos ao governo do RJ participam de debate na TV Globo
Pezão e Crivella terão 2 blocos de perguntas e um para considerações finais. Debate será realizado logo após a novela ‘Império’.
G1.com.br | 23-Out-2014 12:18

Base da UPP no Lins é incendiada após tiroteio no Rio

Dos quatro contêineres, dois foram queimados. Ainda havia chamas em um dos contêineres na manhã desta quinta-feira.
G1.com.br | 23-Out-2014 11:47

Candidato único concorre à cadeira de João Ubaldo Ribeiro na ABL
Evaldo Cabral de Mello é historiador e escritor; eleição é nesta quinta (23). Ele deverá ocupar a cadeira 34 se alcançar maioria absoluta dos votos.
G1.com.br | 23-Out-2014 11:44

Jovens do Borel querem criar escadaria aos moldes da Selarón, em local com histórico de violência
Cauã Gonçalves e Izabela Pinheiro (ao fundo) e Leonardo Ferreira e Ana Pinheiro na escadaria - Angelo Antônio Duarte

RIO - Até a chegada da pacificação, a Rua Nossa Senhora Aparecida, no Morro do Borel, era conhecida como o ponto mais violento da comunidade, onde bandidos ostentavam fuzis e vendiam drogas. Atualmente, com o local mais calmo, quatro jovens moradores decidiram colocar um ponto final no passado por meio de um projeto simbólico. Inspirados na famosa Escadaria Selarón, na Lapa, tiveram a ideia, no começo deste ano, de reformar a escadaria da rua.

— Nosso objetivo é torná-la um ponto de encontro entre os moradores da favela. Queremos quebrar o estigma dessa rua — diz Isabela Pinheiro, de 21 anos.

Os moradores fazem parte do Boreart, um coletivo de arte urbana focado em oficinas de grafite, fotoarte, escultura e projetos com materiais recicláveis, que foi criado em setembro de 2012, através da Agência de Redes para Juventude, programa incentivado pela Petrobras, que estimula jovens de comunidades do Rio de Janeiro a criarem projetos para as suas localidades.

— O Boreart quer tornar esta escadaria uma referência de arte urbana no Borel e em toda cidade. Não chega a ser uma escadaria com 215 degraus como a Selarón, mas também temos o nosso valor, apesar dos 34 degraus — afirma Isabela.

Para concretizar a tão sonhada reforma, os jovens estão abertos a doações de azulejos que podem ser entregues na sede da Agência de Redes para Juventudes (Rua Teotônio Regadas 26, 603, Lapa).


Globo Online | 23-Out-2014 11:40

Rio tem quinta-feira com tempo estável; máxima será de 29ºC

Massa de ar seco chega ao estado nesta quinta-feira. Sol vai aparecer com poucas nuvens.
G1.com.br | 23-Out-2014 11:29

Veja a agenda dos candidatos ao governo do RJ nesta quinta-feira (23)
Pezão e Crivella disputam o 2º turno para governador. Acompanhe as atividades dos candidatos.
G1.com.br | 23-Out-2014 11:04

Vazamento de água alaga a Rua Uranos, em Bonsucesso
motoqueiro passa no meio do vazamento em Bonsucesso - Reprodução / TV Globo

RIO - Motoristas que trafegam pela Rua Uranos, em Bonsucesso, na Zona Norte, encontram um grande vazamento de água, próximo a Rua Leopoldo Bulhões, as margens da estação de trem, na manhã desta quinta-feira. Motoristas se arriscam e passam com o carro pela água.

Uma equipe da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) está se deslocando para o local, mas ainda não há informações sobre a causa do transtorno. Às 6h30m a companhia informou que está apurando o que teria provocado o vazamento. Até o momento, não há interdições na via.

Em Botafogo, na Zona Sul, um afundamento de pista na Rua Voluntários da Pátria complica a vida dos motoristas que passam pela região. Equipes da Seconserva estão no trecho, em que a pista cedeu, para realizar a manutenção na via.

Afundamento de pista na Rua Voluntários da Pátria, em Botafogo - Leitor Anderson Ramos

De acordo com o Centro de Operações Rio, uma faixa está sendo ocupada na altura do numeral 301. Agentes da Cet-Rio orientam os motoristas no local. O trânsito é lento no trecho.


Globo Online | 23-Out-2014 11:03

Karla Pê: o Grajaú como inspiração para desenvolver sua arte
Karla Pê está é responsável pelo figurino e cenário de vários espetáculos pelo país - Guilherme Leporace / Agência O Globo

RIO - Os trabalhos de Karla Pê podem ser vistos em vários espetáculos e shows pelo país. A cenógrafa, figurinista e diretora de arte é assim. Não para de trabalhar. Morando no Grajaú há 15 anos, ela encontrou no bairro a tranquilidade que buscava para desenvolver sua arte.

— Nasci em Duque de Caxias, e quando vim morar no Rio fui direto para o Grajaú. Não quero mais sair daqui. Adoro este bairro, é delicioso, muito residencial e tranquilo. É perto de tudo, mas ao mesmo tempo longe da muvuca da Tijuca e do Centro. Também trabalho aqui, assim como meu marido, então fica uma coisa bem família — comenta Karla, que ganhou o apelido artístico de “Pê” por conta do sobrenome Pessoa.

Formada na Escola de Belas Artes da UFRJ (onde foi aluna de Beth Filipecki, umas das principais figurinistas e cenógrafas do país), Karla está atualmente em cartaz como cenógrafa e figurinista da peça “Jumbo — eu visito a tua ausência”, e produz os figurinos e cenário dos shows solo de Bianca Gismonti, no Teatro Tom Jobim, no Jardim Botânico, e das apresentações da pianista ao lado de Claudia Castelo Branco, o Duo GisBranco, pelo país.

Karla também assinou a cenografia do Mimo, festival de música instrumental que passou por várias cidades históricas do Brasil e teve a edição de 2014 encerrada semana passada, em Tiradentes (MG).

— No Grajaú, tenho um mix de ateliê e escritório. É onde faço as minhas criações, confecciono meu trabalho, além de cuidar da parte burocrática — conta Karla.


Globo Online | 23-Out-2014 10:00

Peça infanto-juvenil no Ziembinski conta a história de um africano levado à força para o Brasil
Atores da peça em cartaz no Ziembinski - Divulgalção / Paula Puga

RIO - Durante quatro séculos, mais de três milhões de africanos foram levados à força para o trabalho escravo no Brasil. De lá, trouxeram suas raízes e suas culturas, que atualmente ajudam a contar a história do nosso país. Com esse enredo, a peça “Kwagalana — histórias de um príncipe negro”, da Cia. Amadores, em cartaz no Ziembinski, tem como protagonista o menino Kwagalana que apontado pelo adivinho Ifá como o futuro rei do seu povo, é raptado e vendido como escravo para trabalhar nas minas brasileiras. Trazendo consigo as histórias de sua terra, ele luta para concretizar a previsão do oráculo.

A peça infanto-juvenil, em cartaz até este domingo, utiliza elementos como brinquedos e lendas africanas para reconstruir a tradição negra. A duração do espetáculo, indicado para crianças a partir de oito anos, é de cerca de uma hora.

+ INFO

Rua Heitor Beltrão s/nº. Sábado e domingo, às 16h.Telefone: 3234-2003

Ingresso: R$ 10


Globo Online | 23-Out-2014 10:00

Facebook e Twitter inspiram espetáculo ‘Clube da cena — Redes sociais’

RIO - Atenção! Muito cuidado com publicações na internet. Elas pode virar piada nos palcos. O espetáculo de humor “Clube da cena — Redes sociais” busca, semanalmente, posts do Facebook e do Twitter, que são usados como temas para a realização de esquetes.

O clima de estreia é predominante. Afinal, para cada apresentação, os atores têm sempre novos textos para decorar.

— Eu sou responsável pela pesquisa no Facebook e o Marcelo Cavalcanti (ator), pela busca no Twitter. O próximo passo é o sorteio das publicações selecionados para os autores. Em seguida, sorteamos as duplas de atores e o diretor que vão trabalhar cada cena. Tudo tem que dar certo em uma semana — explica a diretora e idealizadora do projeto, Cristina Fagundes.

O desafio semanal, para o autor do projeto Ivan Fernandes, é também um exercício de superação:

— Já fui sorteado para criar cena, a partir de uma publicação do Facebook, que não me trazia inspiração. Nesse projeto, a gente é tirado da zona de conforto — comenta.

Autores, diretores e atores do projeto têm certos “dogmas”, como Cristina se refere, a seguir. Entre os principais, são exigidos três ensaios por semana, o texto tem que ter de 600 a 1.100 caracteres e a produção das cenas é de responsabilidade de cada equi pe.

— Fui sorteada para fazer um esquete em que a personagem era gorda e eu tive que colocar enchimento. Além disso, havia outros atores no elenco, que foram escolhidos por mim, pelo meu colega de cena e pelo nosso diretor — conta a atriz Mariana Consoli.

As publicações escolhidas são mostradas num telão, antes da apresentação de cada acena, sem esconder a foto dos seus autores. Os donos dos posts são contatados e recebem ingressos para ver a peça.


Globo Online | 23-Out-2014 10:00

Empresa Lagoa Aventuras renova contrato com a prefeitura para operar no Parque da Catacumba e anuncia mudanças
A tirolesa do Parque da Catacumba: expansão à vidta - Agência O Globo / Fabio Rossi

RIO — A todos que se perdem entre as curvas e cores da Lagoa Rodrigo de Freitas, uma sugestão: há vida e vale a pena olhar também para o outro lado da rua. É lá que se encontra o Parque da Catacumba. O lugar, que andou abandonado por algumas décadas e voltou há cerca de três anos a fazer parte do roteiro de passeios dos cariocas, está com atrações novas. A prova disso é que o número de visitantes passou de 600 para 4 mil pessoas por mês.

Uma das novidades são os guias turísticos gratuitos nos finais de semana. A ideia é popularizar a principal trilha da região, um trajeto de 45 minutos ida e volta. O percurso, que é considerado leve e tem apenas um trecho íngreme, passa por dois mirantes com vista para a Lagoa: o da Pedra do Sacopã e o da Pedra do Urubu.

Chegando ao ponto mais alto, o visitante pode retornar pela mesma trilha ou optar pela segunda novidade do parque: descer 45 metros fazendo rapel, partindo da Pedra do Urubu. A atividade, que custa R$ 135, utiliza técnicas de alpinismo num paredão vertical e será a primeira da Zona Sul.

A tirolesa (R$ 20), que funciona há quatro anos no parque, será transferida para outro ponto. Gabriel Werneck, um dos sócios da Lagoa Aventuras, empresa que ganhou licitação de mais quatro anos para operar as atividades, conta que o equipamento passará a ter 120 metros, no lugar dos atuais 80. Um sistema de freio também fará com que o aventureiro deslize numa velocidade menor.

— A pessoa descia muito rápido e não aproveitava o trajeto. Além dessas atividades, ainda temos arvorismo (R$ 30) para adultos e crianças, com 120 metros de comprimento e 8 de altura; brinquedos infantis (R$ 35 o combo) e um muro de escalada (R$ 20) — enumera.

MANEJO DAS TRILHAS E SINALIZAÇÃO

Com a nova licitação, que permite a exploração dos equipamentos esportivos por mais quatro anos, o contrato da Lagoa Aventuras com a prefeitura mudou. No lugar dos R$ 5 mil mensais que a empresa pagava ao Fundo de Compensação Ambiental do município, a operadora passa a pagar R$ 1 mil por mês e a investir em melhorias para o parque.

Segundo a Secretaria municipal de Meio Ambiente, o valor gasto em melhorias somado ao aluguel serão equivalentes ao montante pago anteriormente. A diferença é que a Lagoa Aventuras passará a investir diretamente no parque.

— Antigamente, esses R$ 5 mil que iam para o Fundo de Compensação Ambiental poderiam ser investidos em qualquer parque da cidade. Agora, nos comprometemos a investir esse dinheiro na Catacumba — explica Mariana Santoro, sócia da Lagoa Aventuras.

A contrapartida inclui o manejo das trilhas, sinalização (o trajeto faz parte do Transcarioca, um circuito de 180 quilômetros de percurso por dentro de florestas da cidade), nova sede para o parque e um café que servirá sanduíches e comidas rápidas.

Com as mudanças, cada vez mais cariocas têm aparecido no parque. O instrutor de escalada e professor do Senac Rafael Raine, por exemplo, vai a Catacumba toda semana com sua filha Sophia, de 2 anos e meio.

— Moro no Flamengo e venho várias vezes por semana: seja com meus alunos do curso de Turismo ou com a minha filha Sophia. Ela vem aqui desde os quatro meses de idade e adora. O passeio predileto dela é fazer a trilha cantando a “música da borboletinha”. Esses espaços no Rio são muito importantes para a formação das crianças — acredita ele.


Globo Online | 23-Out-2014 10:00

Centro de Montanha do Vidigal incentiva escalada em rocha e slackline entre jovens
Desafio. Marcelo (de capacete preto) pratica com alunos no Morro Dois Irmãos - Agência O Globo / Felipe Hanower

RIO — Jovens com um desejo em comum: subir morro. Estes são os novos desbravadores alunos do Centro de Montanha Vidigal, uma escola de esportes de aventura ao ar livre, custeada pela empresa Crux Ecoaventura, que atua no Vidigal há 15 anos. O curso começou há um ano e meio. Nele, jovens aprendem esportes como a caminhada na mata, a escalada em rocha e o slackline.

O CMV não tem uma sede formal. O instrutor, Marcelo Castro, e os alunos se encontram nos locais da modalidade esportiva. Da escola, os jovens recebem, emprestado, todo o material que necessitam para praticar estes esportes com segurança: cordas, mosquetões, grampos… tudo muito caro para quem recebe, em média, um salário mínimo por mês.

Para quem pode pagar, o curso custa R$ 950,00. Estão incluídas uma aula teórica e sete práticas. Para os jovens da comunidade, as aulas são gratuitas e vão muito além: fomentam a cidadania. Cada jovem é um multiplicador de boas práticas ecológicas. Eles orientam os moradores da favela a evitar a degradação da Mata Atlântica entre o Leblon e São Conrado distribuindo informativos sobre a importância de se manter as trilhas limpas e recolher os resíduos sólidos deixados por visitantes sem consciência ecológica.

— Mudar a visão e a cultura da comunidade em relação à montanha é gratificante — diz o porteiro Anderson Pontes de Lima, de 26 anos.

As aulas estão sendo tão eficazes que os jovens já ajudam a mapear algumas áreas que ainda não haviam sido exploradas. Eles conseguiram demarcar parte da face sudoeste do Morro Dois Irmãos no fim do ano passado. Ela começa na base do “Irmão Menor” e segue até o cume.

Marcelo Castro, idealizador do projeto, morou no Vidigal e passou bons tempos por lá. Hoje retribui à comunidade com o curso. Ele diz que quem pratica escalada hoje tem, em média, mais de 25 anos.

— A escalada no Rio está envelhecendo. Precisamos repassar estes conhecimentos à diante — finaliza.


Globo Online | 23-Out-2014 10:00

Festival Internacional de TV é boa oportunidade para roteiristas e aspirantes
Elenco de “A grande família” participará do último dia do evento - Ellen Soares / Divulgação/TV Globo/Ellen Soares

RIO - De médico, louco e, agora, roteirista todo mundo tem um pouco. Depois da lei 12.485 — que obriga os canais pagos a produzir conteúdo nacional —, a demanda por boas histórias aumentou, e já gente sonhando com um Oscar. Ter uma grande ideia na cabeça, no entanto, não é garantia de bom roteiro. É preciso entender do negócio. E uma boa oportunidade para isso é o 12º Festival Internacional de Televisão, promovido pelo Instituto de Estudos de Televisão (IETV) no Oi Futuro Ipanema, que começa na próxima terça e vai até sábado.

— O evento funciona como ponte entre o mercado e as pessoas que querem trabalhar nele — explica o produtor-executivo do festival, Nelson Hoineff.

Os interessados em conhecer como funciona a televisão por dentro poderão participar de 13 painéis. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site do festival. No primeiro dia do evento haverá uma apresentação com elenco, autores e diretores do seriado “A grande família”, o programa homenageado deste ano.

O festival terá ainda uma mostra competitiva de pilotos e pitching (convencer aos outros de uma ideia) de websérie, o novo filão do mercado audiovisual.

— É importante assistir a um pitching, que é uma ótima forma de entrar na TV — aconselha o coordenador de projetos do IETV Marcos Corrêa.

As ideias que caírem nas graças do diretor executivo Guilherme Bokel, responsável por projetos multiplataforma da TV Globo, podem virar webséries no Gshow.

— O portal é um lugar de diversidade. Estamos abertos à criação — afirma.


Globo Online | 23-Out-2014 10:00

Urca ganha feira orgânica, às quintas, com alimentos vendidos diretamente pelos produtores
Anita Santoro, da Fazenda Dom Bosco, em Silva Jardim, produz girassóis para proteger o solo - Felipe Hanower / Agência O Globo

RIO - O bucólico bairro da Urca acaba de ser presenteado com uma feira orgânica, que, a partir deste mês, acontece todas as quintas, das 7h às 13h, na Praça da Medalha Milagrosa. Integrada ao Circuito Carioca de Feiras Orgânicas, da Secretaria municipal de Desenvolvimento Econômico Solidário (SEDES), a feira oferece alimentos in natura, livres de agrotóxicos e de adubos químicos, além de produtos minimamente processados, vendidos diretamente por agricultores do interior do estado e pequenos comerciantes da capital.

— A feira orgânica é uma cadeia virtuosa, onde podemos trabalhar com comércio justo e economia solidária. O produtor faz a venda sem qualquer intermediação de grandes mercados e, automaticamente, tem uma margem de lucro maior, o que lhe dá condição de oferecer um desconto para o consumidor final — explica Marcos Melo, presidente da Essência Vital, uma das ONGs responsáveis pela gestão da feira.

Além de ser mais uma fonte de acesso a alimentos saudáveis, Marcos destaca a feira como uma iniciativa que fomenta a sustentabilidade:

— A agricultura orgânica preserva os recursos hídricos, uma vez que não usa água para fazer a mistura de agroquímicos, e também recupera a terra, evitando a desertificação.

Sandra da Ponte, do Sítio Cachoeira, em Petrópolis, participa do Circuito Carioca de Feiras Orgânicas com o filho e o marido - Felipe Hanower / Agência O Globo

Alinhada a essa consciência, Anita Santoro, da fazenda Dom Bosco, em Silva Jardim (a uma hora e meia do Rio), destaca entre seus produtos a mandioca, a cana de açúcar e a abóbora d’água, além dos girassóis, que ela cultiva para proteger o solo. Anita participa do circuito de feiras orgânicas com o filho e o marido, assim como a produtora Sandra Regina da Ponte, do Sítio Cachoeira, em Petrópolis, que envolve toda a família no trabalho de produção e venda de frutas e hortaliças. Outra barraca que chama atenção é a de Sergio Tavares, produtor do Alto da Boa Vista que vende shitake orgânico, ao lado de Flavia Guedes, que comercializa compotas e acepipes feitos no Vale das Videiras, em Petrópolis. Já a produtora Linda Lerner apresenta na feira sua marca de sucos e vitaminas detox Vivo Orgânico, que também conta com uma linha exclusiva para crianças.

— As pessoas têm doenças graves em decorrência de agrotóxicos no organismo. Por isso, o consumo de orgânicos vai muito além de modismo, é algo realmente vital — diz Linda.

Além da Urca, o circuito acontece em Laranjeiras, Flamengo, Botafogo, Glória, Bairro Peixoto, Ipanema, Leblon e Jardim Botânico. Para pedir uma feira orgânica em seu bairro, o morador deve recorrer inicialmente à associação de moradores, que deverá fazer uma solicitação formal à SEDES.

SERVIÇO

Feira Orgânica da Urca

Todas as quintas-feiras, das 7h às 13h, na Praça da Medalha Milagrosa — Avenida Pasteur próximo ao número 458, Urca.


Globo Online | 23-Out-2014 10:00

Ciclovia Mané Garrincha ganha novo traçado, que vai contornar o Clube de Regatas Botafogo
Nova vista. Trajeto passará próximo ao espelho d’água e diminuirá risco de atropelamento de ciclistas - Agência O Globo / Hudson Pontes

RIO - Uma das principais queixas dos ciclistas que trafegam pela orla de Botafogo parece estar com os dias contados. A ciclovia Mané Garrincha, que liga a Urca e Copacabana ao Flamengo, sofrerá um desvio no trecho que passa em frente ao posto de gasolina Shell e à churrascaria Fogo de Chão, na Avenida Nestor Moreira. O novo traçado passará próximo ao espelho d’água e evitará que o percurso das bicicletas seja interrompido pela entrada e saída de veículos que estacionam na churrascaria ao lado do clube alvinegro. O projeto é da Secretaria municipal de Meio Ambiente e prevê ainda nova sinalização horizontal, vertical e pavimentação.

— A ciclovia comemora 20 anos de implantação este ano e ficará mais perto do mar, contornando o clube, oferecendo ao ciclista, um novo ponto para contemplar a Baía de Guanabara. O projeto prevê, também, a instalação de 20 bicicletários, disponibilizando 40 vagas, estação do sistema de aluguel de bicicletas Bike Rio, área de lazer para crianças e Academia da Terceira Idade (ATI), contribuindo com o processo de revitalização dessa área, um dos cartões postais da cidade. A previsão é que as intervenções estejam concluídas em no máximo 90 dias — diz o secretário municipal de Meio Ambiente Carlos Alberto Vieira Muniz.

MORADORA PEDE QUIOSQUE

Mas não só quem usa a bicicleta agradece a novidade. Aposentada há 12 anos, Vera Migarini costuma fazer caminhadas na orla de Botafogo com o marido e ressalta que o novo traçado também é uma conquista para os moradores.

— Esta é uma das paisagens mais bonitas da cidade e também merece uma atenção especial. Muitos pedestres já foram atropelados no local, pois a velocidade dos veículos que acessam à churrascaria é muito alta. O novo trajeto será muito bem aproveitado por todos que curtem a região — diz Vera.

Ela sugere, no entanto, que a novidade venha acompanhada da construção de quiosques ao longo da enseada.

— Acho que iria gerar mais movimento e ajudaria a evitar tantos assaltos, uma das principais queixas de quem mora por aqui.


Globo Online | 23-Out-2014 10:00

Carros da Guarda são depredados no Maracanã após morte de ambulante
Rapaz de 22 anos fugia de fiscalização quando foi atropelado por carro. Ambulantes se revoltaram e atacaram base da Guarda Municipal.
G1.com.br | 23-Out-2014 05:32

Tiroteio fere 3 e assusta moradores do conjunto de favelas do Lins
Ao menos outros dois confrontos foram registrados em outubro na região. Em um dos tiroteios, ônibus foi atingido por tiro e aulas foram suspensas.
G1.com.br | 23-Out-2014 05:01

Presidente do TRE-RJ diz que votação em Niterói será mais rápida
Treinamento de mesários para uso das urnas biométricas foi concluído. No primeiro turno, eleitores enfrentaram longas filas nas seções de votação.
G1.com.br | 23-Out-2014 04:13

Esquema de segurança do RJ no 2º turno das eleições terá 35 mil PMs
Reforço em todo estado começa na tarde desta sexta-feira (24). Cerca de 20 mil policiais estarão em 5.418 mil locais de votação no domingo.
G1.com.br | 23-Out-2014 02:02

Rio - 20h35: Acidente bloqueia faixa da R. Cândido Benício, na Praça Seca
Acidente com carreta aconteceu na altura da Vila Olímpica. Motoristas enfrentavam retenções no sentido Taquara.
G1.com.br | 23-Out-2014 01:34

Rio - 20h30: Colisão ocupa faixa da Rua Visconde de Pirajá, em Ipanema
Carro e ônibus bateram na altura da Avenida Henrique Dumont. Motoristas enfrentavam retenções na via.
G1.com.br | 23-Out-2014 01:29

Rio - 20h25: Atropelamento interdita faixas da Radial Oeste, no Maracanã
Acidente ocorreu na altura do portão 3 do estádio. Motoristas enfrentavam retenções no sentido Centro.
G1.com.br | 23-Out-2014 01:24

Rio - 20h15: Travessia da Ponte Rio-Niterói chega a 60 minutos
Motoristas encontravam pontos de lentidão ao longo de toda a via. Quem seguia para o Rio não enfrentava retenções.
G1.com.br | 23-Out-2014 01:18

Dilma promete priorizar combate à violência contra a mulher

Candidata disse que programa vai garantir creche a filho de vítimas. Ela participou de carreata nesta quarta na Baixada Fluminense.
G1.com.br | 23-Out-2014 00:18

Acusados de matar líder das ‘Mães de Acari’ vão a júri popular no Rio
Chacina de Acari ocorreu no dia 26 de julho de 1990. Edmea da Silva Euzébio foi morta a tiros no estacionamento do metrô.
G1.com.br | 23-Out-2014 00:16

Pezão quer 'tirar do papel' Linha 3 e minimiza ataque rival: 'desesperado'

Em Manilha, ele prometeu também mais segurança para região. Marcelo Crivella atacou candidato do PMDB.
G1.com.br | 23-Out-2014 00:11

Vídeo mostra carnavalesco sendo rendido e momento do acidente no RJ

Duas pessoas foram atropeladas; criminoso fugiu. Câmeras da Cidade do Samba podem ajudar a achar criminoso.
G1.com.br | 23-Out-2014 00:10

Caminhão com carga tóxica tomba na Via Dutra, no sul do Rio, diz PRF

Acidente aconteceu na pista sentido Rio, em Piraí. Produto teria vazado e, por volta das 18h40, agentes estavam no local.
G1.com.br | 22-Out-2014 23:49

Comício de apoio a Dilma Rousseff reúne militantes no Centro do Rio

Por volta das 18h, havia movimentação em frente ao Theatro Municipal. Evento, que chegou a ser cancelado, não terá participação de Dilma e Lula.
G1.com.br | 22-Out-2014 23:31

Rabicó deve ser transferido para presídio federal de segurança máxima nos próximos dias
Antônio Hilário Ferreira, o Rabicó, foi preso em março de 2008 na Paraíba: ele é suspeito de comandar a venda de drogas de dentro do presídio - Divulgação / Secretaria de Segurança da Paraíba (13/03/2008)

RIO - A Policia Federal do Rio informou, na tarde desta quarta-feira, que o traficante Antônio Ilário Ferreira, o Rabicó, que cumpre pena por tráfico no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, deverá ser transferido nos próximos dias para um presídio federal de segurança máxima. Pedido nesse sentido será encaminhado pela Secretaria de Segurança do Rio ao Governo Federal, depois de o estado ser alertado pela PF da movimentação do bandido na prisão.

Em setembro, depois de a PF prender quatro membros da quadrilha de Rabicó e apreender armas, cocaína e cerca de R$ 4 milhões em dinheiro, o traficante foi transferido da Penitenciária Gabriel Ferreira Castilho, com perfil mais brando, para Bangu 1, considerado de segurança mais rígida. As duas cadeias ficam dentro do complexo de Gericinó. O GLOBO solicitou informações à Secretaria de Segurança sobre um possível pedido de transferência do bandido para fora do Rio, mas ainda não recebeu retorno.

Na terça-feira, em Muriaé — cidade localizada na Zona da Mata mineira, a cerca de 300 quilômetros do Centro do Rio — policiais federais apreenderam 167 lingotes de ouro, avaliados em cerca de R$ 2 milhões. De acordo com investigadores, os quase 20 quilos do metal pertenciam ao traficante.

O delegado Carlos Eduardo Thomé, chefe do Núcleo de Operações da Delegacia de Repressão a Entorpecente (DRE), da PF do Rio, informou que as barras de ouro foram enviadas à perícia e depois seguem para a Caixa Econômica Federal, onde ficarão acauteladas.

— Assim que o juiz decretar o confisco do ouro, ele deverá ser leiloado, e o dinheiro recolhido será entregue à Secretaria Nacional Antidrogas (Senad), a quem cabe definir a política de investimento de recursos provenientes do tráfico na prevenção e na repressão às drogas — afirmou o delegado Carlos Thomé.

Parte das barras de ouro do traficante Rabicó, apreendidas por policiais federais - Divulgação / Polícia Federal

Segundo investigações da PF, mesmo preso, o traficante Rabicó comandava a venda de drogas em São Gonçalo, Niterói e parte da Região dos Lagos, movimentando aproximadamente R$ 1 milhão por mês. Rabicó foi preso em março de 2008, na Paraíba.

A apreensão do ouro foi um desdobramento de uma operação que, no mês passado, resultou na prisão de quatro pessoas acusadas de fazer negócios e movimentações financeiras para Rabicó, entre elas o engenheiro ambiental Luiz Henrique Ventura Ferreira, o Rico, que trabalhava no Complexo Petroquímico do Rio (Comperj) como prestador de serviços da Petrobras. Na ocasião, foram apreendidos com os suspeitos cerca de R$ 4 milhões — o dinheiro estava escondido dentro de tonéis numa residência, no Morro da Mangueira.

Segundo explicou o delegado Carlos Thomé, durante as investigações foi identificada uma conta corrente na Caixa Econômica Federal com depósitos que totalizaram R$ 650 mil. A conta estava em nome de uma mulher, mas era movimentada pelo traficante Jorge Luiz Reis, o Plínio, de 49 anos, apontado pela PF como o tesoureiro da quadrilha. Foi na casa de Plínio que os federais encontraram os tonéis com o dinheiro do traficante Rabicó. Também foram encontrados documentos da compra de duas casas: uma num condomínio de classe média alta em Santa Catarina, avaliada em cerca de R$ 1 milhão, e outra na localidade de Itaipuaçu, em Maricá, na Região dos Lagos.

— Acreditamos que desarticulamos o núcleo financeiro da quadrilha do traficante, um dos mais antigo em atividade do Rio. Na ponta do lápis, são mais de R$ 7 milhões confiscados entre dinheiro vivo, contas bancárias, droga e imóveis — afirmou o delegado.


Globo Online | 22-Out-2014 22:50

Rio - 17h45: Ônibus enguiçado bloqueia faixa da Av. Ayrton Senna
Incidente ocorreu na altura do Via Parque Shopping. Motoristas enfrentavam retenções no sentido Linha Amarela.
G1.com.br | 22-Out-2014 22:47

Rio - 17h40: Acidente ocupa faixa do Túnel Zuzu Angel, na Zona Sul
Dois carros bateram no sentido São Conrado. Motoristas enfrentavam retenções na via.
G1.com.br | 22-Out-2014 22:42

Rio - 17h35: Colisão interdita faixa da Autoestrada Lagoa-Barra
Carro e moto bateram na altura do Shopping Fashion Mall. Motoristas enfrentavam retenções no sentido Zona Sul.
G1.com.br | 22-Out-2014 22:37

APA-Petrópolis vai embargar áreas atingidas por incêndios para inibir ocupação do solo
Filhote de ouriço resgatado de cerca de 2 meses foi devolvido à Reserva Biológica de Araras - Divulgação

PETRÓPOLIS - A APA-Petrópolis, Unidade de Conservação pertencente ao Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMBio), vai embargar áreas de floresta destruídas pelos incêndios que consumiram 5.150 hectares de vegetação em Petrópolis – o que corresponde a 5.150 campos de futebol. O chefe da APA-Petrópolis, Sérgio Bertoche, estima que dos 2,5 mil hectares destruídos dentro da APA, cerca de 1,5 mil eram florestas. O mapeamento da região já começou a ser feito pelos técnicos.

— Vamos fazer o embargo para inibir a conversão do solo, que geralmente acontece nestes casos. Nossa intenção é impedir que a floresta destruída pelo fogo dê lugar áreas de pastagem para animais, construções de imóveis e empreendimentos — explica Bertoche, lembrando que os fiscais da APA têm poder de policia administrativa, o que agiliza o embargo.

O mapeamento começou a ser feito na sexta-feira, antes mesmo do fim das queimadas. Técnicos da APA que sobrevoaram a região fotografaram áreas da unidade de conservação federal atingidas pelo fogo.

— A ideia é repetir o que fizemos na ocasião das chuvas de 2011. Fotografamos a área do alto, para termos uma imagem semelhante a de um satélite. Com isso fazemos o georrefenciamento e comparamos com a área de mata que havia antes do incêndio. Identificada a área, os fiscais notificam os proprietários comunicando o embargo. O importante é que se saiba que temos metodologia e um núcleo de processamento capacitado para fazer isso — acrescenta Bertoche.

Análises preliminares feitas por técnicos da APA-Petrópolis identificaram que nascentes foram prejudicadas pelos incêndios.

— Temos áreas de nascentes que foram atingidas. Somente em uma fazenda no distrito de Pedro do Rio, havia um processo de reflorestamento e mais de um milhão de mudas foram queimadas. O impacto deste incêndio nas nascentes é muito preocupante, pois sem a floresta o estoque do aquífero diminui. Somente o estudo aprofundado poderá indicar e dimensionar os danos provocados . Temos nesta região um tipo de rocha cristalina em que a recarga do aquífero, por exemplo, pode levar séculos — pontua o chefe da APA.

Sérgio Bertoche lembra que, em uma área de Mata Atlântica como a da APA-Petrópolis, a recuperação florestal pode levar mais de 30 anos:

— O estágio inicial de recuperação leva entre cinco e sete anos. Para o estágio médio, são necessários de 10 a 15 anos. Mas para chegarmos a um estágio avançado de recuperação da mata são necessários de 30 a 50 anos.

Passados três dias do fim do incêndio, as sedes das unidades de conservação começam a receber os órfãos do fogo. A APA-Petrópolis recebeu, somente nesta quarta-feira, sete filhotes de gambás e um filhote de Maritaca. Os animais foram encontrados em terrenos de casas próximas aos locais de incêndio e entregues por moradores.

Situação semelhante acontece na Reserva Biológica de Araras, que recebeu um filhote de ouriço com aproximadamente dois meses, e três filhotes de gambás.

— O prejuízo maior é o que não conseguimos ver. São insetos, anfíbios e répteis que se perderam porque não conseguem escapar do fogo. Cobras, lagartos, besouros, sapos, rãs, pererecas e outros animais que têm um papel importante no ecossistema e que se perderam — diz o chefe da Rebio-Araras, Ricardo Ganem. — Não há como valorar estes prejuízos.

No Parque Nacional da Serra dos Órgãos, onde os incêndios consumiram uma área equivalente a 1.550 campos de futebol, um ouriço foi resgatado com vida durante o incêndio. O animal teve queimaduras nas patas e ficou com pelo chamuscado. Ele está sob cuidados de veterinários na sede do parnaso, em Teresópolis.


Globo Online | 22-Out-2014 22:18

Dramaturgo e escritor Luiz Carlos Góes morre no Rio aos 69 anos
Autor estava internado e morreu de complicações de um câncer. Luiz Carlos Góes ficou famoso por seus textos de humor.
G1.com.br | 22-Out-2014 22:18

Carro capota e congestiona trecho da Via Dutra em Barra Mansa, RJ
Veículo seguia em direção a São Paulo, segundo NovaDutra. Acidente aconteceu próximo ao km 272, no bairro Cotiara.
G1.com.br | 22-Out-2014 21:52

Polícia prende suspeito de tráfico na Mangueira, na Zona Norte do Rio

Thiago da Cruz Gomes, de 22 anos, era conhecido como 'Playboy'. Ele foi preso na localidade conhecida como Casarão.
G1.com.br | 22-Out-2014 21:44

Tiroteio no estacionamento do Jockey Club no Centro termina com um morto e um ferido
Rabecão deixa edifício-sede do Jockey Club, no Centro: homem morreu após discussão com segurança - Fernando Quevedo / Agência O Globo

RIO - Um discussão entre dois homens terminou com um morto e um ferido no Centro na tarde desta quarta-feira. A confusão aconteceu dentro do estacionamento do edifício-sede do Jockey Club Brasileiro, que fica na esquina da Avenida Almirante Barroso com a Rua Debret. O guardador de carros Alex Júnior, de 38 anos, foi baleado e morreu no local. O autor dos disparos, identificado como Carlos Fernandes Moisés dos Santos, de 48 anos, acabou preso em flagrante por policiais militares.

Segundo a Polícia Civil, Carlos é segurança e teria uma rixa antiga com Alex. O estopim da discussão desta quarta-feira teria sido uma piada sobre Carlos feita pela guardador de carros. O segurança, então, sacou o revólver e fez vários disparos, que atingiram Alex e um pedestre que passava pelo local. Atingido nas nádegas, o ferido foi levado para o Hospital municipal Souza Aguiar, no Centro. Até as 17h30m, não havia informações sobre a identidade nem sobre o estado de saúde dele.

Um vídeo publicado pelo blog do colunista Ancelmo Gois mostra o momento em que o segurança foi preso. Testemunhas da prisão afirmam que ele deixou o prédio do Jockey chorando. O jornaleiro Ronaldo Silva, de 35 anos, disse ter contado 11 tiros. Os disparos assustaram os pedestres, e acabaram provocando uma correria. Uma funcionária de um estabelecimento da região contou ter ficado em pânico:

- Foi assustador. Entramos na área do estoque para nos proteger, porque pensamos que estava tendo um assalto na agência do Itaú aqui perto.

Carlos Fernandes Moisés dos Santos foi levado para a 5ª DP (Mem de Sá), mas, de acordo com a Polícia Civil, o caso será investigado pela Divisão de Homicídios (DH).


Globo Online | 22-Out-2014 21:28

Mulher de afogado no Rio entra com queixa-crime por falta de salva-vidas

Michael Cordeiro da Silva se afogou na Praia da Reserva, no dia 15. Corpo de professor de História foi achado e reconhecido nesta quarta.
G1.com.br | 22-Out-2014 21:24

Leiteria Mineira entra na lista para se tornar patrimônio cultural da cidade
A Leiteria Mineira, no Centro: tradição desde 1950 - Gustavo Miranda

RIO - Após criar o Circuito dos Botequins e identificar uma relação de 26 bares tradicionais e inseridos no cotidiano da cidade, o Instituto Rio Patrimônio da Humanidade começa a estudar uma série de estabelecimentos que já fazem parte da história do Rio que serão considerados patrimônio cultural. Um deles é o restaurante Leiteria Mineira, que fica na Rua da Ajuda, no Centro, como informou nesta quarta-feira a coluna Gente Boa, do GLOBO. Inaugurado no início do século passado (ninguém sabe ao certo a data de fundação, mas o registro mais antigo encontrado foi de um funcionário cadastrado em 1916) por um fazendeiro, para escoar a sua produção de leite e derivados, o restaurante, que hoje já funciona em seu terceiro endereço, também mantém um cardápio tradicional, com opções como mingau de aveia, arroz doce, coalhada e torradas Petrópolis.

Em junho de 2013, a prefeitura criou uma nova categoria de patrimônio imaterial: a atividade econômica notável. E nove negócios tradicionais da Rua da Carioca foram listados no que ficou conhecido como Sítio Cultural da Rua da Carioca: Bar Luiz, A Guitarra de Prata, Vesúvio, Ponto Masculino, Padaria e Confeitaria Nova Carioca, Mariu´s Sport, Mala de Ouro, Irmãos Castro e Casa Nova Zurita. A ideia agora é selecionar outros estabelecimentos tradicionais para incluir na categoria.

Além de proteger a atividade econômica, o projeto orienta os comerciantes a como não deixar a marca de seus negócios “morrer”. De acordo com o presidente Instituto Rio Patrimônio da Humanidade, Washington Fajardo, a pesquisa tem como objetivo entender qual a contribuição das atividades comerciais para a vida urbana e, consequentemente, para a cultura da cidade.

— É importante reconhecer a importância desses negócios, registros da memória da cidade. Uma área que mistura negócio, arquitetura e patrimônio imaterial. E com o Sebrae, firmamos um convênio para criar uma metodologia para o comércio tradicional, como dicas de ambientação, de design do cardápio, entre outros, que levem em consideração o fator histórico. A confeitaria Colombo, por exemplo, utiliza a tradição para agregar valor ao serviço que oferece. A lógica é essa. Grandes marcas do mundo hoje privilegiam a tradição — disse Fajardo.

Um dos sócios, João Alberto Lima da Costa, de 52 anos, comemora a iniciativa da prefeitura:

— Muitas casas tradicionais fecharam, e a gente ainda está funcionando porque foram os meus pais e o meu sócio que cuidam da leitreria desde 1950. Aqui eles formaram os filhos. Tem todo um lado sentimental, mais do que histórico. Mas aprendemos a dar valor e respeitar o patrimônio. Recebemos muitos filhos e netos de antigos frequentadores, o que é fantástico.

Em junho, o prefeito Eduardo Paes assinou um decreto criando o Sítio Cultural da Rua da Carioca. O novo local de proteção do patrimônio teve nove imóveis tombados definitivamente, quando a nova categoria de patrimônio imaterial foi criada. Desta forma, a prefeitura assegurou a preservação de comércios tradicionais da Rua da Carioca, como A Guitarra de Prata e o Bar Luiz. Paes argumentou que a preocupação era não deixar atividades econômicas tão tradicionais encerrarem sua história. Foi feito um estudo que apontou os nove estabelecimentos considerados patrimônio imaterial por sua atividade econômica notável.

Com o tombamento municipal, qualquer modificação arquitetônica nos imóveis precisará passar pela aprovação do Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural. O mesmo valerá para a mudança da atividade econômica do local.


Globo Online | 22-Out-2014 20:54

Manobrista é morto por vigilante na garagem do Jockey, no Centro do Rio
Segurança que teria feito o disparo foi preso e levado para a 5ª DP. Crime ocorre uma semana após um PM ser morto na mesma avenida.
G1.com.br | 22-Out-2014 20:43